Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
23
Nov 09
publicado por José Carlos Pereira, às 23:45link do post | comentar | ver comentários (2)

O JN de hoje faz manchete com o aumento do número de famílias carenciadas que recorrem aos apoios da Acção Social Escolar. A crise que se faz sentir, o aumento do desemprego e a depauperação dos rendimentos familiares estão na origem desse crescimento.

Entre os concelhos do distrito do Porto que registam um aumento dos apoios no âmbito da Acção Social Escolar também está, sem surpresas, Marco de Canaveses.


publicado por José Carlos Pereira, às 00:15link do post | comentar | ver comentários (8)

É verdade. Depois das eleições autárquicas, fiquei à espera de receber o "Tribuna Livre" para saber como é que os seus comentadores interpretavam a derrota de Avelino Ferreira Torres e a vontade expressa pelos marcoenses em 11 de Outubro.

Depois de lançarem as maiores atoardas sobre os seus adversários, os "jornalistas" e comentadores do "Tribuna Livre" ficaram calados. Faltaram os "patrocinadores" para suportar mais uma edição do jornal? A imprensa portuguesa ficou mais pobre...

tags:

22
Nov 09
publicado por José Carlos Pereira, às 11:00link do post | comentar

O Conselho de Prevenção da Corrupção determinou que as entidades que gerem dinheiro ou património públicos têm de elaborar o Plano de Gestão de Riscos de Corrupção e Infracções Conexas até ao final de 2009. Nesse conjunto de entidades encontram-se, naturalmente, as autarquias locais.

O JN de quinta-feira passada dizia que a Câmara do Porto concluiu esse plano em Outubro e que o mesmo foi distribuído ao executivo na última reunião. Segundo a notícia, a maioria das autarquias da Área Metropolitana do Porto está já a elaborar os respectivos planos. Razão para perguntar o que se passa a este nível na Câmara de Marco de Canaveses. Estará em curso a elaboração do dito plano preventivo contra a corrupção? Já terão sido identificadas as áreas de maior susceptibilidade?

Quando vemos que, no caso da Câmara do Porto, as principais debilidades estão relacionadas com as áreas do licenciamento urbanístico, da contratação pública, da fiscalização e da concessão de benefícios, não é difícil de imaginar que o mesmo se passará em muitos outros municípios. Razão para estarmos atentos e vigilantes e redobrarmos os cuidados.

Estou convicto que estes planos, se levados a sério, poderão ser um forte contributo para diminuir a...tentação. E a existência de um Gabinete de Auditoria e Controlo Interno, como sucede no Porto, seria um bom passo para monitorizar a organização autárquica.


21
Nov 09
publicado por António Santana, às 14:14link do post | comentar | ver comentários (1)

A 2 de Novembro de 2008, escrevi o texto que a seguir coloco. Um ano depois vejo que continua actual e que se nada se fizer as democracias poderão apodrecer pouco a pouco e a vivência social tornar-se-á mais complicada. Cada vez se torna mais importante valorizar a formação e a educação. Parece-me cada vez mais ajustada a frase que vi há dias : " porque nos preocupamos tanto em deixar um bom mundo para os nossos filhos e não nos preocupamos em deixar uns bons filhos para este mundo ?".

 

 2 Novembro 2008

As várias crises.

A solução para a actual crise económica não é a injecção constante de dinheiro nas instituições financeiras, simplesmente porque esta crise não é apenas uma crise monetária. É muito mais do que isso. É a falta de valores sociais como a ética, honestidade e transparência. Estes valores que deveriam conduzir as empresas, as pessoas e as famílias foram abandonados, favorecendo o novo imperador "dinheiro". Este imperador não conhece esses valores, apenas quer resultados e mais resultados, ainda que estes resultem de situações fictícias. Os exemplos são mais do que muitos e se as off shores são uma aberração dos gurus financeiros, apoiadas por lobbies políticos e económicos, a vivência social também se tornou uma verdadeira corrida à falsidade. É o recurso a crédito para pagar crédito, é a demonstração de que se é tanto mais rico quanto maior é a capacidade de endividamento, é a ultrapassagem do essencial pelo acessório. Falar verdade hoje é visto como ingenuidade e ignorância, o que importa é dizer aquilo que se quer ouvir. Adormecer as mentalidades é mais importante do que acordá-las e pô-las a pensar. Enquanto não se restaurarem valores essenciais para o humanismo, esta e outras crises poderão ser temporariamente ultrapassadas, mas não se consolidará uma sociedade justa e equilibrada e outras crises se seguirão, entre elas a crise ambiental cujas consequências serão de difícil solução.

Por antonio santana


publicado por José Carlos Pereira, às 00:15link do post | comentar | ver comentários (2)

O número de desempregados em Marco de Canaveses diminuiu em Outubro, segundo os dados mais recentes publicados pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional. O número de marcoenses inscritos no Centro de Emprego de Amarante desceu de 3.588 em Setembro para 3.550 no final do mês passado - um recuo que vem na linha da estabilização sentida no final do terceiro trimestre.

Com estes indicadores, o concelho de Marco de Canaveses desceu mais um lugar e é agora o sexto município com mais desempregados na região do Tâmega e Sousa, tendo sido ultrapassado por Paços de Ferreira, que conta com 3.574 pessoas atingidas pelo desemprego e que inclusivamente ultrapassou Penafiel (desceu para 3.570). Os concelhos que lideram a tabela continuam a ser Paredes (baixou para 5.546), Amarante (subiu para 3.932) e Felgueiras (aumentou para 3.794).


20
Nov 09
publicado por José Carlos Pereira, às 08:45link do post | comentar | ver comentários (1)

Com a notícia do JN da passada segunda-feira (ver aqui) abriu-se uma verdadeira caixa de pandora sobre a toponímia marcoense. Todos os principais órgãos de comunicação quiseram pegar no assunto - Ferreira Torres, na realidade, é um verdadeiro fétiche para a comunicação social nacional. Ontem foi a vez do "Diário de Notícias" e da SIC, no programa "Nós por cá".

Entretanto, posso adiantar que a Comissão Municipal de Toponímia, tal como Manuel Moreira disse ao DN, será empossada na próxima semana, mais precisamente no dia 24, terça-feira, às 19 horas.


publicado por José Carlos Pereira, às 00:10link do post | comentar

O Conselho de Ministros aprovou ontem a nomeação dos governadores civis para todo o país. A nova Governadora Civil do Porto é Isabel Santos, ex-deputada à Assembleia da República e candidata pelo PS à presidência da Câmara de Gondomar nas últimas eleições autárquicas.


19
Nov 09
publicado por José Carlos Pereira, às 00:15link do post | comentar

O ex-presidente da Junta de Freguesia de Santo Isidoro, Alcino Vieira, reenviou-nos uma nota a dar conta da nova plataforma digital autarquias.org, dinamizada pela PartilhOpinião - Associação para Valorização da Cidadania:

 

"Caro cidadão

A partir de hoje, tem ao seu dispor a plataforma autarquias.org.
Com o
autarquias.org os cidadãos podem alertar os municípios para as mais variadas situações, desde Lixos na via pública, postes de iluminação que não funcionam, buracos na via pública, equipamento danificado, problemas nos abastecimentos, ou outros tipos de problemas, que muitas das vezes as Câmaras Municipais não têm conhecimento.
Os cidadãos podem acompanhar as respostas das autarquias aos alertas apresentados por outros cidadãos, como também participarem nesses mesmos alertas adicionando comentários.
O
autarquias.org permite também a criação de debates por cidadãos que pretendem discutir assuntos que lhes pareçam pertinentes com outros cidadãos e com o próprio município ou questionar a autarquia sobre um assunto do interesse de todo o município., como também a abertura de petições.
Participe neste projecto.
www.autarquias.org"
 

 


18
Nov 09
publicado por J.M. Coutinho Ribeiro, às 13:19link do post | comentar | ver comentários (3)

Paulo Silva, no outro blog, prossegue o seu delírio. Ainda mal refeito da derrota que o seu candidato, Avelino Ferreira Torres, sofreu nas últimas autárquicas, viu o seu caminho a estreitar-se e começa a deixar vir à tona o seu verdadeiro carácter. Para PS, a política não é mais do que um meio de alpinismo social e profissional. O problema não seria grave - cada um é como é - se PS não tivesse o despudor de julgar todos pela sua bitola. Não percebe o homem que há pessoas que encaram a política como um exercício de cidadania e até com um certo sentido lúdico. Para PS, contribuir desinteressadamente para o bem comum deve ser coisa estapafúrdia e sem sentido. Por isso, PS anda a germinar uma patética teoria da conspiração, um conluio entre Rui Cunha e eu próprio para assaltar o poder no PSD-Marco, a pensar nas próximas autárquicas. A teoria de PS esbarra, porém, num facto que é incontornável: as pessoas conhecem-me e começam a conhecê-lo. Logo, o seu crédito é nulo.

tags:

publicado por José Carlos Pereira, às 12:45link do post | comentar | ver comentários (1)

O editorial do semanário "Expresso" faz uma análise sucinta da aplicação do Rendimento Social de Inserção a partir de um exemplo que veio a público recentemente, envolvendo uma família marcoense.

Sem querer fazer considerações sobre o caso concreto, limito-me a concordar com o editorialista quando escreve que "o dinheiro que pagamos poderá ser certamente muito mais bem aplicado em pessoas que necessitem mesmo. E não em famílias que têm um património muito superior à generalidade daqueles que estão a contribuir para o sistema. Para a família em causa."


publicado por José Carlos Pereira, às 08:45link do post | comentar

O jornal "A Verdade" dizia, na sua última edição, que continuava por instalar a Junta de Freguesia de Penha Longa, devido a divergências entre as forças políticas quanto à composição do executivo. Recorde-se que o PSD venceu as eleições naquela freguesia, com quatro mandatos mas sem maioria absoluta. As duas candidaturas independentes tiveram dois mandatos cada uma e o PS alcançou um mandato.

Segundo o jornal, o caso de Penha Longa já foi participado à Comissão Nacional de Eleições e ao Governo Civil do Porto.


publicado por José Carlos Pereira, às 00:15link do post | comentar

A Radical Bike escreveu-nos a divulgar a realização da prova "BTT Valboa", em Vila Boa do Bispo, Marco de Canaveses, no próximo domingo, dia 22 de Novembro. O cartaz da prova pode ser consultado aqui.


17
Nov 09
publicado por José Carlos Pereira, às 19:35link do post | comentar | ver comentários (2)

A edição online do jornal "A Verdade" dá conta que a Estradas de Portugal anunciou hoje que as obras na variante à EN 211, entre o nó da A4 e a ponte de Canaveses, terão início no próximo mês de Dezembro.Trata-se de um investimento de 1,4 milhões de euros e com um prazo estimado de 60 dias.

Esta intervenção, num traçado que tem registado inúmeros acidentes, com vítimas mortais, era há muito reivindicada pelas populações e pelas autarquias, tendo o Marco 2009 assinalado aqui por várias vezes a urgência desses trabalhos.


publicado por José Carlos Pereira, às 12:45link do post | comentar | ver comentários (3)

O comunicado em que Rui Cunha anuncia que não será candidato à liderança da concelhia do PSD/Marco nas próximas eleições merece uma análise cuidada. Cunha não é um quadro qualquer do PSD – foi vereador na recta final do mandato 2001/2005, quando substituiu Coutinho Ribeiro, foi o segundo colocado nas candidaturas à Assembleia Municipal em 2005 e 2009, liderando a bancada social-democrata, foi membro da Assembleia da Comunidade Urbana do Tâmega entre 2005 e 2009, presidiu à concelhia do PSD entre 2006 e 2008 e integra os órgãos distritais do partido – pelo que as suas palavras são reveladoras de uma surpreendente falta de sintonia entre os principais responsáveis da ala social-democrata identificada com a maioria autárquica.

Quando vi a lista que Rui Cunha liderou no passado sábado nas eleições para a Assembleia Distrital do PSD pensei que essa corrente estava em total comunhão de ideias. Uma lista com o presidente da Assembleia Municipal, os vereadores militantes do partido, o recente mandatário da candidatura autárquica e antigo candidato à presidência da Câmara, deputados municipais, presidentes de Juntas de Freguesia, o presidente da JSD/Marco, um antigo deputado e presidente da Assembleia Municipal e destacados militantes com história no partido mostrava que Rui Cunha agregava várias sensibilidades e parecia reunir as condições para liderar uma candidatura à concelhia.

No entanto, terá havido factos recentes que levaram Rui Cunha a concluir que o seu nome não era o mais desejado, colocando-se à margem da corrida. De forma irreversível? Veremos. O que sei é que estando o PSD no poder autárquico seria natural ter nos órgãos do partido dirigentes qualificados, focados no trabalho partidário e disponíveis para contribuir para o sucesso dos autarcas em funções. Creio que a opinião de Manuel Moreira, que agora é militante da concelhia marcoense, será determinante em todo este processo.

tags: ,

publicado por José Carlos Pereira, às 00:40link do post | comentar | ver comentários (4)

Dei aqui nota há alguns dias da constituição da Comissão Municipal de Toponímia, aprovada na primeira reunião do novo executivo marcoense. Aos nomes que então avancei - Lino Tavares Dias, Hernâni Pinto e eu próprio - o jornal "A Verdade" acrescentou os de Manuel Soares Barbosa, antigo responsável pelo serviço público de electricidade no concelho, Joaquim Ferreira Santana, candidato à Câmara pela coligação PSD/PS em 1983, Emília Marques Oliveira, professora e candidata suplente pelo PSD à Câmara Municipal nas últimas eleições, e Maria da Conceição Leite Pinto.

Entretanto, o JN de ontem publicava uma notícia sobre a matéria que continha algumas imprecisões, desde logo quando dizia que a Comissão de Toponímia foi constituída no mandato anterior. É verdade que essa constituição foi então sugerida pelo PS, por minha iniciativa, mas a sua criação, como vimos, ocorreu apenas em cinco de Novembro último.

Quanto às extrapolações feitas na notícia do JN a partir de uma fonte (!) da Comissão, limitei-me a comunicar ao presidente da Câmara a minha estranheza por haver fontes não identificadas no âmbito da novel Comissão.

Como é meu hábito, só farei comentários públicos sobre matérias que envolvam a Comissão Municipal de Toponímia depois de intervir formalmente no local próprio.


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO