Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
23
Dez 10
publicado por António Santana, às 19:58link do post | comentar

Nos vários mails que vamos recebendo nesta quadra há sempre um ou outro de que gosto particularmente. A criatividade humana é tal que aparece de tudo, uns  mais tecnológicos e trabalhados, outros mais simples e aqueles que nos fazem pensar. Gostei particularmente deste e por isso ao desejar a todos os leitores deste blog, assim como ao meu  colega João Lima, um BOM NATAL, deixo também esta mensagem :

 

"Uma noite, um velho índio falou ao seu neto sobre o combate que
acontece dentro das pessoas.

Ele disse: - Há uma batalha entre dois lobos que vivem dentro de todos nós.
Um é Mau - É a raiva, inveja, ciúme, tristeza, desgosto, cobiça,
arrogância, pena de si mesmo, culpa, ressentimento, inferioridade,
orgulho falso, superioridade e ego.

O outro é Bom - É alegria, fraternidade, paz, esperança, serenidade,
humildade, bondade, benevolência, empatia, generosidade, verdade,
compaixão e fé.
O neto pensou nessa luta e perguntou ao avô: - Qual lobo vence?

O velho índio respondeu:



" - Aquele que você alimenta !!!!! "


publicado por João Monteiro Lima, às 17:45link do post | comentar

Os primeiros meses do ano de 2011 serão repletos de eleições em diversas instituições do Marco.

Em Janeiro serão as eleições para a Associação Empresarial. Ao que sabemos, Antero Jorge está de saída, sendo que avançará uma lista na continuidade e, pela primeira vez na história da Associação (alguma vez tinha que ser), haverá uma outra lista a disputar a Direcção da Associção.

Dado ainda não serem conhecidos oficialmente os nomes de uma e de outra lista, não os divulgarei, estando o Marco2009 ao dispôr das respectivas candidaturas disponível para as divulgar.

A marcação da data das eleições cabe ao Presidente da Assembleia-Geral, Joaquim Madureira.

Assim que seja pública a data das eleições e os elementos que se candidatam, daremos essa informação.

tags:

22
Dez 10
publicado por João Monteiro Lima, às 22:05link do post | comentar | ver comentários (4)

No anterior mandato foram colocadas umas estruturas com a inscrição "CDS" e uma mensagem que daria a entender ser daquele partido visando o Presidente da Câmara Municipal.

Na altura, a Câmara tentou apurar quem seriam os responsáveis por tais "outdoors" e nada conseguiu concluir. O assunto chegou a ser falado na Assembleia Municipal, tendo Manuel Moreira feito um resumo das diligências que teriam encetado para chegar ao "ordenante" da colocação das estruturas. Sei que Manuel Moreira abordou várias ex-responsáveis do CDS marcoenses e, um a um, lá asseguravam nada saber. Moreira decidiu procurar informação na direcção do partido, que também nada saberia.

Posteriormente, pelo menos, uma dessas estruturas foi utilizado por um movimento que tinha a confiança que ganharia a Câmara. Essa estrutura, situada numa das entradas da cidade, continua no local, bem como uma outra utilizada pelo mesmo movimento que está colocada na zona do antigo lugar da Carvalha, em Tuías.

O que importa saber é se essas estruturas estão a cumprir a lei, ou seja, a pagar as taxas pela ocupação dos espaços e se obtiveram as devidas autorizações dos serviços municipais para lá permanecerem.

Seria útil saber se a Câmara confrontou quem recentemente utilizou as estruturas para apurar quem eram os seus proprietários quando foram colocados pela primeira vez.

O objectivo do município era repor a legalidade, pois se a estrutura fosse de uma organização partidária, esta estaria isenta das taxas, carecendo apenas de uma comunicação e posterior deferimento por parte da Câmara.

O que foi feito afinal? Uma pergunta que aguarda resposta.


publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar

O coordenador concelhio do PCP, Filipe Baldaia, enviou-nos a pergunta feita ao Ministro do Trabalho pelo deputado do PCP, Jorge Machado, sobre os atrasos nos pagamentos aos alunos da Escola de Arqueologia. Transcreve-se:

 

Ex.mo Sr. Presidente da Assembleia da República

 

Uma recente notícia vinda na comunicação social dá conta que os alunos da Escola Profissional de Arqueologia do Freixo, sita no Marco de Canaveses, recebem o subsídio do POPH a que têm direito com sucessivos atrasos.

Na verdade, esta notícia refere que existem pagamentos com atrasos de cinco meses o que provoca sérias dificuldades a estes alunos. Os atrasos, que já se verificaram no passado, levaram à realização de uma manifestação de protesto por parte dos estudantes.

Assim, ao abrigo da alínea d) do artigo 156º da Constituição e nos termos e para os efeitos do 229º do Regimento da Assembleia da República, pergunto ao Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social o seguinte:

 

1 . Que razões justificam os atrasos acima referidos?


2. Que medidas vai este Ministério tomar para resolver este problema?

 

Palácio de São Bento, 15 de Dezembro de 2010

 

O Deputado

 

Jorge Machado

tags:

21
Dez 10
publicado por António Santana, às 21:09link do post | comentar | ver comentários (18)

Já aqui havia referido que Artur Melo poderia intervir na última Assembleia Municipal. Tinha presente o regimento e o artº 13º alínea 2. É um facto que António Coutinho falhou. Esse facto não retira à atitude de Artur Melo o desprezo e desrespeito pelo órgão Assembleia Municipal. Como não retira a mentira do comunicado do PS sobre os terrenos de Arnaldo Magalhães e outras inverdades nele contidas e expostas por Hernâni Pinto. Surpreende-me que tanta celeuma cause a falha de António Coutinho e Artur Melo e a falta de verdade seja olimpicamente ultrapassada. Valores existem que não podem ser esquecidos.

Considero também lamentáveis os comentários do Dr.Rodrigo Lopes sobre o "Pai Natal"  e o veículo que usa. Se por um lado se fala em dignidade e respeito pelos representantes eleitos pelo povo, por outro vale tudo, para usar como arma de arremesso.

Vejo também com alguma surpresa a forma como o PS fala das finanças do Marco, da gestão de Manuel Moreira e a forma como fala da gestão do País e do seu governo. Dois pesos, duas medidas. Um herdou uma situação caótica e tem que ir fazendo ginástica financeira para ir sobrevivendo, como é Manuel Moreira, outro que sabendo como o País estava e está, quer continuar a viver à grande e continuar com obras megalómanas, como é José Sócrates. Mas o mais surpreendente é que os afectos ao PS local criticam os que apoiam o PSD local por não aparecerem a criticar Manuel Moreira e por outro não aceitem que esses lhes digam que eles devem criticar o seu Primeiro Ministro. Não há dúvida que isto da politica é muito engraçado.

Outra coisa que me surpreende é o destilar de veneno de alguns iluminados. Tenho a certeza que poderiam morrer se mordessem a língua. Será tão dificil aceitar opiniões diferentes ?

Não seria tudo mais fácil se, em vez de criticar, se apresentassem propostas que nos retirem a todos deste lamaçal onde nos encontramos ?


publicado por João Monteiro Lima, às 00:52link do post | comentar | ver comentários (8)

Sobre a situação protagonizada por Manuel Moreira, António Coutinho e Artur Melo já escrevi em comentário ao último post do António Santana. Acho que o deputado do PS deveria ter falado, ele não o fez porque foi impedido e abandonou a sala.

Não percebi qual o motivo que levou a que Manuel Moreira rapidamente tivesse dito que não deixava Artur Melo falar. A troca de opiniões era entre Melo e um munícipe, pelo Manuel Moreira deveria ter "autorizado" e mais nada.

Eu falaria, mesmo sem microfone. E depois invocaria a defesa da honra. E é bom lembrar que a honra não é mensurável, ou seja, só cada um que sabe se a sua honra foi ou não posta em causa.


publicado por João Monteiro Lima, às 00:51link do post | comentar

Por motivos pessoais tive que abandonar a sessão após a votação do Orçamento para 2011. O orçamento foi aprovado pela maioria do PSD, contando com a abstenção dos Presidentes de Junta eleitos pelo PS e CDU e os votos contra da CDU, PS e do MCFT.

Os deputados aprovaram ainda a aplicação da taxa de direitos de passagem que será suportada pelos marcoenses. Neste ponto, a votação foi a favor 36 deputados, 12 abstenções e apenas 2 votos contra. Em reunião de Câmara, o mesmo assunto tinha sido aprovado por unanimidade.

O grupo municipal da CDU apresentou uma recomendação à Câmara para que esta diligencie junto da Associação dos Municípios Portugueses e do governo para que a legislação seja alterada e esta taxa seja suportada não pelos cidadãos mas pelas empresas prestadoras do serviços de comunicações electrónicas em local fixo, bem como para que sejam fortemente penalizadas as empresas que não entreguem aos municípios as verbas cobradas. Esta recomendação da CDU foi aprovada por unanimidade, esperando-se para ver o que fará a Câmara para ajudar a mudar a lei.


publicado por João Monteiro Lima, às 00:45link do post | comentar

O deputado do PS, João Valdoleiros, subscreveu a minha intervenção no que se referiu ao Estatuto de Direito à oposição e fez uma série de perguntas sobre verbas que a Câmara pretende gastar em 2011.

As consultadorias e pareceres externos forma um dos pontos que mereceram a atenção de João Valdoleiros. Bem como a execução da receita até Dezembro. As verbas para a educação e cultura mereceram também destaque na intervenção do líder do grupo municipal do PS.

Natália Ribeiro do Movimento Marco Confiante com Ferreira Torres colocou apenas duas questões técnicas sobre o Orçamento.

Parte das respostas (se é que assim se podem denominar) já me referi num outro post e não houve um grande esclarecimento das questões colocadas.


publicado por João Monteiro Lima, às 00:25link do post | comentar

A Assembleia Municipal aprovou a proposta de Orçamento para 2011 que a Câmara apresentou. A apresentação do documento esteve a cargo do Presidente da Câmara Municipal e de Carla Babo.

Seguiram-se intervenções da oposição (eu, João Valdoleiros e Natália Ribeiro) e as habituais intervenções do PSD que desta vez foi feita por José Carlos Valadares, apesar de estar na sala Bento Marinho que costuma a ser quem intervém quando em causa estão os "números".

Na minha intervenção dei conta das interrogações que o partido que represento levanta ao documento, a saber:

- A incoerência entre os cortes em alguns items e o continuar a desbaratar dinheiro noutras matérias.

- É estranho que se pretenda poupar na luz (e para tal se desliguem mais cedo) ao mesmo tempo que se contrata uma nova assessora para a imprensa a auferir € 1700 mensais. Os assessores (e não esgotei nos assessores, pois incluía implicitamente os membros dos gabinetes) são os mesmos e os custos com o pessoal seguem uma tendência de crescimento. Os gastos com as consultadorias externas não descem. E depois os marcoenses é que pagam: são as taxas máximas no IMI, as empresas a derrama, a Câmara não abdicou da participação no IRS e as taxas das licenças de construção são das mais elevadas da região, juntando ainda a taxa municipal de direitos de passagem.

- É estranho que se apontem baterias apenas ao governo pelo corte em mais de 1 Milhão de euros de verbas a transferir para o concelho, mas se esqueça quem ajudou a viabilizar o Orçamento do Estado.

- É estranho que se invoque a diminuição de receitas, mas as dezenas de processos de licenciamento que aguardam decisão continuem parados nos Serviços, quiçá devido às alterações introduzidas pelo executivo no funcionamento da secção.

- É estranho que não se implementem medidas inseridas no projecto de requalificação urbana da cidade e de custos reduzidos, como as alterações à postura do trânsito e a criação de mais lugares de estacionamento.

- Não se percebe se o Centro Escolar de Fornos, avançará ou não.

- Tal como se desconhece se as obras executadas em 2005 sem cabimentação orçamental serão finalmente pagas.

Às minhas questões Manuel Moreira respondeu que pretende implementar as tais medidas do projecto de requalificação urbana, espera avançar com o centro escolar de Fornos e aguarda uma decisão do governo para as obras não cabimentadas. O Presidente da Câmara respondeu-me que o número de processos de licenciamento pendentes nos serviços não serão em número tão elevado.

tags:

publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar | ver comentários (6)

 O Presidente da JSD Marco, Luis Pereira Pinto, enviou-nos um comunicado da JSD que transcrevemos:

 

Comunicado

 

Assunto: Governo do Partido Socialista trava o desenvolvimento do MCN

 

O interior também é Portugal!

 

A questão da falta de coesão territorial tem sido amplamente debatida ao longo das últimas décadas. De facto, a questão da interioridade serve de bandeira em todas as campanhas eleitorais. Embora sem grandes resultados práticos, a verdade é que a recorrência deste debate confere pelo menos, a certeza de que o problema existe e o diagnóstico está feito.

A construção de infra-estruturas públicas, as acessibilidades e os incentivos fiscais foram muito importantes para o desenvolvimento destas regiões, no entanto o problema mantém-se.

A litoralização é um fenómeno crescente, a população decresceu significativamente nas regiões do interior, a economia esvaziou-se, a criação de emprego líquida apresenta um saldo claramente negativo e os fenómenos de emigração voltaram a manifestar-se, fruto da falta de oportunidades e da crescente degradação das condições de vida do interior e do próprio país.

Há sem dúvida, medidas específicas que poderão resultar aqui ou ali numa melhoria localizada das condições de vida das pessoas.

Ainda assim, a falta de capacidade financeira do país que se prolongará, provavelmente, por décadas, leva a que todas as propostas políticas tenham de ser devidamente analisadas com vista a não criar ainda mais assimetrias regionais.

Marco de Canaveses é um concelho do interior do Distrito do Porto, e tem vivido uma situação difícil muito por culpa da desastrosa gestão financeira que nos geriu durante 23 anos. Facto que levou à necessidade de fazer um contrato de reequilíbrio financeiro que obriga a edilidade marcuense a esforços financeiros gigantescos. Dessa forma o investimento no futuro começa a ser posto em causa, e tememos que Marco de Canaveses pare no tempo. Preocupa-nos por acreditamos que temos potencial económico para evoluir, levando à fixação dos jovens, cada vez mais formados e capacitados para o salto tecnológico e inovador que necessitamos.

Segundo dados do IEFP (Instituto Emprego e Formação Profissional), no mês de Outubro, Marco de Canaveses tem cerca de 4021 desempregados, sendo que cerca de 10% são jovens desempregados. Estes dados mostram a tendência evolutiva deste flagelo desde Janeiro de 2010 até Setembro em 7,1%, muito por culpa da falta de capacidade de competitividade das empresas marcuenses.

Além destas dificuldades, o Governo do Partido Socialista liderado pelo Eng. José Sócrates tem tido uma atitude claramente discriminatória para com o interior e para com este concelho. Foram prometidos duas obras essenciais na nossa óptica que não chegaram a ser realizadas, que prejudicam os jovens marcuenses de forma directa e indirecta. Afectam a nossa acessibilidade e concorrência empresarial no distrito e no país.

Incompreensível é o facto de, repetidamente, o Marco de Canaveses não ser contemplado com um único projecto de investimento específico para o concelho por parte do Governo, em sede de PIDDAC.

Electrificação da Linha Caíde – Marco

Não obstante, a prometida electrificação da linha do Douro, nomeadamente no troço Caíde-Marco e a respectiva requalificação das estações de Marco de Canaveses, Livração e de Vila Meã, foi abandonada ao abrigo de questões de contenção orçamental.

Esta obra pretendia aumentar a frequência e velocidade dos comboios para 120km/h incluindo a supressão de passagens de nível. Adquiria ainda relevância pelo enquadramento na região, potenciando o seu desenvolvimento, através da cativação de investimento.

Acreditamos que a aposta na linha sub-urbana para comboios mais rápidos e confortáveis viria a beneficiar o tráfego de pessoas entre os grandes centros urbanos, permitindo, desta forma, que núcleos maiores adquirissem uma maior centralidade dentro da sua condição geográfica.

Numa altura de crise económica, esta linha permitiria a deslocação dos jovens para os seus locais de trabalho e de estudo, de uma forma mais rápida e confortável. Não podemos concordar com esta situação por ser injusta e discriminatória para os Portugueses que vivem neste concelho. Marco de Canaveses é Portugal. Queremos mais, precisamos de mais.

IC35

Falamos também do IC35, obra que permitiria o acesso rápido entre o baixo concelho e a A4, na zona do ramal de acesso Penafiel/Sul.

O ministro das Obras Públicas, António Mendonça, anunciou este ano, que iria suspender por tempo indeterminado os concursos para a construção de várias auto-estradas, entre elas a concessão do Vouga, que incluiu o IC35.

Depois de sucessivos anúncios do arranque do concurso público e de reuniões para definição do traçado, eis que o governo decide colocar o projecto na gaveta, e não garante que de lá saia tão cedo.

Este é um processo que se arrasta há mais de 10 anos e que já mereceu uma decisão extraordinária e unânime da Assembleia da República.

Na ressaca da queda da Ponte de Entre-os-Rios, o parlamento decidiu aprovar, por unanimidade, um conjunto de intervenções, classificadas de prioritárias, para o eixo Penafiel-Castelo de Paiva.

Esta obra é importante para Marco de Canaveses, nomeadamente para o baixo concelho, onde se encontra cerca de 1/3 do tecido empresarial, bem como a maior fatia da receita de IRS e IRC.

As empresas das freguesias de Alpendorada, Favões, Magrelos, Torrão, Várzea do Douro, Vila Boa do Bispo, e indirectamente as freguesias do eixo ribeirinho do Douro, S. Lourenço do Douro e Sande beneficiariam com esta medida pois permitiria encurtar em cerca de metade o tempo de demora para que conseguissem fazer chegar o seu produto ao principal porto de embarque da zona Norte, o porto de Leixões. Em tempos de crise conseguiríamos diminuir os gastos de uma indústria que, directa e indirectamente, gera uma bolsa empregadora para mais de 16 mil pessoas.

A CPS da JSD de Marco de Canaveses, não se resigna e não aceita que o desenvolvimento do nosso concelho seja prejudicado por uma atitude altruísta e de cortes cegos do Governo PS, afectando o aumento da qualidade de vida das populações do interior.

O Governo PS continua a mostrar que não honra os compromissos assumidos. Piora no que toca a descentralização de investimentos públicos, tendo a região Norte, e com grande enfoco e persistência prejudicado o nosso concelho.

Assim apresentamos a nossa expressão de combate político, lançando hoje dois outdoor’s para que os Marcuenses percebam que o nosso concelho não avança pela irresponsabilidade deste Governo Socialista e pelo seu centralismo injustificado.

Os jovens Marcuenses podem ter a certeza inabalável que faremos o que estiver ao nosso alcance para defender estes dois investimentos urgentes e importante para o nosso concelho. Levaremos via deputados da JSD a nossa preocupação e angústia no desinvestimento sucessivo neste concelho, a Assembleia da República.

Nos tempos difíceis definem os líderes, ficam na história os corajosos, os que não atiram a toalha ao chão. Mas, também os solidários e os que apresentam ideias construtivas para o desenvolvimento da nossa terra. Não ficam, de certeza, aqueles que passam mais tempo a ouvir, do que a agir.

Temos assistido a um comportamento inadmissível por parte da oposição socialista marcuense, no que toca a estas questões com sucessivos e inqualificáveis comunicados, bem como a uma posição destrutiva em sede Câmara e Assembleia Municipal, defendendo sempre as tomadas de posição do Governo Socialista do Eng. José Socrates em detrimento do desenvolvimento do nosso concelho.

Acreditamos no futuro de Marco de Canaveses, um Marco inovador e empreendedor, para tal pedimos mais investimento na nossa região.

Acreditamos num interior mais justo!

Queremos um Marco empreendedor e desenvolvido!

Não nos calaremos enquanto este Governo continuar com esta atitude discriminatória!

Estamos Aqui… Por Marco de Canaveses!

 

A CPS da JSD Marco de Canaveses

 

Luís Pereira Pinto

Presidente da JSD Marco de Canaveses

 

tags:

20
Dez 10
publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar | ver comentários (2)

Álvaro Baldaia, Presidente da Casa do Povo da Livração, um amigo e leitor do Marco2009 enviou-nos um email a desejar Boas Festas. Retribuimos desejando à Casa do Povo, ao Álvaro, aos restantes elementos da Associção e respectivas famílias, um Bom Natal e um ano de 2011 repleto de realizações e alegrias.

 

Obrigado.


19
Dez 10
publicado por António Santana, às 21:32link do post | comentar | ver comentários (8)

Quando Hernâni Pinto pediu a intervenção na última Assembleia Municipal, para falar sobre as decisões tomadas aquando das intervenções sobre as passagens de caminho de ferro na linha do Douro, designadamente sobre as passagens em Rio de Galinhas, ficou evidente a firmeza e personalidade de Hernâni Pinto e o incómodo que a sua postura causa a alguns políticos do nosso concelho. Hernâni Pinto manifestou a certeza de que actuou em defesa dos interesses do Marco e que o voltaria a fazer. Manifestou o seu desencanto pelas várias mentiras contidas no comunicado do PS Marco, entre as quais a de que teria sido a Câmara Municipal a denunciar o contrato com o Sr. Arnaldo Magalhães, e não o contrário. Ficou evidente que foi o Sr. Arnaldo Magalhães a denunciar o contrato que havia assinado.Não ouvi um único pedido de desculpas da bancada do PS. Penso que a politica deve  ser realizada com verdade.

 

O Sr. Hernâni Pinto referiu também que estranhava o facto da noticia de que a Câmara Municipal teria sido condenada pelo tribunal pela sua intervenção nesses trabalhos, ser do conhecimento do PS Marco três dias antes da Câmara ter sido notificada. Hernâni Pinto pôs em causa a justiça pelo facto da fuga de informação ocorrida e manifestou a descrença na mesma justiça. O que aqui está em causa é mais uma vez a verdade. Hernâni Pinto falou verdade. Foi isto que levou o vereador Artur Melo a quererr intervir na Assembleia. Não porque era verdade ou não, mas apenas porque, segundo disse, seria crime o PS ter informação privilegiada e confidencial. Esteve muito mal Artur Melo. Esteve mal porque tinha várias formas de pedir intervenção. Poderia alegar defesa da honra. Não o fez. Podia solicitar através do seu grupo Parlamentar a sua intervenção. Não o fez. Tinha outras formas de usar a palavra, utilizando o previsto no regimento. Não o fez. E o que fez ? Abandonou a Assembleia desrespeitando tudo e todos.  Artur Melo deveria saber o que diz o regimento e usá-lo para expor as suas ideias. É para isso que se criam regulamentos. Mas para além desses erros o que eu considero mais grave é a falta de verdade no comunicado sobre o assunto. Falar verdade já não conta ? Será que também faz escola no PS Marco a politica de mentiras do actual governo PS ?


publicado por João Monteiro Lima, às 00:35link do post | comentar | ver comentários (19)

Entrei para a política mais a sério em 1993, depois de 5 anos de militância partidária, tendo nesse mesmo ano sido candidato à Câmara Municipal. No mandato seguinte, substitui Soledade Coutinho durante um ano na Assembleia Municipal, daí para cá nunca estive afastado da política e pensava já ter visto e ouvido de tudo, pelo que já nada me surpreenderia.

Eis que no dia de ontem assisti a algo que me revoltou por achar que estava a recuar aos tempos do reinado de Ferreira Torres quando este, sem argumentação para contrapor a oposição se socorria de toda a argumentação possível e imaginária para fazer vingar o seu pensamento. Foram muitas as vezes e muitos os visados que ouviram falar da sua vida pessoal ou profissional como forma de atentar contra as sua opiniões políticas.

Ontem, 18 de Dezembro de 2010, voltamos a ouvir mais do mesmo. Depois da intervenção de João Valdoleiros sobre o Orçamento para 2011, a vereadora com o pelouro da Finanças, Carla Babo, a meio da sua resposta diz algo do género (numa brincadeira sem graça alguma, até porque José Mota dispõe de uma autoridade que lhe advém dos tempos de oposição a Avelino que Carla Babo não tem)  "o sr. dr. ou aprende muito bem como diz ou então veio ler o que alguém lhe escreveu". Já antes, e como resposta à interrogação de João Valdoleiros sobre o aumento das despesas na rubrica das consultadorias externas (opinião que eu próprio já tinha transmitido), argumentou com o facto da Câmara já ter contratado os serviços do seu filho (leia-se Rui Valdoleiros, Engenheiro estabelecido no concelho).

Triste e verganhosa argumentação, digo eu. Disse-o na Assembleia para quem quis ouvir e escrevo-o aqui.

Primeiro, não é crime contratar esta ou aquela empresa. A Câmara se escolheu a empresa ou os serviços de Rui Valdoleiros foi porque lhe reconheceu qualidade, ou não?

Segundo, mesmo que João Valdoleiros tenha lido algo, não será crime. Até porque não terá sido o primeiro. Aliás, o próprio já reconheceu que para os assuntos financeiros está assessorado pelo Coronel José António Valdoleiros e por Jorge Valdoleiros. Tal como outros terão sido (sim, o verbo está no passado) assessorados por ilustres deputados com responsabilidades recentes no executivo. Ou não?

As perguntas que ficam à consdideração dos leitores, será correcto trazer o argumento "família" para as discussões que devem ser políticas? Ou esta argumentação demonstrará que não havendo nada de substancial para ser dito se socorram do que pouco ou nada importa para a discussão? E se fosse o contrário, aceitariam de bom grado que se trouxessem assuntos (que devem ser) laterais para a discussão de Orçamento? Gostaria a vereadora Carla Babo ou qualquer outro vereador ou deputado que se trouxesse a sua vida para a discussão política?

Esses tempos julgávamos terminados, mas afinal ainda há quem vá por esse caminho. Ou seja, enquanto por cá andarem a política marcoense não sairá do grau zero.

 

(Escrevi este texto por estar revoltado pelo facto da Câmara dispor de um vereador que, em vez de contrapor com argumentos políticos entra na esfera privada, o que é repugnante. Não falei com qualquer elemento da família visada bem como não sou seu advogado de defesa mas que deixa de haver paciência para este género de fazer "política" lá isso deixa).


18
Dez 10
publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar

Uma sugestão para o dia de hoje: Assembleia Municipal que se iniciará às 9h 30 (e que bom que era que fosse a horas) e se prolongará pela tarde.

O assunto principal do dia é a apreciação e deliberação do Orçamento e Grandes Opções para o ano de 2011. Aguardam-se as explicações do executivo e as posições dos partidos e do movimento de cidadãos com representação na Assembleia.

O público tem um espaço destinado à sua participação logo no ínicio da Sessão e seria interessante a participação dos cidadãos.

A partir de amanhã publicarei no Marco2009 o que de mais importante se tenha passado nesta que será a última sessão ano 2010. A próxima sessão da Assembleia será em Fevereiro de 2011. Mas sobre esta sessão serão conhecidas mais informações dentro de pouco tempo.

A sessão poderá ser acompanhada ao vivo no Salão Nobre dos Paços do Concelho ou, se não fugir à regra, através da Rádio Marcoense.


17
Dez 10
publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar | ver comentários (3)

O dirigente da AD Marco 09, Manuel Novais, enviou-nos um email com a actividade desportiva próxima do clube:

 

 

FUTEBOL

 

SENIORES     19-Dez-10 15h00      CD Sobrado - MARCO 09

 

JUNIORES     18-Dez-10  15h00      MARCO 09 - União FC Sousa

 

JUNIORES     22-Dez-10  15h00      Inter Milheirós - MARCO 09

 

JUVENIS       19-Dez-10   10h00      MARCO 09 - Ac. Amarante

 

INICIADOS    19-Dez-10  11h00     FC Felgueiras - MARCO 09

 

INFANTIS      18-Dez-10   13H15     MARCO 09 - Freixo Cima

 

BENJAMINS  18-Dez-10    09h30     MARCO 09 - Aliança Gandra

                   

 

CICLISMO

 

Passeio nocturno  19-Dez-10  18h00

 

 

Aproveitamos para informar que o jogo de futebol do escalão de benjamins será o ultimo jogo desta fase sendo que a equipa da AD MArco 09 assegurou o primeiro lugar da série em virtude de ter vencido todos os jogos disputados.


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO