Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
29
Mar 10
publicado por José Carlos Pereira, às 20:00link do post | comentar

A convite de autarcas de Baião, estive ontem naquela vila na V Feira do Fumeiro e do Cozido à Portuguesa. Não foi a primeira vez que ali me desloquei mas pude constatar novamente o sucesso desta iniciativa, ancorado na aposta na genuinidade dos produtos locais (carnes, enchidos, vinhos, doces, fruta, etc.).

A feira leva até Baião muitos turistas e visitantes de outros concelhos e é um óptimo veículo de promoção do município, das suas culturas e das suas gentes. Uma dinâmica que merece ser acompanhada e que pode ser reproduzida em iniciativas semelhantes realizadas em Marco de Canaveses. Todos aprendemos com todos.

tags:

Caro Amigo,
mais uma vez estamos em plena sintonia. Infelizmente este ano não tive oportunidade de visitar a Feira do Fumeiro, mas estive nos últimos anos e constatei que é um sucesso e que atrai turistas a Baião.
João Monteiro Lima a 30 de Março de 2010 às 00:07

Baião é sempre Baião!Era bom que o Marco tivesse como exemplo algumas iniciativas dessa linda vila! E as pessoas do Marco sempre marcam presença nessas festas.Vejam, por exemplo como estava tudo bem organizado na gigantesca tenda, desde as barraquinhas do fumeiro, aos restaurantes e ao palco, onde as pessoas podiam assistir sem estarem ao sol ou à chuva.No Marco faz-se muita festa mas com pouca organização, que compromete a qualidade. Parabéns a Baião!
marcoeense a 30 de Março de 2010 às 00:36

Estive no domingo com José Luís Carneiro e almocei com Paulo Pereira, vice-presidente da Câmara, e fiquei a conhecer detalhes da organização da feira e do trabalho efectuado a montante com os produtores e comerciantes. Não tenho dúvidas de que Baião está no caminho certo para construir um "produto" de qualidade, ao nível dos melhores eventos congéneres que acontecem no país.

E, já agora que parte do cozido gostou mais? Da culinária do cozido ou da culinária política?
Calheiros a 30 de Março de 2010 às 23:20

Nem toda a gente vive de congeminações e artifícios.

Baião tem um passado em organizações deste âmbito, que não tem o Marco.
Sei do que falo, pois por lá andei 16 anos da minha vida e vi como esta feira de fumeiro se iniciou.
Para além da boa organização, há por parte dos produtores e habitantes Baionenses, uma dedicação ao que é da sua Terra, coisa que não se vê por muitos lados....
As pessoas são prestáveis e "ajudam" a Edilidade na promoção dos seus Produtos e Tradições.
As pessoas de Baião, preocupam-se em divulgar pela positiva a sua terra…
Um abraço para os meus Amigos que por lá deixei.
Joaquim a 31 de Março de 2010 às 21:35

Percebo o queres dizer, meu caro. Como escrevi, todos aprendemos com todos e fica-nos bem, a nós marcoenses, aprendermos com as boas práticas dos nossos vizinhos.

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO