Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
23
Jan 10
publicado por José Carlos Pereira, às 14:00link do post | comentar

A assembleia de militantes do PS/Marco rúne esta tarde e deverá constituir mais uma oportunidade para prolongar a catarse iniciada em Dezembro passado com a análise dos resultados eleitorais das autárquicas. Artur Melo poderá dar sinais mais claros sobre o que pretende fazer, muito embora tenha para mim como adquirido que se recandidatará a um terceiro mandato como presidente da Concelhia. Será já a altura de começar a conhecer o calendário eleitoral?

Numa semana marcada por várias reuniões entre os socialistas marcoenses, contando num dos casos com a presença de José Luís Carneiro, o militante Abel Ribeiro confirma, em comentário anterior, que Rolando Pimenta está determinado a disputar a concelhia com Artur Melo e isso é um sinal de vitalidade muito positivo para o PS/Marco. Teremos de esperar pela definição do quadro completo de apoios que consegue reunir para ver se são suficientes para apear Artur Melo.

Entretanto, também será curioso ver como os militantes e dirigentes socialistas se posicionam em face da anunciada disputa pela Distrital, em que José Luís Carneiro aparece disposto a enfrentar Renato Sampaio. Estou certo que a maioria dos militantes dará o seu apoio a Carneiro, que sempre esteve solidário com os socialistas marcoenses, muito embora no núcleo duro da Concelhia haja responsáveis com relações privilegiadas com Renato Sampaio.

É bom, por outro lado, que o PS/Marco não caia na tentação de se limitar a olhar para o seu umbigo e se abra a todos os marcoenses que simpatizam com o PS. Até porque este ano que começa exige do partido uma forte mobilização no combate das presidenciais. Tudo aquilo que não sucedeu em Marco de Canaveses nas europeias e nas legislativas de 2009.


A cartarse continuou, de facto.
Com o avançar de Rolando Pimenta para a liderança da Concelhia, acentuou-se uma tendência, que corre o risco de ser uma "clássica", a afirmar-se : muito do tempo da Assembleia é ocupado (tal como na anterior) a, de modo mais elegante ou mais arruaceiro, criticar, pela enésima vez, o Rolando Pimenta e o Abel Ribeiro, porque não foram "his master voice" no período eleitoral, porque, talvez, pensam e "não se fazem de mortos".
Mas a Assembleia foi clara.
Há 2 campos definidos :
- um PS que só será"Partido Socialista" de nome, feito "sindicato" de interesses de promoção de projectos pessoais, e onde não há "matriz ideológica" (chegou-se ao ponto de um famoso auto-proclamado porta voz oficioso de Artur Melo - falo de Jaime Teixeira -ter dito que isso de "matriz ideológica" não interessava nem ele percebia o que era, eram palavras caras. isto vindo de alguem que não é iletrado, foi figura de destaque ao lado de AM, gere um blog, é grave...
- Um PS que quer ser refundado, com base na sua "Declaração de princípios", que quer ser fiel a uma matriz ideológica e faz dela o seu Programa (no meu blog pessoal http://esquerdapossivel.blogspot.com/ coloquei na 6ª feira, o texto que ontem disponibilizei na Assembleia, que é a minha reflexão sobre o situação local do PS e que me faz, por comunhão de ideologia, estar com Rolando Pimenta).
De resto, estranhei que 2 moções, presentes por Rolando Pimenta, uma de apoio a José Luís Carneiro, na sua corrida para a liderança distrital, outra de apoio á intenção de candidatura de Manuel Alegre a Presidente da República, dado a polémica causada, tenham tido de ser retiradas, pelo proponente.
Se em relação a Alegre, compreendo (é "institucionalmente cedo"), estranho que quem, num jantar de 4ª feira, a convite de José Luís Carneiro, para "arregimentar" apoios á sua candidatura distrital,de facto, a apoiou (Artur Melo), tenha, perante uma Asembleia de Militantes onde predominava a sua "entourage" pessoal, não tenha lutado pela admissão e validação dessa moção, para ratificar a posição ue tomou.
No PS está na altura de deixarmos os apelos cinzentos á unidade em torno de pessoas, para nos unirmos em torno de um projecto de esquerda para o Marco.
Abel Maria Simões Ribeiro a 24 de Janeiro de 2010 às 14:32

Lamento o estado em que se encontra, há muito, o PS/Marco. Infelizmente, os aparelhos não são facilitadores de um debate franco e leal.
Vou procurar ler o seu documento.

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO