Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
19
Mai 13
publicado por João Monteiro Lima, às 21:25link do post | comentar
O FC Porto sagrou-se campeão da 1a Liga de futebol, depois de derrotar o surpreendente FC Paços de Ferreira.
A 1 ponto do Porto, ficou o SL Benfica depois de uma época muito positiva em que conseguiu chegar à final da Liga Europa e chegar à final da Taça de Portugal
Resta felicitar o FC Porto por mais esta alegria, por mais esta vitória
tags:

15
Mai 13
publicado por João Monteiro Lima, às 00:55link do post | comentar | ver comentários (1)

Recebemos do Movimento Marco Positivo o seguinte pedido de divulgação

 

NOTA DE IMPRENSA

 

Está criado um movimento independente de cidadãos que vai concorrer às próximas eleições autárquicas. Com a designação de "MARCO POSITIVO", este movimento apoiará a candidatura de Artur Melo à presidência da Câmara Municipal e apresentará candidaturas à Assembleia Municipal e às Juntas de Freguesia, estando já em curso a recolha de assinaturas para esse efeito.

Na sua origem está um grupo de cidadãos que pretende a resolução dos problemas que afetam o município do Marco de Canaveses e que para além do próximo ato eleitoral querem continuar a sua intervenção cívica e politica. O Marco Positivo posiciona-se como um grupo organizado com uma mensagem positiva para o concelho e que aos seus elementos não questiona a sua origem, classe social, género, opção ideológica ou outro. Estes propõem-se a usar a sua imaginação e ideias em prol de um Marco mais evoluído social e economicamente e entendem que para transformar a nossa terra é necessário uma melhor gestão dos recursos naturais e financeiros.

A situação em que se encontra o concelho do Marco de Canaveses e a falta de políticas locais que atenuem ou eliminem o atraso atualmente verificado, levam a que seja necessário apresentar candidaturas de pessoas que nas suas vidas profissionais e políticas tenham dado provas de serem capazes de protagonizar a desejada mudança para a nossa terra. A viver a segunda década do séc. XXI, o Marco apresenta indicadores que urge retificar, como sejam a elevada taxa de desemprego, a ausência de um projeto educativo ou a incapacidade do município atrair investimento que potencie o tão desejado desenvolvimento económico e social.

Perante este cenário, ao próximo executivo municipal exige-se muito mais do aquilo que até agora foi feito. Ao longo deste mandato assistimos a uma maioria distante dos problemas do município, sem chama nem arrojo para assumir uma postura de ação positiva junto das populações. Por isso, o Marco Positivo afirma-se como um espaço de intervenção cívica e de Esperança num futuro melhor que dependa em grande parte da vontade de cada um.

Assim, consideramos que no atual panorama a criação de emprego deve assumir um lugar de destaque na nossa ação política. Para tal, propomo-nos a potenciar a criação do autoemprego através de apoio aos candidatos ao microcrédito que tenham visto os seus projetos aprovados mas que não tenham condições financeiras para os iniciarem. A maior parte destes projetos são de pequena dimensão e visam a criação de pequenas empresas locais, tais como, cabeleireiros, picheleiros ou mecânicos, e muitas vezes os promotores não têm condições financeiras para os concretizarem, pelo que através da nossa proposta a Câmara Municipal apoiará financeiramente projetos que tenham sido aprovados e demonstrem mérito para serem viáveis, servindo de garantia à sua concretização. Criar o autoemprego significa combater o desemprego, dinamizar a economia local, promover o empreendedorismo e potenciar as capacidades intrínsecas das pessoas, levando-as a acreditar em si.

Daí que seja necessária uma política para as pessoas e com as pessoas, de modo que os habitantes do Marco se sintam parte de um projeto comum, numa política participativa que não exclui ninguém e que pensa no Futuro, pois, mesmo respeitando o papel que tiveram os responsáveis pelos destinos da nossa terra até agora, entende o Marco Positivo que é possível fazer melhor.

 

Marco de Canaveses, 07.05.2013


14
Mai 13
publicado por João Monteiro Lima, às 17:55link do post | comentar

Recebemos do Gabinete de Comunicação e Imagem da candidatura de Lino Tavares Dias (PS) o seguinte pedido de divulgação que se transcreve

 

Bom dia,
 
A candidatura de Lino Tavares Dias à Câmara Municipal de Marco de Canaveses vem por este meio dar conta da alteração da data do próximo debate do ciclo "Uma Política para o Território e para as Pessoas".

O debate está agendado para o dia 18 de Maio, às 21h na Junta de Freguesia de Vila Boa do Bispo, mantendo-se tanto a temática como os oradores.

Com os melhores cumprimentos,

Lino Tavares Dias | Comunicação e Imagem

 

 

 


02
Mai 13
publicado por João Monteiro Lima, às 13:45link do post | comentar | ver comentários (4)

Alertado por um leitor, vejo que António Santana, meu amigo e colega de blogue, faz referências à minha renúncia ao cargo de deputado, estranhando que tenha abandonado a cargo a 6 meses do final de mandato. António Santana questiona se terei uma agenda diferente da do PCP, relevando o meu afastamento da linha oficial do PCP e expondo a sua curiosidade para saber o que “de tão grave se terá passado para que tenha abandonado o cargo e abandonado os eleitores

Por partes, esclareço os leitores dado que o António Santana já sabe os motivos que me levaram a renunciar ao cargo na Assembleia.

Em Outubro de 2010, decidi apoiar Manuel Alegre nas eleições para PR, o que na minha opinião não traria mal ao mundo. No entanto, alguns funcionários-responsáveis do PCP não pensaram assim e decidiram mandar um representante para me “puxar as orelhas” e me impor uma linha de pensamento. Triste sorte a deles, pois como não me conhecem não sabem que não deixo que outros pensem por mim e depois de repudiar tudo o que tentaram dizer, recambiei o mensageiro aconselhando-o a não continuar com as considerações de índole pessoal que ainda proferiu, sob pena de a coisa azedar mais.

De imediato transmiti ao responsável do PCP Marco, a minha vontade de abandonar a Assembleia e a concelhia, sendo que só o concretizei apenas na estrutura local, mantendo-me na Assembleia, respeitando a vontade dos eleitores que me elegeram, os comunistas e (sobretudo) os não comunistas que votaram na lista que encabecei.De lá para cá, participei apenas numa reunião da concelhia do PCP na qual expus os meus argumentos e transmiti a minha decisão de sair da concelhia. Há quem diga que me auto-excluí, mas não explicam porque não fui convocado para o plenário de militantes do PCP realizado acerca de um ano.

Para adensar o afastamento, no dia 24 de Março, recebi duas chamadas telefónicas, uma de uma autarca do PCP (que deverá ser de novo candidata e que ganhará outra vez se souber elaborar uma boa lista) e outra de uma pessoa próxima do PCP. A gravidade da conversa (no meu ponto de vista) com esta última foi tal que me leve a concluir que terei perdido grande parte da estima que tinha por tal pessoa. Não uso determinados argumentos com quem quer que seja, logo não o admito os utilizem comigo. Seja quem for. Quem respeita quem já cá não está, não os tráz para onde não são chamados, até porque se cá estivessem, estariam de um lado. O meu.

Entrei e saí do PCP por vontade própria, estou de consciência tranquila, nunca estive dentro ou fora conforme era mais interessante

Sobre as agendas do PCP, o António Santana deverá perguntar ao PCP e quanto à minha, o meu amigo não tem com que se preocupar, pois aquela pergunta me leva a crer que está preocupado com algo que não diz. Mas poderia retribuir a pergunta sobre a agenda do meu amigo, tem o António Santana alguma agenda que o leve a estar preocupado com eventuais agendas alheias?

Esclareço o meu amigo António Santana que o meu abandono da Assembleia não se traduz num afastamento da participação política e cívica e menos ainda traduz um abandono aos meus eleitores. A participação política continuarei a exercê-la sempre que entenda (tal como o fiz na última Assembleia, embora a minha participação tenha provocado algum prurido em alguns responsáveis do concelho, tal eram as preocupações que por diversas vias me iam transmitindo), a participação cívica continuará inalterada também.

A minha decisão de abandonar a Assembleia foi tomada atendendo também aos eleitores que me confiaram o voto, por um lado os comunistas ou dessa área que terão agora uma nova ideia do que é o funcionamento do PCP ou de pelo menos algumas pessoas do PCP, e por outro, os eleitores que não sendo do PCP confiaram o voto na lista que liderei, pois a confiança que depositaram em mim foi baseada no reconhecimento de um trabalho que iniciei em 2005 e também por acreditarem que nunca delegaria noutras pessoas que pensassem por mim.

António Santana anda curioso e talvez, em breve, se perceba porquê, mas não o vi com tanta curiosidade quando o ex-vice Presidente da Câmara, depois de ter saído do executivo para a Assembleia, renunciou ao cargo de deputado.

E também não o vi curioso para tentar perceber o porquê da “despedida” de Carla Babo

Nem sobre a escolha de Luís Vales para o lugar da actual vereadora.

Nem o vi preocupado com os motivos que levam a que hoje seja perceptível que a concelhia do partido pelo qual foi eleito não tenha (aparentemente) qualquer peso na escolha dos candidatos que vão sendo conhecidos.

Mas lá está, a curiosidade é a curiosidade, e não temos que ser curiosos em tudo


01
Mai 13
publicado por António Santana, às 22:39link do post | comentar | ver comentários (4)
Muitos assuntos importantes e interessantes foram debatidos nesta Assembleia, mas duas novidades merecem um pouco mais de atenção. A primeira é a renúncia do deputado, e meu colega de blogue para além de amigo, João Lima. É estranho que um dos eleitos pelo Partido Comunista Português abandone o seu cargo a 6 meses do final. Terá João Lima uma agenda diferente do PCP ? É evidente que ao longo dos tempos se notava um afastamento de João Lima da linha seguida pelo PCP, quer a nível nacional como a nível local. Não deixa de ser estranho que isto aconteça nesta altura. Estou certo de que isto não significa o abandono da intervenção politica de João Lima. Estou curioso para saber o que se passou de tão grave para que tenha João Lima renunciado ao seu cargo e abandonado os seus eleitores.

A outra novidade foi a "despedida" da vereadora Dra. Carla Babo. Não tenho dúvidas de que Carla Babo fez e está a fazer um notável trabalho neste mandato. Foi uma agradável surpresa. A forma como expõe o seu trabalho, e mais importante, como o faz, não deixa dúvidas. É uma mais valia extremamente importante para o actual executivo. O seu discurso soou a despedida, o que também é estranho, uma vez que ainda não são públicas as decisões do PSD e Manuel Moreira sobre quem acompanhará este último nas próximas listas autárquicas. Veremos o que nos reservam os próximos dias.

24
Abr 13
publicado por João Monteiro Lima, às 00:55link do post | comentar | ver comentários (3)

Realiza-se no próximo dia 26, a partir das 20h 30m, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, a segunda Sessão da Assembleia Municipal deste ano. Deixo aos leitores a Ordem de Trabalhos

 

 

ORDEM DO DIA

 

1. Apreciação e votação da acta da Sessão Ordinária do dia vinte e sete de fevereiro de dois mil e treze

 

2. Tomada de Posse

3. Intervenção do público, nos termos do artigo 84.º, n.º 6, da Lei 169/99, com a redacção da Lei 5-A/2002, de 11 de Janeiro e artigo 29º n. 3 do Regimento da Assembleia Municipal.

 

4. Apreciação da informação escrita do Sr. Presidente da Câmara Municipal do Marco de Canaveses, acerca da actividade municipal, feita nos termos da alínea e) do n.º 1 do artigo 53º, da Lei n.º 169/99, de 18 de Setembro, com a redacção dada pela Lei 5-A/2002, de 11 de Janeiro.

 

5. Para conhecimento da Assembleia Municipal – Informação sobre os compromissos plurianuais face à autorização previa, no âmbito da Lei dos Compromissos e Pagamentos em Atraso-LCPA.

 

6. Apreciação e deliberação, sob proposta da Câmara Municipal, sobe a alteração à Postura de Transito da Freguesia de Alpendorada.

 

7. Apreciação e deliberação, sob proposta da Câmara Municipal, para autorização de recrutamento excecional de vinte e quatro Técnicos Superiores de Desporto para assegurar o Desenvolvimento das atividades de Enriquecimento Curricular (AEC) no 1.º Ciclo do Ensino

 Básico, Atividade Física e Desportiva para o ano Letivo 2013/2014

 

8. Apreciação e deliberação, sob proposta da Câmara Municipal, para a alteração ao mapa de pessoal 2013

 

9. Apreciação e deliberação, sob proposta da Câmara Municipal, dos documentos de Prestação de Contas relativos ao ano de 2012.

 

10. Apreciação e deliberação, sob proposta da Câmara Municipal, para a 1.ª Revisão da Receita e da despesa do Orçamento Municipal

 


23
Abr 13
publicado por João Monteiro Lima, às 23:55link do post | comentar

Recebemos de Manuel Machado o seguinte pedido de divulgação

 

Venho por este meio informar que irei lançar um livro de poemas que tem por titulo "Mar Amante".

O seu lançamento está enquadrado na feira do livro de marco de canaveses e será no dia 27 de abril na biblioteca municipal, pelas 18 horas

Terei muito gosto em tê-lo por la

tags:

publicado por João Monteiro Lima, às 00:55link do post | comentar | ver comentários (1)

O responsável do PCP Marco, Filipe Baldaia, remeteu-se as perguntas suscitadas pelo deputado Honório Novo ao Ministério da Educação sobre a suspensão das obras na Escola secundária

Transcreve-se

 

Assunto - Suspensão de obras na Secundária do Marco de Canavezes

 

Destinatário - Min. da Educação e Ciência

 

Ex. ma Sr.ª Presidente da Assembleia da República

 

As obras de remodelação e reconstrução que a Parque Escolar determinou na EscolaSecundária do Marco de Canavezes iniciaram-se no primeiro semestre de 2011, com umorçamento estimado em valores superiores a 14 milhões de euros, do qual cerca de onzemilhões tinha origem comunitária, e deveriam desenvolver-se de acordo com uma programaçãoque previa a sua conclusão em 2013, durante os primeiros meses do ano.

Sucede, porém, que a empreitada, de acordo com informações que nos foram disponibilizadas,foi interrompida em Dezembro do ano passado, tendo na altura sido anunciado que ela seriaretomada ainda durante o mês de Março de 2013.

No entanto, e ao contrário do que seria expetável, as obras não só não foram retomadas como eempresa adjudicatária retirou do estaleiro equipamentos diversos, mantendo no local apenasalguns funcionários de escritório.

Isto significa que, neste momento, a empreitada continua completamente interrompida, tendosido entregue apenas cerca de um terço da obra adjudicada, não havendo informação precisa,nem da empresa, nem da própria Parque Escolar aos mais diretamente interessados, ou sejaaos órgãos da escola onde a empreitada foi e deveria continuar a ser executada.

A indefinição e falta de informação da parte dos responsáveis da Empresa Parque Escolar sobreas obras de reconstrução da Secundária do Marco de Canavezes é quase total e atingiu nãos sóos responsáveis da Escola como igualmente os responsáveis da autarquia local.

A situação da Secundária do Marco de Canavezes é assim quase caricata, com parte dasinstalações concluída e com a parte restante da escola “a cair aos bocados”, numa situaçãomuito grave de utilização, seja em termos funcionais seja em questões de segurança de alunose demais profissionais.

Esta é manifestamente uma situação que deve ser resolvida a curto prazo para permitir que asobras sejam concluídas no mais curto espaço de tempo, eliminando os fortíssimosconstrangimentos que hoje se vivem nesta Escola do Marco de Canavezes e que colocam emrisco a sua comunidade escolar.

Assim, e ao abrigo das disposições regimentais e constitucionais aplicáveis, solicita-se aoGoverno que, por intermédio do Ministério da Educação e Ciência, responda às seguintesperguntas

 

Por que razão foram as obras na Secundária de Marco do Canavezes suspensas no final doano passado?E que razões existem para que o anúncio de que essas obras deveriam serretomadas em Março de 2013 não tenha sido concretizado?

 

1.Confirma-se que as obras continuam paralisadas e que terão agora sido interrompidas semque esteja previsto o momento em que serão retomadas?

 

2.Como se pode explicar tal paralisação? Como se pode explicar que a situação destaempreitada não tenha sido objeto de uma informação atempada aos responsáveis daEscola?

 

3.O que pensam fazer, o Governo e a Parque Escolar, com esta empreitada? Tencionam que aEscola fique meio reconstruída? Tencionam que a Escola Secundária do Marco deCanavezes permaneça parte reconstruída e parte como se fosse um estaleiro de obras?

 

4.Quando é que pensam resolver esta 5. situação inaceitável?

 

Palácio de São Bento, terça-feira, 16 de Abril de 2013

 

Deputado(a)s

 

HONÓRIO NOVO(PCP)

tags:

22
Abr 13
publicado por João Monteiro Lima, às 23:55link do post | comentar

Realiza-se no próximo dia 24 de Abril mais uma Sessão da Assembleia Municipal de Jovens. A Sessão decorrerá no Salão Nobre dos Paços do Concelho a partir das 9h 30m.

Deixo aos leitores a Ordem de Trabalhos

 

 

ORDEM DO DIA

 

1. Lobbies e Corrupção Política – "Agrupamento de Escolas do Marco n.º 1 (EB, 2/3 de Toutosa)".

2. Prevenção de Fogos – "Agrupamento de Escolas de Alpendorada (Escola Secundária de Alpendorada).

3. "Auto" Cultura – "Escola Profissional Centro de Estudo e Trabalho da Pedra (EPCEP)".

4. O Papel dos Partidos Políticos: Juventude Partidária – Agrupamento de Escolas do Marco n.º 1 (Escola Secundária do Marco de Canaveses).

5. Repensar o Futuro! (Empreendedorismo Local: Resposta Criativa Face à Crise "Agrupamento de Escolas de Sande (EB, 2/3 de Sande)".

6. Qual o Papel dos Jovens na Sociedade? – "Escola Profissional de Arqueologia (EPA)".

7. Jovens Empreendedores da Área Rural – "Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural do Marco de Canaveses (EPAMAC)".

8. Restauração e Requalificação de Algumas Áreas degradadas do Centro de Marco de Canaveses – "Agrupamento de Escolas do Marco de Canaveses (Escola EB, 2/3 do Marco de Canaveses)".


publicado por João Monteiro Lima, às 12:55link do post | comentar | ver comentários (2)

Recebemos de Isabel Baldaia, Presidente da Junta de Toutosa, o pedido de divulgação das comemorações do 25 de Abril naquela freguesia

 

 

 

tags:

21
Abr 13
publicado por João Monteiro Lima, às 23:55link do post | comentar

Recebemos do leitor António Ferreira o seguinte texto que se publica

 

As obras e as pessoas!

 

A emblemática obra de regeneração urbana da cidade tem causado vários constrangimentos. Uns decorrentes da obra em si e outros por menor consideração pelos direitos dos utentes e, cumulativamente, pela ausência de planeamento.

Temporariamente uma das Paragem de autocarro foi deslocada para a rua Amália Rodrigues. Neste local os passageiros aguardam pelo transporte, convivendo e partilhando o espaço com diversos contentores de lixo que, ocupam os locais destinados a estacionamento automóvel, “convidam” os utentes dos transportes públicos a ocupar, parcial e temporariamente, o espaço destinado à circulação automóvel, isto é, a via publica.

O local de paragem situa-se a poucos metros de uma passadeira e de um cruzamento o que, além de eventualmente violar o CE, é em si mesmo, mais um elemento perturbador no conflituoso tráfego automóvel que nestes tempos se verifica na cidade.

A mudança deste local de estacionamento para a R. Dr. Queirós Ribeiro, a cerca de 50 metros de distância, onde há lugar para estacionamento, atenuaria significativamente os incómodos causados na circulação automóvel e proporcionaria os cidadãos aguardar pelo transporte em condições mais saudáveis


20
Abr 13
publicado por João Monteiro Lima, às 23:55link do post | comentar

Recebemos de Filipe Baldaia, do PCP Marco, as questões colocadas pelo deputado Honório Novo ao Ministério da Justiça sobre o edifício do Tribunal do Marco. Transcreve-se

 

 

Destinatário: Ministério da Justiça

 

Ex. ma Sr.ª Presidente da Assembleia da República

 

O edifício onde está instalado o atual tribunal do Marco de Canavezes não tem, manifestamente,as condições previstas há muito na legislação nacional para garantir a acessibilidade aosedifícios públicos.

De facto, o Tribunal está instalado num edifício de dois pisos sem elevador e sem rampas quepermitam o acesso às instalações a pessoas portadoras de deficiências motoras, à sala deaudiências do tribunal só se pode aceder através de escadas, muitas das salas possuem portasque não permitem sequer a entrada de cadeiras de rodas, nãoexistem no edifício sanitáriosadaptados para serem utilizados por pessoas portadoras de deficiência.

Enfim, no edifício do Tribunal do Marco de Canavezes continua a existir uma série longa deobstáculos, barreiras e dificuldades absolutamente incompatíveis com as imposições legais emvigor e que, desde o ano de 1997, deveriam estar a ser progressivamente eliminadas dosedifícios públicos que, à partida, não dispusessem de condições adequadas de acessibilidade apessoas portadoras de deficiência.

Essa adaptação ainda não ocorreu no edifício do Tribunal do Marco de Canavezes e, aindamuito recentemente, a comunicação social fez eco de um cidadão, deficiente motor, que semovimentava em cadeira de rodas e que, face às dificuldades inultrapassáveis de aceder e decircular nas instalações do Tribunal, terá desistido de em dar continuidade a uma queixa-crime.Esta situação é inaceitável e não é nem será suportável que as deficiências e dificuldades deacesso e de circulação no tribunal do Marco de Canavezes continuem sem solução durantemuito mais tempo.

Por isso, e ao abrigo das disposições regimentais e constitucionais aplicáveis, solicita-se aoGoverno que, através do Ministério da Justiça, responda às seguintes perguntas

 

Tem o Ministério inteiro conhecimento da realidade com que se defrontam os cidadãosportadores de deficiência motora quando pretendem aceder ao edifício do Tribunal do Marcode Canavezes?

Tem o Ministério a noção de que não há elevadores nem qualquer tipo derampa de acesso? Que para chegar à sala de audiências é preciso vencer mais de 20degraus? Que a maior parte das salas não permite a entrada de cadeiras de rodas? Que nem sequer existem sanitários adaptados?

 

1.Que tipo de intervenção tinha (ou tem) o Ministério planeado para dar cumprimento àlegislação que obriga, desde 1997, à resolução dos problemas e dificuldades deacessibilidade de cidadãos portadores de deficiência a edifícios públicos?

 

2.Quando é que o Ministério prevê efetuar a correção das ilegalidades funcionais existentes noedifício do Tribunal do Marco de Canavezes?

 

Palácio de São Bento, quarta-feira, 17 de Abril de 2013

 

 

Deputado(a)s

 

Honório Novo

tags:

12
Abr 13
publicado por João Monteiro Lima, às 17:55link do post | comentar

Deixo aos leitores  Cartaz da Feira do Livro

 

 


11
Abr 13
publicado por João Monteiro Lima, às 19:55link do post | comentar | ver comentários (6)

Recebemos da candidatura de Lino Tavares Dias, PS, o seguinte pedido de divulgação

 

Ciclo de Debates

Uma Política para o Território e para as Pessoas

 

 

A candidatura de Lino Tavares Dias à Câmara Municipal de Marco de Canaveses vai organizar um ciclo de debates com o propósito de elaborar uma “Política para o Território e para as Pessoas”. Esta iniciativa consistirá numa série de debates – complementados por visitas in loco – que se debruçarão sobre temáticas consideradas estruturantes no processo de construção de um projeto político para o Marco de Canaveses. A deslocalização dos eventos e proximidade com a população são também condições basilares da iniciativa, procurando discutir de modo personalizado e realista os problemas e as visões dos marcoenses. Através da discussão pública e dos contributos de especialistas pretende-se otimizar respostas para seis perguntas fundamentais. São elas:

 

Primeira: O que estamos a gerir em 2013?

 

Segunda: O que se pretende para o território e para as pessoas?

 

Terceira: Que políticas transversais devemos desenvolver neste território?

 

Quarta: Que políticas transversais devemos desenvolver para as pessoas que usam este território?

 

Quinta: Que políticas sectoriais podemos aplicar a curto, médio e longo prazo, para desenvolver e melhorar o que temos?

 

Sexta: Como gerir com inovação?

 

Projetar uma Política para o Território e para as Pessoas,  consiste na ousadia de desenvolver leituras estratégicas que valorizem as suas capacidades identitárias. Estes debates são contributos para a construção participada da estratégia política, assumindo a prioridade de valorizar as Pessoas, não só porque é fundamental para o seu desenvolvimento, mas também porque tem efeitos na economia regional e na empregabilidade.

Convidamos todos os marcoenses a participar e contribuir para a construção deste projeto político para o Território e para as Pessoas

 


publicado por João Monteiro Lima, às 18:55link do post | comentar

Recebemos da Associação Amigos do Rio Ovelha o seguinte pedido de divulgação

 

O ano de 2013 assinala os dez anos de existência da Associação dos Amigos do Rio Ovelha. Em Abril de 2003, deu-se o primeiro passo para a criação de uma Associação de consciencialização ambiental, preocupada com a defesa e conservação do património natural, paisagístico, arqueológico e cultural integrado na Bacia Hidrográfica do Rio Ovelha, abrangendo os concelhos de Amarante, Baião e Marco de Canaveses.
Por iniciativa de um grupo de amigos que partilham a paixão comum pela Natureza, ao longo destes 10 anos de atividade, várias foram as ações desenvolvidas, sempre focadas em atingir a harmonia e equilíbrio na relação Homem/Natureza, evitando prejuízos ou danos no Meio, advindos da intervenção humana.
Desde atividades de educação ambiental, através de ações de limpeza e sensibilização ambiental em escolas e para as comunidades locais, passando pela secção de fotografia de natureza, que ao longo desta década reuniu um espólio magnífico de belíssimas películas de paisagens e espécies florísticas e faunísticas, às atividade outdoor, tais como, a organização de caminhadas e criação de percursos pedestres e provas de BTT, desenvolvidas, respetivamente, pela secção de pedestrianismo e pela secção de BTT, muitos foram aqueles que acompanharam a AARO e contribuíram para o sucesso destas iniciativas. A todos eles, a AARO expressa o seu agradecimento e lança o desafio de os acompanharem por mais uma década, sempre com a mesma amizade e companheirismo. 
Para celebrar esta efeméride, irá estar patente no Museu Municipal Cármen Miranda, em Marco de Canaveses, uma retrospectiva desta década de trabalho em prol do ambiente e das atividades ao ar livre, até ao dia 21 de Abril. A inauguração realizar-se-á pelas 21h no dia 15 de Abril, estando toda a população, desde já, convidada a comparecer no arranque desta exposição


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO