Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
14
Abr 10
publicado por José Carlos Pereira, às 08:45link do post | comentar

O PSD/Marco vai a eleições no próximo sábado, repetindo a disputa de 2008 – José Cruz contra Rui Cunha.

A candidatura de José Cruz está alinhada com a corrente que tem dominado o PSD nos últimos anos, com excepção do período, entre 2006 e 2008, em que Rui Cunha presidiu à Comissão Política Concelhia. Contudo, esse domínio não se tem traduzido em contributo activo para os resultados eleitorais autárquicos do PSD, uma vez que Albino Cruz e José Cruz tiveram de aceitar as candidaturas à Câmara de Coutinho Ribeiro (2001) e Manuel Moreira (2005 e 2009), sem que pudessem interferir na estratégia e na composição das respectivas listas. Aliás, deram sempre sinais públicos de distanciamento face àqueles candidatos e particularmente perante a governação de Manuel Moreira.

José Cruz procurará capitalizar alguma proximidade ao novo vice-presidente do PSD Marco António Costa, mas isso não será o cartão-de-visita mais recomendável para apresentar aos militantes. O que Cruz terá de explicar é o modo como pretende articular-se com a maioria PSD na autarquia, já que não é natural que, no início de um novo mandato autárquico, alguém se apresente a eleições partidárias manifestando-se contra as opções do executivo do mesmo partido.

A um líder partidário não basta ganhar eleições internas e tratar das comezinhas tarefas burocráticas. É necessário pensar o concelho e, estando no poder, contribuir para essa governação, ainda que possa ser crítico nesta ou naquela questão particular. Não me parece que Cruz esteja em condições de manifestar solidariedade política a Moreira e aos restantes autarcas. Nem sequer que o pretenda fazer. O que levanta a seguinte questão: para lá das contabilidades internas, o que pretendem fazer pelo PSD/Marco José Cruz e a sua equipa?


publicado por J.M. Coutinho Ribeiro, às 01:21link do post | comentar

 

Nas próximas eleições para a liderança do PSD/Marco voto na lista de Rui Cunha. Obviamente. E é, desde logo, um voto pela positiva. Em 2001, quando fui candidato à presidência da Câmara do Marco, nas terríveis condições em que o fui, Rui Cunha foi solidário desde o princípio. Foi o nº 2 da lista para a Câmara, mas deixou sempre a sua disponibilidade para ceder o lugar a quem pudesse desempenhar o lugar melhor do que ele. Fizemos essa campanha juntos, quando havias poucos capazes de o fazer, fosse por medo de Avelino Ferreira Torres, fosse porque a "teia" dos interesses se sobrepunha ao PSD e ao Marco. Já nessa altura eu soube o que era ter a estrutura do PSD local contra. E a estrutura do PSD local eram os irmãos Cruz. Os mesmos que, agora, são os adversários de Rui Cunha. Os mesmos que, em 2005, tentaram torpedear a candidatura de Manuel Moreira. Os mesmo que, em 2009, insistiram em sabotar a campanha do PSD. Donde, o meu voto em Rui Cunha é, também, um voto pela negativa: um voto contra quem vê os partidos como uma forma de ascensão pessoal. Um voto, pois, contra os irmãos Cruz (contra aqueles dois, que contra os outros não tenho nada).

Se Rui Cunha perder as eleições, eu perdê-las-ei com ele (tal como aconteceu nas últimas). Se ele as ganhar, sabe que não ficará a dever-me nada. Nada. O passado recente confirma-o. Nos últimos dias da campanha para as autárquicas, em que não regateei esforços para que Manuel Moreira ganhasse e ganhasse com maioria absoluta, fiz questão de esclarecer que, se tal viesse a acontecer, o meu ciclo político no Marco estaria terminado. E terminou. Fui votar nas eleições para a liderança nacional do PSD e para os delegados ao congresso e nada mais. Desde a tomada de posse (ou do Plenário de Militantes que se seguiu?) falei duas vezes telefonicamente com o presidente Manuel Moreira - sobre questões do partido - e nunca mais nos encontrámos. Nem havia necessidade. Tal como sublinhei na altura, a minha função de mandatário esgotava-se na função. O Marco estava livre. Os eleitos que tocassem guitarra, porque foi para isso que foram eleitos. Deixei, inclusivamente, de intervir civicamente na blogosfera local. Trata-se, pois, de um regresso pontual: para manifestar o meu apoio a Rui Cunha e para contribuir para que o PSD do Marco se livre definitivamente dos irmãos Cruz. Porque Rui Cunha quer ajudar - eles só estragam. Pouco, mas estragam. Pela inutilidade maldosa.


13
Abr 10
publicado por José Carlos Pereira, às 21:30link do post | comentar

Já escrevi aqui que conheço mal Rolando Pimenta – os breves minutos em que falámos ontem no final da apresentação do livro de José Luís Carneiro, no Porto, foram a nossa conversa mais demorada. Pimenta, tanto quanto sei, aderiu ao PS após as eleições de 2005, ainda sob a liderança de Luís Almeida, e entrou para os órgãos dirigentes pela mão de Artur Melo, em 2008. Depois, no período que antecedeu as autárquicas de 2009, renunciou ao cargo de mandatário financeiro e após as eleições demitiu-se dos cargos que ocupava no partido.

Independentemente do que pensa para o partido e para o concelho – aquela ideia da nova centralidade a partir de Alpendorada, que foi abraçada inicialmente também por Artur Melo, carece de maior ponderação e sustentação – Rolando Pimenta teve a coragem de assumir a sua candidatura antes mesmo de Artur Melo anunciar que não era candidato na Convenção Autárquica de meados de Março. E o facto de Artur Melo ter recuado nas intenções pouco depois, não o demoveu. Mostrou assim que era muito o que o separava de Melo e que pretendia lutar por essa diferença. Evidenciou também nos seus propósitos que não está obcecado com uma candidatura à Câmara, o que é sempre bem acolhido pelos militantes.

No momento em que se perspectivava como único candidato em cena, Pimenta procurou fazer a ponte com todas as sensibilidades e apelar ao envolvimento dos históricos do partido, um sinal entendido de forma muito positiva por militantes e simpatizantes do PS. Depois, já com Melo na corrida, apresentou as suas ideias, dirigiu-se aos militantes e constituiu uma equipa que reúne pessoas com passado relevante no partido, algumas das quais tinham estado com Artur Melo anteriormente.

Rolando Pimenta e aqueles que o acompanham dão um forte contributo para clarificar as opções no interior do partido e esse esforço é, por si só, muito importante para a vitalidade do PS/Marco, independentemente do resultado que obtenham.


publicado por José Carlos Pereira, às 18:30link do post | comentar

O candidato à presidência da Comissão Política Concelhia do PSD/Marco, Rui Cunha, fez-nos chegar os testemunhos de apoio à sua candidatura da parte de Manuel Moreira, presidente da Câmara Municipal, e de vários presidentes de Junta de Freguesia.

Para ler aqui a mensagem de Manuel Moreira e aqui o testemunho de autarcas de freguesia.

 

Adenda: Rui Cunha enviou-nos também a manifestação de apoio de António Coutinho, presidente da Assembleia Municipal. Para ler aqui.

 


publicado por José Carlos Pereira, às 13:15link do post | comentar

As eleições no PS/Marco devem contribuir, a meu ver, para clarificar o rumo que os militantes do partido pretendem seguir, de modo a reforçar a capacidade de intervenção do PS na esfera de intervenção local e regional. No PS, a eleição da Comissão Política Concelhia decorre pelo método de Hondt, pelo que, havendo duas listas, haverá sempre uma corrente minoritária, que poderá ter mais ou menos representantes nesse órgão, em função da votação que colher.

Um resultado muito aproximado entre as duas listas, pela forma como tem decorrido este período pré-eleitoral, poderá deixar marcas que em nada contribuirão para a referida clarificação. Esperemos pelos resultados do próximo sábado e pelo comportamento futuro de vencedores e derrotados.

tags:

publicado por José Carlos Pereira, às 12:45link do post | comentar

O “Jornal de Notícias” de ontem dava atenção ao facto das embarcações comerciais estarem proibidas de navegar no rio Douro desde o início do ano, afectando muito a actividade exportadora dos industriais de granito que utilizam os cais de Várzea do Douro (Marco de Canaveses) e Sardoura (Castelo de Paiva). Segundo o jornal, algumas empresas já suspenderam a produção e crescem os prejuízos registados com esta situação.

O Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos defende que o caudal do rio não tem permitido a eclusagem em condições de segurança. Contudo, o facto dos barcos comerciais estarem impedidos de navegar e o mesmo não suceder com as embarcações turísticas aumenta a incompreensão e os protestos dos empresários atingidos.


12
Abr 10
publicado por José Carlos Pereira, às 18:15link do post | comentar

À entrada da última semana de campanha para a eleição dos órgãos concelhios de Marco de Canaveses de PS e PSD deixarei aqui a minha visão sobre esses actos eleitorais. O  que sei de ambos os partidos?

Relativamente ao PS/Marco, devo dizer que fiquei a conhecer suficientemente a sua estrutura na campanha eleitoral de 2005, quando liderei, como independente, a lista candidata à Assembleia Municipal. No que diz respeito aos candidatos, conheço melhor Artur Melo do que Rolando Pimenta e quem acompanha este blogue desde o início sabe das minhas divergências políticas com Artur Melo, na sequência das posições que tomou enquanto líder do PS.

Quanto ao PSD/Marco, ignoro a sua estrutura interna - lembro que deixei de ser militante em 1987 - já que a minha experiência como deputado municipal independente entre 2001 e 2005 fez-se à margem dos órgãos desse partido. No que concerne aos candidatos, posso dizer que conheço mal José Cruz e que sou amigo de Rui Cunha desde os bancos da escola secundária. Esse lastro de convivência e amizade facilitou o nosso relacionamento político - de aliados em 2001 a adversários entre 2005 e 2009.

Está feita a minha "declaração de interesses".


publicado por J.M. Coutinho Ribeiro, às 17:28link do post | comentar

Luís Vales merece ser felicitado por ter sido escolhido para o cargo de secretário-geral-adjunto do PSD. Mas também o nosso conterrâneo Nélson Soares, aluno do mestrado em Arquitectura Paisagista da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), vencedor do prémio ibero-americano Jovem Arquitecto Paisagista, o merece. Felicitações aos dois, portanto. Nunca é demais sublinhar o mérito dos marcuenses.


publicado por José Carlos Pereira, às 08:45link do post | comentar

O candidato à presidência da Comissão Política Concelhia do PSD/Marco, Rui Cunha, enviou-nos para publicação um texto em que elenca as cinco principais razões que o levaram a candidatar-se. No mesmo documento ficamos a saber que os candidatos a vice-presidentes da Concelhia na sua lista serão Gil Mendes e Zita Freitas e que José Mota, vice-presidente da Câmara, será candidato a presidente da Assembleia Concelhia.

O texto de Rui Cunha pode ser lido aqui.


11
Abr 10
publicado por José Carlos Pereira, às 22:50link do post | comentar | ver comentários (5)

Marco de Canaveses deixou de ter qualquer representante eleito nos órgãos nacionais do PSD, após o congresso que hoje terminou. Luís Vales não foi reeleito para o Conselho Nacional e apenas Manuel Moreira terá direito a participar neste órgão, embora sem direito a voto, na qualidade de primeiro eleito na Câmara Municipal.

Atendendo à proximidade de Luís Vales face a Pedro Passos Coelho e ao novo vice-presidente Marco António Costa é de admitir que Vales venha a ser indicado para um lugar na estrutura dirigente do partido.

Dos instantâneos televisivos do congresso, deu para ver Luís Vales, na tarde de sábado, sentado ao lado de Pedro Passos Coelho e Fernando Ruas a ouvir alguns congressistas, assim como Manuel Moreira, na manhã de hoje, à conversa com Nunes Liberato, chefe da Casa Civil do Presidente da República.


publicado por José Carlos Pereira, às 10:00link do post | comentar

O presidente da Câmara de Baião e candidato à presidência da Federação Distrital do Porto do PS, José Luís Carneiro, apresenta amanhã, ao fim da tarde, no Ateneu Comercial do Porto, o seu livro "Horizontes - Reflexões Políticas".

A obra será apresentada pelo antigo deputado e secretário de Estado José Lamego e sobre o autor falará o professor baionense Pereira Cardoso.


publicado por José Carlos Pereira, às 00:30link do post | comentar

O leitor Paulo Azevedo escreveu-nos para divulgar a realização da 7ª Maratona BTT em Sandim, Vila Nova de Gaia. O evento decorrerá no dia 25 de Abril, a partir das 8h30.


10
Abr 10
publicado por José Carlos Pereira, às 11:00link do post | comentar

A corrida de Rui Cunha para a liderança do PSD/Marco está em marcha. Depois do seu movimento de apoio ter vindo declarar a adesão de muitos militantes à candidatura, incluindo vários antigos e actuais autarcas, entre os quais o presidente da Câmara, Manuel Moreira, o próprio candidato já iniciou a campanha na rede social Facebook.

Resta esperar que Rui Cunha venha dizer o que o fez entusiasmar-se de novo, motivando uma candidatura que já tinha sido posta de parte. Rui Cunha tem de explicar o que pretende para o PSD, o que o diferencia da actual liderança de José Cruz, de que modo vai concertar a sua estratégia com o executivo autárquico e o que traz de novo neste seu potencial regresso à presidência do PSD/Marco.


publicado por José Carlos Pereira, às 00:15link do post | comentar

O marcoense Nélson Soares, aluno do mestrado em Arquitectura Paisagista da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), venceu o prémio ibero-americano Jovem Arquitecto Paisagista com o projecto do Parque Equestre de Abambres, em Vila Real. O "JN" de ontem destacava ainda que uma aluna brasileira da Universidade de São Paulo foi distinguida com uma menção honrosa.

Um prémio que vem incentivar a carreira e estimular a capacidade criativa deste futuro arquitecto paisagista natural de Soalhães.

 

Deixo aqui os parabéns e um abraço para Nélson Soares, filho do meu primo José Arouca Soares, vice-presidente da AH dos Bombeiros Voluntários e candidato à presidência da Junta de Freguesia de Soalhães nas últimas autárquicas.

 


09
Abr 10
publicado por José Carlos Pereira, às 12:45link do post | comentar | ver comentários (1)

O XXXIII Congresso do PSD, que decorre de hoje até domingo, em Carcavelos, contará com seis delegados oriundos de Marco de Canaveses. José Cruz, Joaquim Madureira da Silva e Vítor Gonçalo são os delegados eleitos pelos militantes marcoenses e o presidente da Câmara, Manuel Moreira, foi eleito pelos autarcas do PSD.

Os deputados municipais Luís Vales e Luís Pereira Pinto são delegados eleitos pela JSD. O primeiro é vice-presidente da JSD, membro do Conselho Nacional do PSD e da Comissão Política Distrital do PSD. O segundo é presidente da JSD/Marco e membro da Comissão Política Distrital da JSD.

tags:

pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO