Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
06
Dez 10
publicado por João Monteiro Lima, às 23:55link do post | comentar | ver comentários (9)

Na passada Quarta-feira, juntamente com os meus dois melhores amigos, fiz-me ao caminho e percorri pela 1ª vez o percurso entre a Igreja de Soalhães e a Capela do S. Brás, no lugar de Almofrela, em Baião.

Foram dois os principais motivos que levaram a pôr-mo-nos ao caminho: o convívio entre bons e velhos amigos e o repasto que nos esperava na Tasquinha do Fumo.

Foram mais de 5 quilómetros que percorremos entre Soalhães e o S. Brás, e neste percurso vimos de tudo, paisagens magnificas aqui a dois passos e a simpatia das gentes das aldeias, mas também lixo, placas  orientadoras do trajecto vandalizadas e a destruição provocada pelos incêndios do último Verão. É pena ver que ainda há quem não seja civilizado e se dê ao trabalho de "mexer no que está quieto" só para estragar.

A Isabel e o Artur, com a simpatia e a hospitalidade habituais, esperavam-nos com um cozido de "chorar por mais" e o verde tinto para recompor energias. O frio, esse acompanhou-nos todo o caminho, o que tornou ainda melhor a aventura.

Logo ao almoço, ficou agendado o regresso a Almofrela ainda antes do Natal, novamente a pé pela serra acima. E que bom que era já não ver nem lixo nem sinais de vandalismo. À atenção das Câmaras do Marco e de Baião.


05
Dez 10
publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar

Nos últimos anos vem sendo habitual, na época de natal, a Câmara proceder à alteração da postura do trânsito na zona central da cidade.

A medida, na minha opinião correcta, visa dotar o centro da cidade de estacionamento. Lamentavelmente, a maior parte do lugares são ocupados pelos comerciantes e pelos funcionários dos serviços.

Este ano, e com iniciativas como a que decorre até amanhã nas imediações dos Paços do Concelho (Marco de saberes e sabores), mais motivos haveriam para que se voltasse a alterar o trânsito no centro cidade, mas até hoje ainda não se sabe se será ou não novamente implementada a medida.

Entendo que a Câmara deveria alterar novamente o trânsito, ajudando dentro das suas possibilidades os comerciantes, mesmo que estes continuem irresponsavelmente a ocupar os lugares que se destinam aos clientes. Se o voltassem a fazer, não se poderiam queixar da falta de estacionamento nem culpar a Câmara pela falta de lugares.


04
Dez 10
publicado por João Monteiro Lima, às 22:05link do post | comentar | ver comentários (2)

O deputado do PSD eleito pelo Porto, Luís Vales, natural do Marco onde é deputado municipal, enviou-nos os seguintes links com a primeir aintervenção efectuada enquanto deputado. Trata-se de um intervenção que versa uma petição relativa à impossibilidade de transferência de Verbas dos Municipios para os respectivos serviços sociais dos trabalhadores das autarquias locais.

É com agrado que publicamos os links sobre a intervenção deste amigo que rumou a Lisboa para ocupar o lugar de Agostinho Branquinho.

Para o Luís, deixo os votos de um bom trabalho em prol do Marco e do País e que o Marco2009 continua a acompanhar o seu desempenho na Assembleia da República.

Eis os links:

 

http://videos.sapo.pt/g0ojvJT6IU3TCDT2UHTo

 

https://webmail-psd.parlamento.pt/exchweb/bin/redir.asp?URL=http://videos.sapo.pt/g0ojvJT6IU3TCDT2UHTo


publicado por João Monteiro Lima, às 11:05link do post | comentar | ver comentários (8)

Segundo avança a edição on-line do Correio da Manhã, a Câmara do Marco decidiu avançar com o corte e energia em algumas ruas da concelho. Uma medida parecida com esta tinha sido defendida na Assembleia Municipal de Fevereiro passado por Bento Marinho, actual deputado municipal do PSD e vice-Presidente da Câmara no mandato anterior. Bento Marinho ia ainda mais longe ao propôr o corte de energia a partir de determinada hora, percebi que a proposta do deputado Bento Marinho apenas a ele o vinculava e posteriormente questionei o executivo sobre este assunto.

Não sabendo, até porque não se lê em lado algum a forma que será executada a medida e nem todos têm em tempo para ir às reuniões de Câmara (se é que foi abordada a questão) e não sendo fácil apurar quais os reais ganhos com esta medida (ganhos que se estendem para além dos montantes que a Câmara irá poupar, há que pensar na segurança dos moradores ou em quem circula nas ruas durante a noite), penso que mais do que desligar as luzes nas ruas do concelho, a medida poderia ser implementada de uma outra maneira: desligando onde não se justifica, por exemplo, no Parque Fluvial do Tâmega e intercaladamente nas ruas.

É pena que uma medida destas não seja amplamente transmitida aos marcoenses, através dos órgãos de comunicação social locais e através do site do município, através das JF e dos párocos das freguesias. De pouco serve a informação se não for transmitida e de pouco servem os assessores se nem a informação conseguem transmitir.

tags: ,

02
Dez 10
publicado por António Santana, às 21:56link do post | comentar | ver comentários (2)

Vários políticos europeus têm referido que Portugal necessita melhorar a sua legislação laboral e torná-la mais flexível. Não estou de acordo. O problema de Portugal não é liberalizar para despedir. É, antes de mais, qualificar trabalhadores e empregadores. Dar a possibilidade de formação contínua e bom ensino aos trabalhadores. Criar formas para que os empregadores entendam que não é com salários baixos e más condições de trabalho que se motivam funcionários.

Esses senhores, que falam do alto da sua sabedoria, de certeza que não sabem que a nossa legislação sofreu alterações significativas e que não são impedimento de nada. São leis que permitem flexibilidade e modernização. Considerar a legislação laboral portuguesa um dos factores principais dos problemas que temos é pura ignorância ou pura hipocrisia. Estamos muito longe dos salários mínimos dos nossos principais parceiros europeus. Os salários baixos de muitos Portugueses são mais preocupantes do que a actual legislação. Quer-me parecer que esses recados são mais um daqueles conselhos que não devemos seguir, como não deveríamos ter seguido os conselhos de abandonar a agricultura, as pescas, as indústrias metalo-mecânicas e outras indústrias que cedemos a troco de euros e  que agora temos que devolver a custos que desconhecemos.

Está na hora de pensarmos pela nossa cabeça e sabermos o que nos interessa e não o que interessa a outros. Sim, porque tudo isto é um jogo de interesses.


publicado por João Monteiro Lima, às 19:13link do post | comentar
A meteorologia avisa para a diminuição das temperaturas durante as próximas horas até ao fim do dia de amanhã.
As temperaturas deverão baixar até 6 graus sendo possível que venha a ocorrer queda de neve no Marco.
É pois mais um motivo para que se tenha mais cuidado quer estrada quer com as crianças e idosos.
Na estrada os automolistas devem ter cuidados redobrados com o gelo e/ a neve, devendo ser respeitadas as instruções que, eventualmente, venham a ser transmitidas.
É motivo para dizer que todos os cuidados são poucos.

01
Dez 10
publicado por António Santana, às 19:42link do post | comentar | ver comentários (8)

Segundo me dizem, e se assim não for perdoem-me, no próximo Domingo dia 05 de Dezembro de 2010, pelas 15 horas no Estádio Municipal do Marco de Canaveses, realizar-se-á o 1º Jogo de Futebol Sénior, oficial, entre as equipas que representam as sedes dos concelhos do Marco e Baião. Trata-se de um momento histórico relevante e ainda mais significativo dado que a AD MARCO 09  e AD BAIÃO  partilham, neste momento, o primeiro lugar da 1ª Divisão da AF Porto.

É um momento interessante para que os Marcoenses e Baionenses demonstrem a sua dedicação ao desporto nestas terras e apoiem as suas equipas. Espera-se um bom espectáculo e desejo que seja uma tarde de bom convívio entre vizinhos que têm muito em comum. Espero que ganhe o melhor e que esse seja a AD MARCO 09.


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO