Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
14
Jan 09
publicado por José Carlos Pereira, às 13:00link do post | comentar

Na primeira sessão da Assembleia Municipal após as eleições de 2001, intervim para fazer um balanço do acto eleitoral. Não podia, nessa ocasião, calar a denúncia do comportamento de Avelino Ferreira Torres e de alguns seus apaniguados a que me referi em post anterior:

“…O reparo negativo vai para os episódios ocorridos na noite das eleições. Muito embora já tenha decorrido todo este tempo, as atitudes protagonizadas pelo candidato Avelino Ferreira Torres junto à sede da candidatura do Dr. Coutinho Ribeiro, acompanhado por familiares e apoiantes, não podem deixar de ser aqui recordadas. Nessa noite, assisti a algo que me deixou perfeitamente incrédulo. Julguei que já tinha visto tudo o que era possível ver no que se refere a falta de respeito pelos adversários e a ausência das mais elementares normas de convivência democrática. Mas não. O estranho bailado do candidato Avelino Ferreira Torres à frente de alguns camiões, os quais cumpriam escrupulosamente as suas ordens e buzinavam o mais alto que podiam, assim como os gestos que dirigiu em direcção a todos aqueles que estavam na sede de candidatura foram insultuosos não só para quem aí se encontrava mas também para todas as pessoas que, em Portugal, acreditam na democracia.

Tenho para mim que mais importante que saber perder é saber ganhar. Respeitando quem perde e quem tem ideias diferentes das nossas, estamos a valorizar as nossas próprias vitórias. Quero acreditar, aliás, que muitas pessoas que hoje se encontram aqui em representação do CDS-PP – pessoas que eu conheço e respeito há muitos anos – sentir-se-iam envergonhadas se tivessem assistido a essas cenas pouco edificantes.

Porque estava lá nessa noite e porque me senti pessoalmente ofendido, continuo a aguardar por uma retractação pública do Senhor Avelino Ferreira Torres…”

tags: ,

Nessa noite, como em todas as noites de campanha, também lá estive...
Como foram "frias" essas noites de Inverno...
Estavamos à espera de tudo, sim tudo, menos de uma actitude tão "desesperante" da parte dos vitoriosos. (ainda hoje pergunto o porquê?) E claro de alguns que tinham andado, 4 anos antes, de "braço dado" com esses Senhores(???????)... Os mesmos, que queriam NS candidato pelo PSD em 2005 e que agora tanto "sabem" das candidaturas de FT e NS !!!!!!!!!!!! No mínimo é estranho...
Joaquim Mota a 14 de Janeiro de 2009 às 18:54

Porquê, Joaquim? É fácil. Porque eles chegaram a assustar-se. Se bem te recordas, só conseguimos arrancar com a campanha propriamente dita no segundo fim-de-semana (Fornos e Ariz). Foi apenas uma semana. Se tivéssemos tido outra semana os resultados teriam sido outros.
Depois, AFT fez aquele número deplorável porque foi assim que criou a sua força e os sues acólitos precisavam dessas manifestações. E quis também mostrar como ia ser nas reuniões de Câmara. E foi por isso que, como te recordas, fui ter com ele. Também para lhe dizer como iriam ser as reuniões de Câmara, sempre que ele entrasse por aí.
Aliás, numa reunião de Câmara ele chegou a dizer que eu nessa noite eu é que o provoquei... :-)

Ah. Quanto ao mais, para te dizer que no PSD do Marco já nada me espanta...

Sim é verdade, mas, no PSD no MArco ainda há quem "resista" pelos valores da Social Democracia, quem não se resigne a ver a "banda" passar. Só por isso foi possivel 2001 e 2005. Lembro-me de em 2001 ter "engalanado" o meu peugeot e andar pelas freguesias do Marco com a tua fotografia. Lembro-me de ver companheiros do meu PSD a olharem de lado para o "pópó engalanado"... Alguns com responsabilidades no PSD e na JSD local. Foi dificil sim, mas valeu a pena. Foi o início da Mudança...
Joaquim Mota a 15 de Janeiro de 2009 às 00:46

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO