Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
14
Nov 10
publicado por António Santana, às 11:15link do post | comentar | ver comentários (12)

Vejo que se continua insistentemente a questionar as opções de Manuel Moreira no que diz respeito aos vários dossiers herdados do anterior mandato. Também eu já tive dúvidas quanto ás opções tomadas mas, por cada dia que passa,verifico que Manuel Moreira tem razão. E tem razão porque não pactuou com os abusos das empresas que sem qualquer ética se aproveitaram dos péssimos negociadores que estavam a comandar os destinos da Câmara Municipal e que não se importaram com as consequências dos actos que estavam a praticar. E não me refiro apenas ao Contrato da água mas também aos dos terrenos de Rio de Galinhas, Cine-Teatro e outras obras feitas sem qualquer base legal.

Paralelamente, no nosso País verificamos que nos negócios público-privados as negociatas continuam e, como a moral que se quer colocar no Marco não é a mesma para o País, os mesmos moralistas  não são capazes de criticar quando as atitudes do seu partido no País ou noutro Município são tão ou mais criticáveis. Estão a ser negociadas parcerias público-privadas em SCUTS onde as empresas concessionárias garantem o rendimento em função das previsões de passagens de automóveis aquando da atribuição da mesma concessão. Isto significa que se passarem os automóveis previstos, a concessionária tem o seu lucro e está tudo bem, se passarem menos o governo paga, que é como quem diz, pagamos nós mesmos, e a concessionária fica com o respectivo lucro. E isto significam muitos e muitos milhões de Euros. Não vejo  aqueles que tanto criticam Manuel Moreira saírem em defesa dos Portugueses, condenarem as negociatas escandalosas em curso e criticarem quem as está a patrocinar.

O páragrafo anterior pode parcere deslocado, mas não está. É fundamental que os Portugueses digam não ao oportunismo das empresas, quando estão a negociar com o Estado ou com os Municipios e lhes digam claramente que a ética e a justiça irão vigiar todos os negócios e que não serão permitidos esses abusos. Entendo que Manuel Moreira tomou as medidas certas pois está a dar os primeiros passos no sentido de dizer basta aos abusos dessas empresas.

Para que não passem por lobos uns e por cordeiros outros, seria interessante que se verificasse qual o valor inicial dado aos terrenos a expropriar pela Refer em Rio de Galinhas  e qual o valor final pago pela mesma. Talvez  se entendam algumas mudanças de acordos e anulação de protocolos.

Podem alegar que os riscos de perder as causas podem complicar tudo. Pode ser. E por isso vamos permitir que continuem estes assaltos ao Estado Português ? Não seriam horas destas negociatas serem analisadas pelo tribunal de contas e tomadas medidas que nos conduzissem á normalidade ? Seremos nós capazes de tomar medidas como as que está a tomar a Islândia que está a responsabilizar ex-Ministros, ex-administratadores bancários e outros que levaram o País á falência, levando-os à justiça e confiscando-lhes os bens que obtiveram á custa de negócios ruinosos para o País ?  Não será isto um principio de regeneração da politica e dos responsáveis pela gestão de empresas públicas e privadas que influenciam o bem estar de todos ?

Entendo que opções são isso mesmo, opções, mas parece-me que, nestas situações Manuel Moreira tem razão, é preciso dizer não aos constantes abusos das empresas sobre o Estado.


publicado por João Monteiro Lima, às 08:45link do post | comentar

Na edição de Sexta-feira do Jornal A Verdade está um texto da minha autoria sobre o desconforto dos marcoenses , a falta de obras por parte da Câmara enquanto que as decisões judiciais se sucedem. Transcrevo o texto:

 

Nos últimos tempos, vai-se sentindo um certo desconforto entre os marcoenses, em particular, nos que confiaram o seu voto à actual maioria. O desconforto prende-se com o facto de apenas se conhecerem as decisões dos tribunais sobre a modificação unilateral do contrato da água ou sobre o processo de um loteamento em Rio de Galinhas, enquanto que as obras prometidas não passam do papel.

A grave situação financeira herdada em 2005 pelo PSD, quando assumiu a Câmara, agrava-se a cada dia que passa. Primeiro apareceram os empreiteiros e as associações a reclamarem verbas que lhes foram prometidas em vésperas das eleições de 2005, depois e já fruto das opções (por acção ou inacção) do actual executivo surgiram as decisões dos tribunais.

Depois dos 17 Milhões de euros a pagar pela modificação unilateral do contrato da água, mais recentemente surgiram notícias que davam conta que a Câmara teria que indemnizar um empresário em cerca de 2 Milhões de euros e mesmo admitindo que estas decisões ainda poderão ser passíveis de recurso, as primeiras impressões dão entender que a Câmara terá que pagar caro as suas opções. Mas os processos pendentes de decisão judicial não se ficam por aqui, e em breve poderá surgir mais uma decisão que, não sendo favorável ao município, agravará ainda mais a já débil situação financeira da Câmara.

Ainda não conhecendo as opções do executivo para o próximo ano (aguarda-se que a maioria do PSD finalmente, no seu 6º Orçamento, resolva cumprir o disposto no Estatuto do Direito de Oposição, ouvindo a oposição antes de apresentar o Orçamento), é fácil perceber que a Câmara terá que “cortar” em algumas rubricas, não sendo de afastar a possibilidade de obras como a requalificação urbana da cidade serem “postas na gaveta”.

As opções da maioria para o próximo ano devem ser cabalmente explicadas a todos os marcoenses, pois estes não deixarão de questionar o porquê de cortar em obras importantes para os munícipes e se continue a desbaratar mensalmente milhares de euros em assessores, como recentemente aconteceu com a contratação de uma assessora de imprensa que auferirá cerca de 1700 euros mensais. Argumentar com facto de estar a cumprir a lei (que infelizmente permite que as Câmaras tenham tantos assessores e chefes de gabinetes) não é suficiente, pois, em tempos difíceis como os actuais, aos quais se junta a situação financeira do município, há que dar o exemplo cortando no que não é importante.

Espera-se que o executivo municipal dê (também) no Orçamento, um sinal claro que está atento aos problemas que vão aumentando diariamente na sociedade marcoense, como o que a última edição do Jornal A Verdade trouxe a público, a fome e o degradar das condições de vida de muitos marcoenses.

Estes problemas que afectam muitas famílias devem merecer uma atenção especial dos dirigentes políticos locais, que devem unir esforços na sua resolução.

Aguardemos para ver o que futuro reserva aos marcoenses.

 


13
Nov 10
publicado por João Monteiro Lima, às 20:25link do post | comentar

Escrevo este post desde Casa do Povo da Livraçao, onde decorre a III ediçao da Feira das Papas.

A edição deste ano esta a superar as expectativas, com a Casa do Povo cheia e muitas pessoas no exterior, à espera para se deliciarem com as Papas ou com bifanas.

Está de parabéns a Associação Cultural da Casa do Povo da Livraçao, por mais esta iniciativa


publicado por João Monteiro Lima, às 08:45link do post | comentar | ver comentários (3)

Na reunião da Comissão Política distrital do PS Porto, realizada no passado dia 8 de Novembro, foi votado o Secretariado Distrital.

De entre os 15 Secretários Distritais eleitos consta a Presidente da JF de Soalhães, Cristina Vieira.

Relembro que Cristina Vieira já fazia parte da Comissão Nacional do PS, juntando mais este cargo a nível distrital ao seu currículo político, onde se destacam as vitórias eleitorais em Soalhães e os cargos a nível concelhio e nacional no PS.

Os eleitos para o Secretariado Distrital do PS Porto podem ser conhecidos aqui.


12
Nov 10
publicado por João Monteiro Lima, às 12:45link do post | comentar

A III Feira das Papas organizada pela Associação Cultural da Casa do Povo da Livração realizar-se-à amanhã, dia 13 de Novembro, a partir das 20 h, na Casa do Povo da Livração, em Toutosa.

A não perder


publicado por João Monteiro Lima, às 08:45link do post | comentar

A Comissão Concelhia do PCP, através do seu dirigente Hélder Tavares, fez chegar ao Marco2009, a posição do PCP Porto sobre as verbas em PIDDAC para o distrito do Porto. Transcreve-se na integra:

 

 

1. É conhecido, e reconhecido, que o Distrito do Porto vive uma crise económica e social mais profunda do que a média do País, como o atestam os elevados valores verificados na destruição do aparelho produtivo, seja no sector primário, seja no sector secundário, com particular realce para as indústrias transformadoras, no número de insolvências de empresas, nas taxas de desemprego e pobreza.

Os problemas e os atrasos no desenvolvimento do Distrito, mesmo na superação das suas dificuldades, vão-se acentuando, cavando mais fundo as assimetrias entre as regiões do País.

Mas dentro do próprio Distrito crescem as assimetrias, já que os dez concelhos que não fazem parte do Grande Porto são vítimas duma descriminação negativa ainda mais acentuada.

Esta realidade é conhecida, só não é reconhecida pelos sucessivos Governos que, ano após ano, têm prosseguido políticas que a não levam em consideração, antes contribuem para o seu agravamento.

2. O PIDDAC, Programa de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central, previsto para o próximo ano é bem um exemplo, mais uma vez, do desprezo e descriminação com que o Governo trata o Distrito do Porto. Os números falam por si.

Sendo a população do Distrito do Porto 17,2% da população do País, cabe-lhe, apenas, 3,03% do montante global previsto no PIDDAC para o próximo ano.

Por isso, o PIDDAC per capita no distrito é de 38 euros, sendo a nível nacional de 213 euros.

Mas se esta descriminação não pode deixar de provocar a maior indignação, ela aumenta quando analisamos o que se passa com os dez concelhos que não fazem parte do Grande Porto.

Esses Concelhos, não obstante representarem 5,4% da população do País, apenas são contemplados com 0,14% do total do PIDDAC! Em consequência o PIDDAC per capita do conjunto destes dez concelhos é de uns escandalosos 6 euros! Mas 2011 não é um caso isolado no que respeita à descriminação do Distrito do Porto. Com efeito, se compararmos com o PIDDAC 2005, início do I Governo PS/Sócrates, vemos que o PIDDAC 2011 apresenta uma diminuição de 66,3% a nível do País, sendo a nível do Distrito essa diminuição de 94,3%!

Em crise ou fora de crise, em suma em todas as situações, o Distrito do Porto tem sido desprezado pelos sucessivos Governos. E isso tem contribuído, e muito, para a crise que, em múltiplos aspectos, o Distrito do Porto vive, já que, como é sabido, o investimento público pode constituir um elemento dinamizador da economia e da criação de emprego.

Considerando esta realidade, os deputados do PCP eleitos pelo Distrito do Porto irão apresentar um conjunto de propostas que, não resolvendo a violenta descriminação que se vem verificando, constituem passos importantes para a atenuar.

Espera-se que os deputados do Distrito eleitos por outras forças políticas não se esqueçam, desta vez, de defender os interesses da população que representam, como aconteceu, por exemplo, quando viabilizaram a introdução de portagens nas A28, A29, A41 e A42.

3. O PCP apresentou um conjunto de propostas e projectos, cerca de cem, abrangendo diversificadas áreas e todo o Distrito procurando dar resposta a aspirações das populações e, em muitos casos, satisfazer promessas repetidamente feitas por governantes e eleitos locais.

Num Distrito em que as carências são muitas e profundas, as propostas apresentadas representam medidas que as minimizam, mas também criam condições para a criação de riqueza e emprego.

Áreas como a saúde, a educação, a acção social, o ambiente, a segurança interna, a protecção civil, a agricultura e as pescas, a habitação, o transportes ferroviário, as linhas de metro, o sistema judiciário, entre outras, são abrangidas por essas propostas.

Entre as propostas apresentadas estão, por exemplo, a construção das novas instalações do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia e do Hospital de Póvoa de Varzim/Vila do Conde, a urgência no avanço e conclusão da “componente materno infantil” do Centro Hospital do Porto, a participação governamental na recuperação e reabilitação habitacional dos Centros Históricos do Porto e Vila Nova de Gaia, a recuperação e requalificação da via férrea do Tâmega, a continuação da electrificação da linha do Douro – troço Marco de Canaveses –, a continuação da linha de metro entre o ISMAI e Trofa em via dupla, a instalação da 2ª Loja do Cidadão no Porto, a reabilitação da Ponte D. Maria Pia, a criação de um plano de despoluição, ordenamento urbanístico, recuperação das praias fluviais, valorização e aproveitamento das margens do Rio Douro nos concelhos de Penafiel e Gondomar, etc.

Minimizar a descriminação negativa de que o Distrito do Porto tem sido vítima, aumentar o investimento público como forma de combater a crise profunda que vive e atenuar as assimetrias que têm vindo a aumentar são os objectivos pretendidos e possíveis de atingir se houver vontade política para que assim seja considerado.

tags: ,

publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar

O Marco de Canaveses tem mais um Campeão em Pesca. Pouco tempo depois de Ricardo Jorge Faria Sousa se ter sagrado Campeão Europeu de Pesca Desportiva, agora foi a vez de José Jorge Pinto de Sousa, marcoense e atleta do Amadores de Pesca do Marco, se sagrar Campeão Nacional de Veteranos A.

Ao José Jorge Sousa envio, em meu nome e em nome do Marco2009, os parabéns por mais este título conquistado na longa e recheada carreira. Estes marcoenses devem ser reconhecidos pelos responsáveis locais, pois são eles que levam mais longe e mais alto o nome da nossa Terra.

Um leitor e amigo escreveu-nos a dar a novidade:

 

José Jorge Pinto de Sousa, atleta marcoense do Amadores de Pesca do Marco, sagrou-se Campeão Nacional de Veteranos A.

Este campeonato disputou-se em 6 provas, duas das quais em Chaves (1º e 3º classificado), outras duas em St Justa (3º e 1º classificado) e as provas finais foram em Penacova (1º e 1º classificado). José Jorge terminou a competição com 10 pontos, com uma vantagem 8 pontos sobre o segundo classificado.

Estavam a disputar este campeonato 15 atletas, os 15 melhores atletas veteranos A de Portugal. Este atleta tem no seu curriculum vários títulos nacionais como regionais, tanto a nível individual como colectivo.

Mais uma vez este concelho, tem um campeão nesta modalidade…

É de louvar mais este título para o atleta José Sousa.

 

Ricardo Faria


11
Nov 10
publicado por João Monteiro Lima, às 23:00link do post | comentar | ver comentários (3)

"José Sócrates pode ter os defeitos que tiver, mas eu gosto do seu estilo. É um homem determinado." - Avelino F Torres à revista "Sábado"


publicado por João Monteiro Lima, às 22:55link do post | comentar

À pergunta "Quando foi a última vez que deu uma bofetada em alguém? Em política, nunca?, Avelino F Torres na entrevista responde assim:

 

"Em Assembleias Municipais e reuniões nunca houve nada. Contudências verbais, isso tudo bem. Creio que a única vez foi na Rádio Marcoense, num debate da campanha eleitoral. A entrevista começou a descambar. Acabou e um dos adversários, do PS, vinha vagaroso e eu estava com pressa. Disse-lhe: "Sai da frente, caralho". (Empurrou-o). Ele armou-se em vítima e pôs um adesivo na orelha. No outro dia já não trazia lá nada."


publicado por João Monteiro Lima, às 22:45link do post | comentar | ver comentários (1)

"Houve uma altura em que ele (Paulo Portas) esteve atrapalhado porque não tinha dinheiro para outdoors e eu fui ao bolso, passei um chequezinho e dei-lhe um donativo" - Avelino Ferreira Torres à revista Sábado (11-11-2010)


publicado por João Monteiro Lima, às 22:40link do post | comentar

Avelino Ferreira Torres deu uma entrevista à revista Sábado que foi hoje publicada. Às perguntas dos jornalistas Sara Capelo e Carlos Gonçalo Morais, o actual vereador da Câmara do Marco e derrotado nas últimas autárquicas fala sobre as derrotas de 2005 (em Amarante e no Marco) e sobre a do ano passado no Marco.

Fala nas perseguições da justiça, na violência (ou não) no desporto, sobre as eleições para a concelhia do CDS, as relações com Paulo Portas, a qualidade de José Sócrates. Opina ainda sobre o Apito Dourado e sobre a participação na Quinta das Celebridades.

A não perder. Para ler e/ ou ver e ouvir aqui.


10
Nov 10
publicado por João Monteiro Lima, às 17:45link do post | comentar

O leitor Emanuel Moreira volta a dar-nos a sua opinião sobre o futsal marcoense:

 

“uma bandeira Municipal” que pesa demasiado para muita gente.

É com amargura profunda que assisto ao triste espectáculo que a instituição Futebol Clube de Alpendorada me presenteia enquanto Marcoense e amante da modalidade de futsal.

É visitar diversos orgõas de comunicação social da especialidade e vê-se o desnorte, a descrença por melhores dias e nem mesmo as telas com “Junta de Freguesia de Alpendorada apoia o desporto” coladas a este mesmo triste espectáculo, parecem despertar os interesses das instituições, seus dirigentes e poderes locais…

 

http://www.futsalportugal.com/index.php?page=noticias&news_id=8251

 

http://www.futsalglobal.com/news.php?extend.6333

 

http://marcodesporto.com/modalidades.html


publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar | ver comentários (1)

O nosso leitor Emanuel Moreira nos últimos tempos enviou, quer para os diversos blogues marcoenses quer para o Jornal A Verdade, um conjunto de textos sobre a política desportiva concelhia. Na última Assembleia Municipal, Emanuel Moreira, no período da intervenção do público voltou a questionar o executivo sobre a política de desporto da Câmara Municipal, não satisfeito com a resposta enviou aos diversos grupos municipais, ao Presidente da Assembleia Municipal e (soube agora) à Câmara, uma missiva com a intervenção feita na referida sessão da AM.

Após esta insistência junto dos órgãos autárquicos locais, Emanuel Moreira conseguiu finalmente ser recebido (ao que parece por vontade do Presidente da Câmara) por um elemento do Gabinete de Desporto da autarquia. Neste encontro, Emanuel Moreira terá insistido nos assuntos que mais o preocupavam, tendo obtido da parte do Prof Rui Nelson, do Gabinete de Desporto da autarquia, as respostas às suas questões.

Segundo nos foi dado a saber, através de uma fonte oficial, as partes terão saído satisfeitas do encontro.

A ser assim, vale a pena a intervenção dos cidadãos através dos diversos órgãos que têm à disposição, ou como diz o ditado "água mole em pedra dura, tanto dá até que fura".

Espera-se que este exemplo se repita. Dos dois lados, dos munícipes e do executivo.


09
Nov 10
publicado por João Monteiro Lima, às 17:45link do post | comentar

No próximo dia 12 de Novembro de 2010, a Câmara Municipal levará a efeito duas iniciativas integradas nas comemorações do Ano Internacional da Biodiversidade.

A saber:

às 21h, no átrio dos Paços do concelho, inauguração da exposição e entrega de Prémios do concurso de fotografia “Um Marco na Biodiversidade”

às 21h 30m, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, uma conferência relativa ao ano internacional da biodiversidade com as participações do Engº Pedro Teiga, Investigador da FEUP e Coordenador Nacional do Projecto Rios e do Prof Dr António Maria Luís Crespí, do departamento de Engenharia Biológica e Ambiental da UTAD.


08
Nov 10
publicado por João Monteiro Lima, às 17:45link do post | comentar

Recebemos de Joana Vales o seguinte pedido de divulgação:

 

Venho pelo presente pedir que divulguem a nova revista da região.

Este é um projecto novo que pretende dar a conhecer os concelhos de Amarante, Baião, Marco de Canaveses, Paredes e Penafiel.

Um trabalho jornalistico diferente sobre as pessoas e as actividades da região.

O primeiro número foi lançado nsábado 7 de Novembro.

 

Nota: Tive já a oportunidade de ver a nova revista que me parece, como muito bem dizem, "diferente", além de interessante e com qualidade. Aos responsaveis da revista desejo os maiores sucessos para esta revista


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO