Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
30
Jul 09
publicado por José Carlos Pereira, às 08:45link do post | comentar

A última edição do jornal "Tribuna Livre", órgão oficioso e agora também publicitário (!) da candidatura de Avelino Ferreira Torres volta a assestar baterias em Manuel Moreira, com os habituais textos apócrifos e com a "entrevista da quinzena", desta vez com o candidato à Junta de Fornos, Olímpio Almeida.

Os motivos de crítica são os do costume - falta de obras, festas e festinhas, motorista, carro, burocracia nos serviços e distância face às pessoas. A comparação é feita com o estilo todo-o-terreno do "fazedor" Ferreira Torres, homem que faz, seja como for e independentemente de haver ou não dinheiro para pagar.

Já escrevi aqui que este discurso tem de ser rapidamente desmontado. O jornal que chega a casa das pessoas é, para muitos, um veículo portador de verdades e é necessário dizer às pessoas o que efectivamente se passou em Marco de Canaveses durante vinte anos.

Curiosamente, o jornal de Ferreira Torres não dedica uma única linha a Norberto Soares ou a Artur Melo. Aparentemente, adoptou também a "teoria da bipolarização". Ferreira Torres parece ter concluído que a luta será entre si e Manuel Moreira e poderá ter entendido que não lhe interessa diminuir as candidaturas de Norberto Soares ou Artur Melo. Ou porque acredita que as votações destes candidatos não serão suficientemente fortes para interferirem na luta pela vitória, ou porque entende que quanto mais votos estes dois candidatos fixarem menos expressão terá o voto útil em Manuel Moreira.


Obviamente que o AFT sabe o que faz e a teoria da bipolarização não é exactamente como tem sido divulgada neste e noutros blogs. O que está em causa nestas eleições (e o AFT , dou-lhes os meus parabéns, sabe muito bem) é a luta pelos votos que tradicionalmente são do PSD e do CDS. Neste caso o seu alvo não são os votos daqueles candidatos a quem ele dificilmente vai conquistar a sua simpatia, sejam os votos naturais do Artur Melo ou das franjas mais à esquerda do PS. A luta para o AFT (e os outros candidatos próximos) é pela conquista dos votantes do actual presidente. Para quem vai dizer logo que este é uma posição idiota veja o que acontece noutros concelhos em que existem os ditos "independentes" e "ex-presidentes". Por exemplo Narciso Miranda atira-se com todas as suas armas ao actual Presidente de Matosinhos eleito pelo PS, pois são esses votos que ele tem que reconquistar e aqui o candidato do PSD/CDS agradece porque sabe que quem vota PSD ou CDS não vai votar Narciso ou Guilherme Pinto. E também ninguém PSD ou CDS vai votar (in)útil em Guilherme Pinto. Na minha opinião e para o benefício de Artur Melo não existe uma bipolarização mas antes uma divisão dos votos entre AFT , Manuel Moreira e mesmo Norberto Soares.
Jorge Valdoleiros a 31 de Julho de 2009 às 00:09

Não partilhamos do mesmo ponto de vista. Há menos de uma semana, em conversa que outro autor deste blogue testemunhou, um actual vereador do PS em Matosinhos congratulava-se com o facto do candidato do PSD, José Guilherme Aguiar, ser um nome conhecido, porque assim fixava o eleitorado PSD e limitava a capacidade de Narciso penetrar no eleitorado social-democrata. Às vezes, as coisas não são tão simples como parecem...

Eu não sei em que o comentário desse actual vereador do PS é contraditório do que eu disse. Todos concordamos que a candidatura de Guilherme de Aguiar fixa o eleitorado do PSD (e já agora o do CDS também). A conclusão a que eu cheguei em nada é contrariada pelo vereador pois como é óbvio Narciso Miranda e Guilherme Pinto tem de DIVIDIR os votos do eleitorado comum. O mesmo se passa no Marco em que a divisão do eleitorado é entre Avelino Ferreira Torres, Manuel Moreira e Norberto Soares. As mesmas semelhanças entre os dois concelhos repetem-se na questão de ambos os partidos do poder estarem por um lado em pânico com os ditos "independentes" e por outro estes estarem a ser assumidos por eles como grandes favoritos. A semelhança ainda é maior quando os mesmos partidos de poder não quererem admitir que vão ser estes "independentes" que lhes vão roubar os votos.
A grande oportunidade realmente existe para os verdadeiros candidatos da mudança respectivamente Guilherme Aguiar e Artur Melo.
Jorge Valdoleiros a 31 de Julho de 2009 às 18:17

Pois....
Regressei agora mesmo de férias e soube de duas "sondagens" que foram feitas na nossa terra.
Valores interessantes....
E ainda há quem diga que não há bipolarização....
Vejam os valores das duas sondagens tão idênticos.... Depois não se escandalizem....
paulo a 4 de Agosto de 2009 às 19:16

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO