Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
26
Jul 10
publicado por José Carlos Pereira, às 00:15link do post | comentar

No meio das dificuldades financeiras sentidas pela Câmara Municipal de Marco de Canaveses nem tudo são más notícias. O jornal "A Verdade" de sexta-feira passada revela que o Gabinete Jurídico da autarquia se pronunciou desfavoravelmente ao pedido do ex-presidente Avelino Ferreira Torres no sentido de que a Câmara suportasse os cerca de 121.000 euros de encargos com custas judiciais e honorários de advogados. A questão já tinha sido abordada aqui.

O presidente da Câmara, Manuel Moreira, ficou satisfeito com o parecer e continua a dizer que só pagará essa verba se a isso for obrigado. Custa-me que a crer que a Lei e a jurisprudência venham em auxílio de Ferreira Torres.


Quando não se sabe de leis, não se deve opinar.
António a 27 de Julho de 2010 às 00:58

Não sei se se refere ao parecer do Gabinete Jurídico ou à minha singela opinião, que vão no mesmo sentido. Mas como dizia Artur Jorge, nos seus tempos áureos de treinador do FC Porto, "no fim fazem-se as contas"...

O gabinete juridico sabe muito pouco de tudo.
António a 29 de Julho de 2010 às 13:22

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO