Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
26
Jun 09
publicado por José Carlos Pereira, às 13:15link do post | comentar

O jovem arquitecto paisagista marcoense Sérgio Pereira Pinto foi o vencedor, na categoria de jovens profissionais até 35 anos, do Prémio de Arquitectura Paisagista promovido pelo jornal Arquitecturas / Vibeiras. O seu trabalho consistiu numa proposta para um Parque Urbano em Marco de Canaveses, situado em Rio de Galinhas, "onde a reabilitação de um património construído (moinhos de água e aqueduto) e de uma tradição agrícola surge como conceito central".

A importância do prémio é reforçada pela presença no júri do consagrado arquitecto e antigo governante Gonçalo Ribeiro Telles, dos presidentes da Associação Portuguesa de Arquitectos Paisagistas e da International Federation of Landscape Architecture e do presidente europeu da International Federation of Parks and Recreation Administration.

Aí está um jovem valor marcoense a vencer numa área bastante exigente e a merecer que a autarquia abra as portas de um dos seus espaços nobres para divulgar o trabalho agora premiado.


Boa tarde, esqueceu-se de referir que este projecto vencedor de um prémio internacional foi encomendado ao arquitecto paisagista marcoense por outro jovem marcoense, Bruno Caetano, candidato do PS à Junta de Freguesia de Rio de Galinhas e que este é um projecto que só vai ser tornado realidade se o Bruno vencer as eleições de 11 de Outubro, ou seja, se for o próximo presidente de Junta de Rio de Galinhas.
Obrigado e desculpe a correção, ou acrescento. Tenho a certeza que foi fruto de um lapso ou de desconhecimento o facto de não ter referido este facto no texto original.
Cumprimentos,
Flávio Sousa
Flávio a 27 de Junho de 2009 às 19:51

O facto deste estudo ter resultado de um desafio do candidato à presidência da Junta de Rio de Galinhas, Bruno Caetano, não deve invalidar que o mesmo possa ser concretizado, independentemente do resultado das eleições. Salvo se o Bruno Caetano tiver colocado essa condição, o que não acredito. Conheço o candidato socialista - estivemos ambos na candidatura do PS em 2005 - e sei que as suas preocupações são dirigidas, em primeiro lugar, ao desenvolvimento da sua terra.

Não conheço o Bruno pessoalmente, mas não duvido do que diz. Acredito que ele põe a sua terra em primeiro lugar, ou não seria candidato num cenário nada fácil.
Se calhar foi um excesso de linguagem da minha parte, mas não duvidemos que será mais fácil defender o projecto como presidente de Junta! No entanto, o meu objectivo foi apenas o de reparar uma omissão que, tenho a certeza, não foi propositada.

Cumprimento,
Flávio Sousa
Flávio a 28 de Junho de 2009 às 14:23

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO