Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
28
Nov 09
publicado por José Carlos Pereira, às 17:25link do post | comentar

O JN de ontem publicava um trabalho a partir do Anuário Estatístico Regional 2008 editado pelo Instituto Nacional de Estatística. Aí se pode ver que a região Norte pouco evoluiu na riqueza criada, por habitante, considerando a paridade do poder de compra, face à média de Portugal (100%).

A região Norte passou de 79,5% em 2006 para 79,6% em 2007. Dentro da região, o Tâmega, onde se inclui Marco de Canaveses, mantém o pior indicador, mesmo crescendo de 55,5% em 2006 para 58,1% em 2007. À sua frente estão o Minho-Lima (63,7%), Douro (67,1%), Alto Trás-os-Montes (67,6%), Ave (72,2%), Cávado (76,6%), Entre Douro e Vouga (81,7%) e Grande Porto (99,8%).

Mais um (conhecido) desafio que se impõe aos dirigentes da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa.


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO