Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
23
Jan 10
publicado por José Carlos Pereira, às 01:02link do post | comentar

A anunciada reunião da  Assembleia de Freguesia de Tuías, que ontem decorreu, proporcionou fumo branco quanto à constituição da Junta de Freguesia. Segundo informação que nos chegou, um eleito do PSD, à revelia das orientações da sua lista, viabilizou a constituição do executivo proposta por Armindo Loureiro, a troco de um lugar na Mesa da Assembleia de Freguesia.

Esta informação carece de mais informação,  mas se assim foi caiu por terra a estratégia dos eleitos do PSD e Armindo Loureiro saiu como vencedor. Constituiu a Junta conforme quis e sem fazer cedências aos seus adversários.


A candidatura do PSD a esta junta à qual pertenci, estabeleceu um objectivo, que seria ganhar as eleições, para que Tuías evolui-se, para que as pessoas soubessem que Tuías também é Marco e não apenas Fornos. E assim foi, fomos a eleições e perdemos por uns escassos noventa e poucos votos, ganhou a candidatura de TDI ", embora sem a maioria absoluta que tanto queriam.
A decisão de quem faria parte da junta (secretario e tesoureiro) estaria nas mãos dos candidatos eleitos, a saber 4 TDI , 3 PSD, 2 Marco Confiante c/ F.Torres . Assim deveria ter sido.
Nós candidatos do PSD a Tuías juntamo-nos após este acontecimento e traça-mos um objectivo, que seriam manter a nossa posição até ao desfecho.
Houve uma primeira reunião onde foi reprovado o secretário da candidatura TDI , e que desaguou numa irritação do Senho Loureiro, na qual terá dito que assim sendo não faria junta e haveria novas eleições. Mas, segundo o que sei voltou atrás com a sua palavra, porque as leis que o presidente da Junta de Freguesia tanto gosta não o permitiriam recandidatar-se. O que aconteceu? Voltou com a palavra atrás, o que fez cair muita "tinta" em blogs e jornais. O objectivo e a palavra por parte do PSD foram mantidas.
Na reunião de ontem na Junta de Freguesia de Tuías assistimos a um verdadeiro circo. Tinha-mos uma mesa horizontal onde estariam sentados o senhor Armindo Loureiro e o tesoureiro senhor Francisco, ficando fora dessa mesma mesa o secretário TDI que acabou por ser eleito, ainda que de uma forma fantasmagórica.
Houve uma primeira votação para a eleição do senhor Santana que foi indeferida, havendo 5 votos contra e 4 a favor. Posto isto, assistimos a um mar de bocas (durante cerca de meia hora), e vimos também uma tentativa do candidato a secretário TDI de persuadir os presentes que a freguesia de Tuías é que estava a sofrer com tudo isto, e que deviam ter uma espécie de peso na consciência caso nao o elegessem. Esta tentativa de persuasão que foi o suficiente para conseguir convencer um elemento da candidatura do PSD a pedir nova votação e a votar em branco, e assim Armindo Loureiro escolheu o seu secretário. Este candidato que usufruiu da liberdade do seu voto, que lhe valeu uma ida para a presidência da mesa de assembleia, que terá sido proposta a todos os presentes e apenas um terá aceite o cargo. E saiu fumo branco pela chaminé da junta.
Devo em nome da maioria dos candidatos do PSD à junta de Tuías pedir desculpa a todos os que acreditaram em nós, infelizmente a palavra, o objectivo, a vontade que parecia-mos ter em comum foi quebrada por um voto em branco. Ao contrário do que muitos podem pensar, não venceu a democracia mais uma vez, pois os habitantes de Tuías que votaram no PS, no MCFTe no PSD mostraram que tavam fartos de ver a nossa freguesia parada no tempo e cansados de tirania. Os tuienses votaram e mostraram que não queriam o Sr. Loureiro. Isto não terá sido uma vitória para Tuias , isto foi a prova que vale mais o capricho de um homem só que a vontade de toda uma freguesia.
É uma pena a palavra já não valer nada.

Respeitosamente
Paulo Ricardo Teixeira
Paulo Ricardo Teixeira a 23 de Janeiro de 2010 às 14:04

Compreendo facilmente o sentimento que manifesta, já que um eleito do PSD deitou por terra a estratégia do conjunto da lista. Não foi a primeira vez, nem será a última. Recordo que já em 2001 o processo de constituição da Junta de Tuías deu muito que falar.
A lei tem um "buraco" que urge resolver. Deixe-me dizer, no entanto, que não concordo quando refere que "Os tuienses votaram e mostraram que não queriam o Sr. Loureiro". Tuías , na verdade, deu a vitória à lista liderada por Armindo Loureiro. Sem maioria, é certo, mas, ao fazer dele o mais votado, Tuías mostrou que queria Loureiro como presidente da Junta.

Ainda que seja suspeito, partilho a opinião do José Carlos Pereira, e posso acrescentar mais: a vitória nas eleições, ainda que possa parecer à primeira vista apertada, foi, indubitavelmente, uma prova de confiança da freguesia de Tuías no seu Presidente de Junta. Não podemos esquecer que muitos dos anteriores apoiantes de Armindo Loureiro se passaram com armas e bagagens para outra candidatura: a tal que "todos" esperariam que ganhasse.
Concordo também que é urgente que a legislação mude de forma a garantir que a lista mais votada possa formar junta sem estar refém de interesses, venham eles de onde vierem. De quatro em quatro anos, novos ciclos eleitorais permitirão que aqueles que acham que conseguiriam fazer melhor, se apresentem ao eleitorado e que este diga da sua justiça.

António Loureiro
António Loureiro a 24 de Janeiro de 2010 às 20:45

Estamos de acordo. Folguei ver-te disponível para uma participação cívica e política e lembrei-me que há mais de vinte anos - quando éramos jovens! - estivemos na mesma lista candidata à Assembleia de Representantes da Faculdade de Letras do Porto.

Penso que há confusão entre Antónios Loureiros,
o comentário será do Tó e não do Nocas. Relativamente á alteração da legislação não sei se a forma de a alterar é persistir e permanecer sem assembleia ou conseguir soluções fracturantes e de democracia duvidosa para formar a Junta. Será que em Lisboa ainda ninguém entendeu que esta lei não serve?
alcino jorge a 26 de Janeiro de 2010 às 01:27

Alcino, achas que me precipitei e que me "enganei" no António Loureiro que escreveu? Se assim foi, as minhas desculpas, com um abraço para ambos os Antónios - passo muito tempo sem ver o Tó Loureiro.

Ele há cenas que parecem ases
alcino jorge a 23 de Janeiro de 2010 às 15:59

Peço imensa desculpa pelo mal entendido que pode causar a minha citação: "Os tuienses votaram e mostraram que não queriam o Sr. Loureiro". Pois aquilo que era de minha intenção transparecer aos leitores seria que, os votos que teve o PSD, o PS e MCFT (e também a abstenção) na sua completude são mais do que aqueles que teve TDI. Na minha maneira de ver a situação, e conhecendo a freguesia como conheço, isto diz-me muito. Diz-me que em Tuías são mais os que não gostam do que têm tido nestes últimos oito anos, do que os que parecem ter gostado. Mas enfim... não tenho que me lamentar.
Aproveito, que este comentário é destinado a um dos escritores deste blogue, para dizer que finalmente existe um blogue com assuntos referentes ao Marco e a outras notícias importantes que é digno de ser visto. Parabéns e continuem. Este blogue já faz parte das minhas rotinas mais agradaveis.
Paulo Ricardo Teixeira a 23 de Janeiro de 2010 às 22:09

O Marco 2009 conta com todos os leitores atentos e interessados e agradece as suas palavras.

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO