Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
22
Jun 09
publicado por João Monteiro Lima, às 19:05link do post | comentar

Um pouco por todo o concelho (nem todas as freguesias tiveram direito nem a obras nem a placa) vemos  placas a elogiar obras feitas pela Câmara.

O texto diz qualquer coisa do género: "a obra nasce", seguindo-se depois a identificação da intervenção realizada.

Recentemente na freguesia de Santo Isidoro (onde vai para 4 anos  não há Assembleia de Freguesia), a população insurgiu-se contra a localização escolhida para a construção da capela mortuária mandada edificar pela Câmara num terreno que é pertença da Junta de Freguesia.

O abaixo-assinado subscrito por muitos habitantes da freguesia não demoveu Manuel Moreira da decisão tomada.

Depois houve uma reunião entre a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia de Santo Isidoro, tendo esta (e bem) decidido fazer-se acompanhar por 3 pessoas da freguesia e eventuais candidatos  (da CDU, do MDVNS e PSD, e do PS) a suceder a Alcino Jorge Vieira na presidência.

Nem este encontro com os candidatos e o Presidente da Junta foi suficiente para demover Manuel Moreira.

A Câmara manteve sempre a sua posição e nada parecia fazer voltar atrás na decisão.

No passado Sábado, a população voltou a encontrar-se nas imediações da Junta de Freguesia e voltou a manifestar-se contra a localização escolhida.

Avançadas várias possibilidades sobre o rumo a seguir para tentar impedir que a obra continuasse, entre outras uma eventual providência cautelar,  eis que, vá-se lá saber porquê (saber até se sabe, as eleições estão próximas e ...), a Câmara, através do Presidente, já hoje, decidiu suspender a obra, até se decidir uma nova localização. Mas, pasmem-se, obra continuou.

Da parte da tarde, já depois da presença de Manuel Moreira no local, a obra continuou com a montagem da grua.

Fica uma pergunta, a aguardar a resposta de Manuel Moreira: "Em que ficámos, é para suspender a obra e ela continua? ou suspender não implica parar?"

Em Santo Isidoro, a placa dirá: "a obra é para parar, mas continua"


Pois é, caro João, a mim também me faz confusão entender qual a necessidade de gastar (e não deve ser pouco) milhares de euros em placas que sinalizam obras feitas pela Câmara pois, não é essa a sua função? O que me disseram quando questionei a colocação de uma determinada placa numa obra que vai servir para dar catequese é que a condição do dr. Manuel Moreira para dar o donativo prometido era a colocação da dita e se ela desaparecesse podiam dizer adeus ao financiamento. Pois se a população elegeu um executivo para governar o concelho as (poucas) obras feitas não têm que ser publicitadas e muito menos com dinheiros públicos, visto estarmos em ano de eleições.
Não fazem mais que a sua obrigação.
mariahelenalves a 22 de Junho de 2009 às 21:14

Caro Amigo João Lima
Sou habitante de Santo Isidoro há 54 anos e gosto muito da minha freguesia.
Sou só habitante atento a todo que diz respeito a ela e não candidato nem tenciono ser durante os próximos anos seja ao que quer que seja, pois já tenho uma Associação para gerir que me tira todo o meu tempo disponível.
Em relação ao post que li hoje gostaria se me fosse permitido comentar e esclarecer algumas coisas que tomei conhecimento ultimamente.
Quanto ás placas a elogiar as obras feitas pela Câmara Municipal não tenho qualquer comentário porque acho que o comentário deve ser feito nas urnas nas próximas eleições.
Quanto ao problema da minha freguesia acho, não tenho a certeza que se deve esclarecer o processo desde o inicio como nos foi transmitido no dia 22 pelo Sr. Presidente da Câmara, Sr. Presidente da Junta, Sr. Jorge Baldaia e Sr. Agostinho Baldaia.
Houve de facto um abaixo-assinado e posteriormente um desenho com uma das várias localizações possíveis para a construção da Casa Mortuária (e não Capela Mortuária como foi escrito) e verificou-se que a obra está a ser edificada numa das soluções apontadas no dito abaixo-assinado e a localização no desenho.
Soube-se também que numa reunião havida na Câmara Municipal com a presença do Presidente da Junta e os candidatos das diversas listas conhecidas e concorrentes ás próximas eleições para a junta de freguesia, saiu ao que transpareceu um consenso alargado para construir mais ou menos no sitio em que está sê-lo agora.
Acho que quem informa deveria informar correctamente e não só em parte, porque se informarmos correctamente sem isenções é muito mais fácil a qualquer pessoa defender as suas ideias, não acham?
Não quero, nem ninguém necessita da minha modesta defesa, quem sou eu para tal, é a primeira e a ultima vez que apareço a comentar seja o que for, mas acho que o Povo de Santo Isidoro no qual me incluo necessita de uma boa informação.
Cumprimentos
Álvaro Baldaia – Habitante de Santo Isidoro que só quero ter uma opinião e poder decidir por mim.
Alvaro Baldaia a 23 de Junho de 2009 às 17:59

Caro Álvaro Baldaia,
O que me leva a visitar algumas freguesias são os laços que vou estabelecendo. Visito também freguesias e instituições do concelho sempre que, de alguma forma tal se impõe para poder desempenhar as funções que desempenho na Assembleia.
Passando por cima da denominação por mim utilizada, pelo que sei do abaixo-assinado o mesmo faz referência a duas soluções, sendo que uma delas (a segunda, se não estou em erro) seria a construção em local próximo (próximo, obviamente não significa o mesmo). Não sei se da tal reunião saiu um consenso alargado (aliás, há pessoas que nem são contra nem a favor do local escolhido) a favor da construção mais ou menos no sítio onde está a sê-lo, estes termos foram utilizados pelo Álvaro e não por mim. (mantenho que mais ou menos não significa exacto).Agradeço, registo e aceito a qualificação para o que considerou ser uma (minha) informação parcial e incorrecta.
Quanto ao resto há perguntas que deveriam merecer resposta: Se a Câmara decidiu baseado em estudos, ou decisões, não se entende o porquê do Presidente da Câmara ter ido ao local ontem? Nem o porquê de pôr em cima da mesa a construção no local? Como não se entende que ninguém da JF se tenha pronunciado no passado Sábado, sendo certo que o meu amigo Alcino não era obrigado a estar presente.
Quanto a considerar que ninguém precisa da sua opinião, também não seria eu que viria dizer que o seu texto visava defender alguém. Quanto ao querer ter uma opinião volto a frisar que foi esse motivo que me levou (e a quem me acompanhava) a ir a Santo Isidoro.
Abraço e volte mais vezes

Caro João Lima sou habitante da freguesia de Santo Isidoro e tenho acompanhado e participado em todos os movimentos promovidos para ouvir a opinião da população da minha freguesia. Pelo que tenho ouvido de certas pessoas, nomeadamente o nosso Presidente da Junta, cada um leu e interpretou o abaixo-assinado e as opções que foram dadas como quis ou lhe foi conveniente. Aqui o mais importante é a opinião dos habitantes da freguesia e uma grande maioria não quer construção da casa mortuária naquele local.
Concordo e subscrevo tudo o que aqui foi dito por si e tomo a liberdade de acrescentar: dada a situação em que a nossa freguesia se encontra não terá o nosso Exmo Presidente da Junta o dever moral de honrar quem o elegeu e também quem não o fez, habitantes de Santo Isidoro e levar em consideração a sua vontade?
Sem querer ferir susceptibilidades penso que deveriamos deixar de lado guerras e picardias desnecessárias e levar em conta o mais importante: Santo Isidoro não quer a casa mortuária naquele local e existem alternativas que estão a ser estudadas por pessoas nomeadas pelo Dr. Manuel Moreira em público na passada segunda feira. Então porque é que o Sr. Presidente da Junta teima em não mandar parar a obra e vitar gastos desnecessários, sim porque o empreiteiro não deve trabalhar de graça?
Marla Ferraz
Marla Ferraz a 24 de Junho de 2009 às 11:41

Caros Amigos João Lima e Marla Ferraz

Desculpem mas contra a minha postura na vida vou voltar atrás nas minhas decisões e cá estou eu de novo a pedir permissão para dizer mais o seguinte:
Pelo que li nos comentários ao meu comentário acho que não foi totalmente entendido e aquilo que escrevi possa não ter sido totalmente verdade o que não é o caso.
Tenho todo o gosto em recebe-lo na minha freguesia e na minha associação vindo só ou acompanhado seja de quer for será sempre bem vindo e o João sabes que isto é verdade.
Dá-me a impressão (e se não for verdade peço desculpa) que pensou que eu possa estar de acordo com a construção da Casa Mortuária no local em que está a ser construída, o que não é verdade porque se assim fosse não estaria a tentar ajudar a arranjar mais uma alternativa para a sua localização.
Quanto aos abaixo-assinados, desenhos e outros disse que disse que andam por ai a circular estou totalmente de acordo contigo Marla, mais para mim pouca ou nenhuma importância tem, porque o que tem mais importância é de facto SANTO ISIDORO a minha freguesia.
O que disse no meu anterior comentário foi tão somente o resultado da reunião havida no dia 22 pelas 13 horas junto á obra em construção e não é pela diferença de mais um metro menos um metro que vamos entrar em desacordo quando disse e com razão que (próximo, obviamente não significa o mesmo e que mais ou menos não significa exacto).
Quanto ao haver pessoas que nem são contra nem a favor, isso eu não sei pois não estava lá, mas que foi dito no dia 22 que na reunião havida na Câmara o consenso tinha sido alargado e que só foi retirado um espelho de água que o projecto contemplava isto foi e é verdade que eu ouvi.
Quanto à palavra sê-lo que eu utilizei quer mesmo dizer isso é que a obra continuava em construção, mas posso informar que desde hoje depois das 14 horas as obras pararam.
As perguntas que são formuladas no seguimento da sua resposta, eu como simples cidadão não tenho capacidade para responder.
Quanto à opinião concordo com o João nós devemos aparecer para formar uma opinião correcta.
Boa noite e possivelmente qualquer dia volto.
Um abraço – Álvaro Baldaia um simples habitante de Santo Isidoro
Alvaro Baldaia a 25 de Junho de 2009 às 01:30

Meus Caros,

Parece que Santo Isidoro é mesmo uma freguesia fora do normal, há já algum tempo!(vais para 4anos)
Quanto a essas placas de que o João fala e, ás freguesias que não tiveram direito nem a placa nem a obra, depois de uma pequena pesquisa, tirei uma conclusão, a edilidade, na pessoa de Manuel Moreira, apostou em fazer obras naquelas freguesias em que achava que podia ter alguns votos e que as listas que apoiava podiam ter algumas hipoteses de vencerem. No entanto, no caso de Santo Isidoro parece que os planos podem ter saído furados e Manuel Moreira em vez de ganhar votos poderá mesmo perder, com toda esta história da casa mortuária.
Está mais que provado que a população de Santo Isidoro não quer que a obra seja ali implantada, pois entendem que com aquela construção naquele local, os interesses de Santo Isidoro não são salvaguardados, pois entendem que naquele local deverá passar uma estrada, de maneira a ficar com uma via dupla tal como a avenida até à igreja e acham que aquele local carece de um estudo, pois não é qualquer freguesia que se dá ao luxo de ter um terreno como aquele, o que se deve à boa vontade de alguns que não pensaram no seu bolso quando foram junta.
Quanto à reunião havida na câmara municipal, ao que sei, o Sr. Jorge Baldaia defendeu sempre o alargamento da estrada, e o Sr. Alvaro Baldaia sabe tão bem quanto eu ou o João Lima, ou se calhar até melhor, que havia quem estava na reunião que não tinha opinião, porque segundo sei, essa pessoa disse-o na tal reunião que o Sr. fala que houve no dia 22, na qual não me foi possivel estar presente, o que para mim não ter opinião é muito mau, a não ser que não queiram estragar planos eleitorais a alguém, mas isso já são outras contas.
Quanto ao que diz Marla Ferraz, concordo que cada um tenha interpretado as coisas da maneira como lhe deu mais jeito, porque sejamos sinceros, é o pão nosso de cada dia da politica.
Relativamente ao facto de o Sr. Manuel Moreira ter dito para parar a obra e o Sr. "Presidente da Junta" de Santo Isidoro e o seu ajudante, não terem dito ao empreiteiro para parar as obras, penso que foi uma atitude de má fé que revela que estes querem construir a casa mortuária a toda a força durante este mandato, talvez para lá deixarem uma placa com o nome, visto que não têm nenhuma. Mas quero deixar aqui uma pergunta, será que o "Cabeça de lista da lista mais votada da Assembleia de Freguesia Santo Isidoro", Alcino Jorge, tem legitimidade para fazer esta obra sem ter assembleia de freguesia? Tem legitimidade para assinar qualquer contrato? Não está só em condições de assegurar os serviços minimos? Se alguém me souber responder, agradecia.
jmm a 25 de Junho de 2009 às 13:13

Depreendo que quem defende que o actual presidente da junta está a agir apenas para ter obra feita que pense, igualmente, que o sucessor fará o mesmo... Nessa altura estarei atento para perceber se o barómetro da freguesia está à mão de alguém.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Depreendo que quem defende que o actual presidente da junta está a agir apenas para ter obra feita que pense, igualmente, que o sucessor fará o mesmo... Nessa altura estarei atento para perceber se o barómetro da freguesia está à mão de alguém. <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Politquice</A> é isto! Não tem a ver com interpretações que cada um faça das situações, porque isso acontecerá sempre. Uns por pensamento próprio, outros com empurrões de cabeças pensantes. <BR><BR>Politiquice é colocar em causa uma obra que beneficia uma freguesia com legitimidades "balofas" e assinaturas de obras. <BR><BR>Quero lá saber o nome do presidente da junta que fez nascer uma casa mortuária. Interessa-me, sim, a dignidade que as pessoas merecem, no fim das suas vidas. <BR><BR>O interesse comum vale muito mais que uns metros de discordância!
VS a 25 de Junho de 2009 às 23:56

Caro VS

Não sei se é de Santo Isidoro ou não, mas também não interessa, quero apenas que saiba que não há ninguém, e quando digo ninguém, é mesmo ninguém, que não queira que a casa mortuária seja construída, toda a gente sabe que é benéfico, mas não é naquele lugar que deve ser construída, há outras possiblidades onde ficará uma obra muito mais digna, tal como a população de Santo Isidoro merece, porque aqui não há politiquices nenhumas! Legitimidade balofa como o meu caro lhe chama é querer fazer uma obra onde uma população não quer, deixemo-nos de coisas respeitemos a opinião do povo, pois é para eles que um presidente de junta deve trabalhar e quem acha que não deve ouvir a população, meus amigos esses estão a vier no tempo errado, deviam ter vivido à mais de 35 anos.

Cumprimentos

jmm a 26 de Junho de 2009 às 11:37

Meus Caros Amigos

Com tudo isto, fico sem saber qual a importância e competência da assembleia de junta. E assim sendo, tenho imensa dificuldade em compreender a legitimidade do Sr. Presidente de junta de Santo Isidoro para usar e abusar dos terreno que são propriedade da junta de freguesia, melhor dizendo, do POVO DE SANTO ISIDORO.
Será esta mudança tranquila como tanto foi anunciada?

Os meus cumprimentos,

Marco
Marco a 28 de Junho de 2009 às 14:21

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO