Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
06
Jul 10
publicado por José Carlos Pereira, às 13:45link do post | comentar

De acordo com as informações veiculadas pelo presidente da Câmara, Manuel Moreira, ao "Jornal de Notícias" de hoje, a REFER terá cancelado o processo de concurso da empreitada de requalificação e electrificação da Linha do Douro, entre Caíde e Marco de Canaveses. A confirmar-se esta decisão é um sério revés para os marcoenses.

Compreendo as palavras de revolta de Manuel Moreira e as suas razões de queixa pelo facto da região Norte e particularmente o Tâmega serem os parentes pobres do investimento decidido na capital, mas numa altura de crise económica e financeira como aquela em que vivemos há muito investimento que tem de ser suspenso e adiado. Portugal não pode continuar a endividar-se da forma como o fez até aqui.

Cabe agora às Câmaras e Assembleias Municipais, aos deputados, às estruturas partidárias concelhias e distritais e aos responsáveis da administração desconcentrada do Estado manter em cima da mesa a prioridade deste projecto de electrificação da Linha do Douro, de modo a que, na primeira oportunidade, ele volte a ser uma prioridade do Governo e da REFER.


Se para o governo é imparável a linha do TGV, não percebo para que se vai gastar dinheiro entre Caíde e o Marco.
Anónimo a 6 de Julho de 2010 às 21:45

Não percebo bem a sua questão. A linha do TGV também já foi travada, designadamente no troço que incluía a terceira travessia do Tejo. Mas não percebo a relação que estabelece com a electrificação da Linha do Douro.

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO