Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
11
Jul 09
publicado por J.M. Coutinho Ribeiro, às 18:07link do post | comentar

Sobre a reposta que Norberto Soares - sim, o post está assinado por ele - no seu blogue, quanto à minha previsão de que as eleições no Marco serão bipolarizadas entre Manuel Moreira e Avelino Ferreira Torres, acusa-me o leitor Telmo Ferraz de eu estar a laborar em confusão. Não estou. Confuso está o leitor.

Desde logo, porque em lado algum eu "arrumo" três candidatos. O que afirmei - e afirmo - é que só há dois com reais hipóteses de ganhar. E que, criada essa expectativa no eleitorado, haverá tendência para o voto útil em cada um deles. É apenas isso. Sem que tenha querido dizer, sequer, que as pessoas não devem votar nos candidatos da sua preferência, mesmo quando o que está em causa é optar entre o que há e o que houve num passado próximo.

É claro que eu respeito a opinião de quem pensa o contrário. E sobre essa questão, julgo que não tenho provas a dar.

O que me pareceu mal na resposta de NS foi o de ter pretendido bater, não na minha opinião, mas, sim, na pessoa de quem dá opinião, aludindo a lanches com AFT - foi só um cafezinho - e com MM - foram dois jantares, tudo em sítios públicos e com notícia dada. Por mim. Com autorização dos próprios.

Quanto ao mais, acredite que não me preocupa nada que haja candidatos que querem saber a minha opinião e outros que não querem. Se soubesse o tempo que eu perco... Além de que nunca sou eu que procuro as pessoas para dar a minha opinião. Estranho, contudo, que NS venha dizer que é dos que não querem ouvir a minha opinião. Estranho e é por isso que opto por não responder a NS, não vá dar-me para lhe recordar algumas coisas.

Confesso, por outro lado, que me espanta que se me impute qualquer tipo de animosidade contra NS. Será animosidade dizer o que se pensa?

Inexplicável é NS ter sentido necessidade de vir responder-me nos termos em que o fez. Alguém deveria explicar-lhe que um candidato autárquico comete um erro tremendo quando se atira aos comentadores de política local. Imagine-se o que seria o primeiro-ministro andar a protestar contras os colunistas de política nacional...

Por fim: quando fui candidato à Câmara, quem me dera que já houvesse blogues e ferramentas afins. Teria sido muito divertido. E muito útil. Porque eu saberia usá-las.

 


Caro Coutinho Ribeiro,
Nunca me passou pela cabeça, e penso que pela do NS também, que algum dia o considerasse papa jantares, lanches ou cafés. Se ler bem o post de NS, o que ele quer dizer é que o senhor defende mais as pessoas que lhe pedem conselhos e isso está implicíto no texto e no título da peça. Claro que foi o Movimento Marco de Verdade que escreveu a reposta, mas NS teve conhecimento do texto e com toda a certeza deu o seu aval, pois doutra forma o Movimento seria uma anarquia total.
Quanto ao essencial da questão, continuo a afirmar que o Coutinho Ribeiro tem todo o direitto a opinião, mas volto também a referir-lhe, que, neste momento, não tem base nenhuma sustentável para firmar que a luta eleitoral vai ser entre dois protagonistas.
Se Coutinho Ribeiro tivesse dito que gostaria que isso acontecesse. Tudo bem. Olhe! Eu também gostaria que o Norberto tivesse a maioria absoluta, mas sem bases sustentáveis, nunca direi que a luta vai ser entre Norberto e Manuel Moreira. Se escrevesse isso num blog meu, com marca de independente, seria tentar influenciar a tendência de voto e muito mais, quando fala em voto útil
Dirlher-ei com toda a firmeza e crença, porque não sou independente: o voto útil será votar em Norberto e explico porquê.
Dos cinco candidatos, ele é o único que tem melhores condições para vencer com base nesta análise: é respeitado no Marco. Não tem rabos de palha. Até agora os seus aparecimentos públicos têm sido muito parcipativos. Nas últimas eleições teve 34%, uma percentagem que nos últimos 25 anos ninguém conseguiu em relação ao vencedor. As pessoas conhecem o seu valor porque já esteve na gestão da Câmara e tem 20 anos de experiência autárquica. É domocrata e respeita as pessoas.
Manuel Moreira tem sido um fracasso em aparecimentos públicos(veja-se o que aconteceu hoje à tarde). tem sido vaiado e os seus 4 anos de gestão foram um fracasso. Avelino tem sobre si o estigma de ter abandonado o Marco e ter tentado Amarante e não me parece que os marcuenses se contente com os restos do concelho vizinho. A sua política está ultrapassada e a sua imagem desgastada.
Artur Melo, vale o que vale e se foi uma segunda escolha do PS é porque nem o seu partido acreditava nele. Isso foi público.
Quanto ao candidato da CDU, não me pronuncio porque não conheço, mas não me parece que tenha condições para ganhar estas eleições.
Como vê, esta análise é baseada em dados concretos e que todos conhecemos, mas influenciada pela minha proximação a NS.
Se conhcermos os dados em que se baseou Coutinho Ribeiro, para bipolarizar esta eleição, talvez até a nossa opinião mudasse.
Telmo Ferraz a 12 de Julho de 2009 às 20:39

Os factos desmentem-no, Caro Telmo Ferraz. Manuel Moreira nunca me pediu qualquer conselho e acabo como mandatário da sua candidatura.
E, quanto aos conselhos que me pedem ou não, ui. Haveria tanto a dizer sobre o assunto...

Neste texto, consideras estranho e pouco recomendável que o Norberto responda aos comentadores políticos locais, onde, e como tu próprio dizes, considerando que a resposta era para ti, te incluías.
No dia seguinte, já eras mandatário de MM. Desculpa lá, mas isto não bate certo. Parece-me que a partir de agora ninguém te deve levar a sério pois o que dizes num dia pode não ser o mesmo que no dia seguinte.
mariahelenalves a 13 de Julho de 2009 às 14:32

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO