Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
16
Jul 10
publicado por José Carlos Pereira, às 00:15link do post | comentar

A Câmara Municipal de Marco de Canaveses acabou por tornar pública a lista das personalidades e entidades que serão amanhã distinguidas com as medalhas honoríficas do município, no âmbito da programação das Festas do Marco.

Se exceptuarmos a Medalha de Honra do Município atribuída ao Bispo do Porto, D. Manuel Clemente, sobressai um critério pouco ousado na atribuição dessas distinções. Vemos nessa lista, nomeadamente, três párocos do concelho, professores e funcionários municipais aposentados, funcionários que completam vinte e cinco anos de serviço e um conjunto de empresas, algumas das quais, com o devido respeito, apenas se distinguem pela longevidade.

Todas as personalidades e entidades homenageadas tiveram um percurso que as recomenda para serem distinguidas pela Câmara Municipal, interpretando assim o sentir dos marcoenses? À luz do meu critério de exigência, não me parece.

E creio que esta lista poderia ser acrescentada de muitas outras personalidades, algumas das quais já foram referidas neste blogue. Estou a lembrar-me, designadamente, do padre Bernardino Queirós Alves, que se tem notabilizado pela sua obra social e de apoio aos mais carenciados, e do historiador de arte João Belmiro Pinto da Silva, um dos investigadores que mais se debruçou sobre a nossa história e o nosso património, e que justificava plenamente uma homenagem póstuma pela obra que deixou.


concordo plenamente consigo,há medalhados que não me parece que possam merecer distinção.
outras como o costume esqueceram-se.
a mercearia a rosairinha,a mercearia do zé bacalhau,o café stºantónio,o talho cunha,a carpintaria jorge,a associação cultural e recreativa de tabuado,e mais alguns em tabuado.
o restaurante ferrador,os matadouros de soalhães,etc,etc....
e os lavradores desta terra?
as doceiras de s.nicolau?
as lavradeiras que todas as semanas poêm os seus produtos no mercado municipal?
as donas de casa e mães exemplares do nosso concelho?
meu amigo estava aqui toda a noite e mesmo assim havia de me esquecer de alguém.
a senhora dos queijinhos fresco da aboboreira dªana?
compreendo só vaidades...
um abraço
amm
tonaci a 16 de Julho de 2010 às 00:55

Caro António Machado, defendo, sobretudo, um critério mais exigente para não se banalizar a atribuição destas medalhas honoríficas.
Um abraço

Meu caro Dr. José Carlos

Não poderia estar mais de acordo com aquilo que escreveu. De facto os critérios de atribuição destas "honrarias", se é que os há, deveriam ser mais transparentes e serem conhecidos dos municipes. No tocante às duas personagens que teve a gentileza de referir dou-lhe plena razão naquilo que invoca. Conheço muito bem o Padre Bernardino ( foi meu colega de carteira, no antigo Colégio do Marco) e era um excelente amigo, duma humanidade tremenda, tendo para com os seus colegas uma atitude de grande bondade e ternura. Embora a sua vocação fôsse tardia, cedo se revelou na sua pureza de sentimentos para com os seus "irmãos",pelo que não me surpreende a sua OBRA. Quanto o Historiador de Arte, embora não o conhecendo, mas pelo que ouvi do senhor, bem merecia ser reconhecido pela Autarquia.

Saudações

José António
José Antonio a 16 de Julho de 2010 às 01:19

Quais os critérios? apoios em campanha eleitoral???? pouca vergonha. Artur Melo não apareça mais a reuniões. deixe essa gente a falar sozinha
Cristiano Nunes a 16 de Julho de 2010 às 15:01

Desconheço como votou o vereador Artur Melo aquando da aprovação destas medalhas honoríficas no executivo. Teremos de esperar pela publicação da respectiva acta.

Caro Dr José Carlos
Esclareça-me um dúvida, se souber, existe algum Regulamento Municipal da Medalha ou a sua atribuição depende do critério e boa vontade do executivo?
Apesar de não acompanhar este processo, dado o número de agraciados anunciados ao longo dos anos, um dia destes não haverá no Marco, funcionário municipal ou professor reformado sem a respectiva medalha. Não será uma forma de banalizar aquilo que seria uma distinção?

antonio ferrreira a 16 de Julho de 2010 às 18:58

Meu caro, o Código Regulamentar do Município, de Agosto de 2009, tem um capítulo dedicado às "Distinções honoríficas", que caracteriza as diferentes medalhas e define as competências de aprovação. Passo a citar esta parte:
"A concessão das distinções honoríficas compete à Câmara Municipal, por deliberação aprovada por maioria absoluta, sob proposta devidamente instruída do Presidente da Câmara Municipal ou de qualquer dos Vereadores.
2 — A Assembleia Municipal poderá efectuar recomendações à Câmara Municipal.
3 — Será dado conhecimento da concessão de qualquer distinção à Assembleia Municipal na sessão seguinte."
Quanto aos critérios, eles ficam com quem propõe as medalhas...

Isto dá para rir!
Atribuir medalhas a empresas que não existem...pelo menos não têm actividade e logo medalha de "ouro".
Será pelo facto de terem andado com as bandeirinhas do PSD a primeira vez na última campanha e anteriormente tão mal falaram do Dr. Manuel Moreira?
Resta-lhes esta triste consolação de receberem uma medalhinha.
Marcoense a 16 de Julho de 2010 às 20:58

Não sei a que empresas inexistentes se refere. Quer detalhar?



Esta é mais uma iniciativa da câmara municipal que não é a realizada da melhor forma. A ideia é boa, a aplicação é fraca. Acho que não deviam ser atribuídas medalhas a empresas, pois no meu entender as medalhas só devem ser atribuídas a quem se destaque a nível pessoal em prol da melhoria de bem-estar da população do Marco. E como as empresas têm como principal objectivo a maximização do seu lucro, não deviam ser galardoadas. Por isto, acho esta condecoração é mera publicidade que a câmara esta gratuitamente a realizar a favor das empresas.
josé Augusto Pereira a 17 de Julho de 2010 às 11:32

Diz o código Regulamentar que as Medalhas de Mérito do Município, entre as quais se assinala o Mérito Profissional, "destinam -se a galardoar pessoas singulares e colectivas que, no âmbito das respectivas actividades, tenham praticado actos de notável importância que contribuem para a promoção, o bom nome e o prestígio do
Município."
Contudo, penso que o critério prático, em alguns casos, se baseia sobretudo na longevidade das empresas. O que é manifestamente pouco.

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO