Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
10
Dez 10
publicado por João Monteiro Lima, às 13:45link do post | comentar

Do leitor Paulo Ricardo Teixeira recebemos o texto que transcrevemos na integra intitulado Carta aos jovens marconeses, aproveitando para agradecer ao leitor o texto que enviou e as palavras simpáticas sobre o Marco2009 bem como lamentar o facto de só hoje nos ser possível a publicação do texto.

Paulo Ricardo, obrigado e votos de um bom natal para si e para os seus.

 

 
 
Carta aos jovens marcoenses

Caros Jovens Marcoenses,

 

Tal como a velha canção escrita por Carlos Tê,  e interpretada por Rui Veloso nos diz, por vezes é difícil ter que encarar o futuro com borbulhas no rosto. É exactamente acerca desse futuro que quero falar um pouco.

Comecemos com uma simples pergunta que dirijo a todos vocês: Marco de Canaveses é ou não uma cidade com futuro? Pois veremos. Numa primeira análise, se quisermos procurar onde está a juventude, certamente a encontrámos nas escolas ou no largo Sacadura Cabral numa noite de Sábado. Encontraremos também no hóquei em patins, no futsal, no futebol, na natação e em escassas outras situações.

A idade que atravessa todo o tempo de juventude, é uma idade marcada pela irreverência, pela energia de quem chega, pela revolta, pela constante procura de um mundo melhor, que nos mantém a nós jovens, originais. É toda esta originalidade de um jovem que marca muitas vezes o progresso de uma cidade, o seu futuro.  Foi graças a jovens que nunca desistiram, nunca se conformaram e sempre lutaram até à exaustão, que se progrediu, e mostrou aos mais antigos, que progresso não é pecado, é querer viver melhor.

Vejo em Marco de Canaveses, uma juventude acostumada, parada, que se limita em grande percentagem a estimular a economia dos bares marcoenses. ou das operadoras de internet.

Ide mais longe: Produzam, reivindiquem, gritem, lutem, estejam atentos.  O Marco tem futuro? Tem, mas depende da tua irreverência e da tua energia. Aplica-as, não as guardes no armário.

 

Cordialmente,

Paulo Ricardo Teixeira


Eu como presidente da associação de estudantes da escola secundária de Marco de Canaveses não poderia passar por este post sem deixar uma palavra.

Como tal concordo plenamente com o que o meu grande amigo diz acerca dos jovens Marcoenses, devemos todos agir, não ficarmos parados, investir em incentivos a população jovem da nossa cidade !

Abraço ;)
João Soares a 10 de Dezembro de 2010 às 18:01

Penso que o leve registo linguístico ajuda a passar a mensagem a um publico mais abrangente..O texto está bom..é muito do que penso também,mas já não tenciono mudar.. esse povo de agora é vazio de ideais, vive ficção.. não se suja na rua e não estraga sapatos..normalmente despreza e marginaliza aqueles que fizeram da cidade o que ela é hoje.. Os jovens de que falas são os donos da verdade de hoje mas esquecem-se que essa verdade lhes chegou as mãos através das nossas bata-lhas para a preservar...Sendo eu um jovem marcoense não me senti visado nesta carta porque creio fazer parte de uma geração que embora não seja maioritariamente adulta não faz de todo parte desta sociedade virtual.
Anónimo a 10 de Dezembro de 2010 às 18:17

como jovem , como habitante do marco que durante muitos anos fui , concordo totalmente com o escrito em cima.
cabe a nós, cidadãos jovens do marco impulsionar para que seja feita uma mudança , que por mais pequena que seja será significativa.
somos nós ( epor mais que nos cortem as asas ) que temos esse dever. Somos o futuro, num país desconfiado, e em que muitas vezes as regiões mais interiores são descuradas pelo enorme centralismo existente neste país.
mais papéis interventivos, para que possamos ter uma população jovem cada vez mais dinâmica e com objectivos, para que nos possam levar a um lugar mais bem mais acima do que pensamos atingir, e não ao mesmo sedentarismo a que estão habituados.
Haja vontade de cumprir e de levar a palavra ....

(Parabéns paulo )
miguel santos a 10 de Dezembro de 2010 às 21:06

Caro Paulo Ricardo,
este texto é um dos melhores que li nos últimos tempos, objectivo e claro. Linguagem acessível e frontal, a demonstrar maturidade,
Entendo o texto como um apelo à participação dos jovens na construção do nosso concelho. Uma participação que se quer activa e não circunstancial. O parágrafo final deve ser lido, relido, comentado, discutido e lembrado. Lamentavelmente muitos jovens andam desligados da participação na construção do futuro e o texto pretende essa participação e o alerta é importante.
Entendo que este texto deve chegar mais longe, aos destinatários principais, os jovens da nossa terra. Paulo tens o dever de o levar mais longe.
O leitor João Soares que se identificou como presidente da AE da secundária do Marco deve fazer chegar este texto aos restante colegas de escola. Assim, como deve chegar a outras escolas e grupos de jovens.
Paulo, deixo-te o desafio para voltares sempre que entenderes, fazes falta, não só ao blogue mas ao Marco.
João Monteiro Lima a 10 de Dezembro de 2010 às 23:58

Caro amigo João Soares,

és neste momento presidente da associação de estudantes da escola secundária do Marco. Um desafio que também já tive, e o qual recordo com imensa saudade.
Vejo em ti imensas qualidades, dentro das quais uma fundamental: capacidade de liderança. És um líder nato e, consequentemente tens uma obrigação fruto desta qualidade. A obrigação de fazer com que a escola seja um local melhor, e imagem do progresso da nossa juventude. Tenho a certeza que o farás.

Um abraço
Paulo Ricardo Teixeira a 11 de Dezembro de 2010 às 00:38

“É ver os jovens às 6.ªs e sábados à noite de mini numa das mãos e cigarro na outra a deambular de bar em bar para entre um gole de mini e uma passa de cigarro “abafarem” uns quantos “shot’s” e acabarem numa qualquer esquina a cumprir as ordens naturais do organismo que rejeita o que está em excesso.”
Há uns meses a esta data escrevi um artigo para o Jornal A Verdade, o qual também publiquei no meu blog http://emmoreira.blogspot.com/ no qual se podia ler o parágrafo acima transcrito.
É lamentável ver-se tão poucos projectos para os jovens, sendo que também muitos deles se auto excluem fruto do modo de vida sedentário que se alimenta!
Poucas são as Associações que se preocupam com os jovens.
É o Marco de ontem, ainda a ser vivido hoje, faço votos para que amanhã já não seja assim!
Emanuel Moreira a 11 de Dezembro de 2010 às 00:42

Caro Anónimo,

Tenho pena que tenha desistido.
Esta juventude não é vazia de ideias, de vontades, de inteligência. Esta juventude é carregada de sonhos e, são estes mesmo sonhos, que nos fazem ir à guerra lutar, lutar, lutar por um mundo melhor. Nem todos são fortes e, são os que ainda vão tendo forças que as devem unir numa mesma direcção: o progresso. E mesmo que percamos, devemos querer perder sempre melhor.
Quando os sonhos se vão, vai-se a juventude...
Obrigado pelas suas palavras,

Cumprimentos,
Paulo Ricardo Teixeira a 11 de Dezembro de 2010 às 00:48

Prezado amigo Miguel,

não contava encontrar aqui um comentário teu, o que me deixou deveras feliz ( não fosses tu um grande amigo ).
A tua cultura é imensa. És um jovem essencial a esta cidade.
Não foste habitante desta cidade. ÉS habitante desta cidade e, vais continuar a ser. És um apaixonado pela nossa terra. Talvez seja essa mesma paixão que une e fortifica a nossa amizade.

Um enormíssimo abraço,
Paulo Ricardo Teixeira a 11 de Dezembro de 2010 às 00:54

Caro Dr. João Monteiro Lima,

queria agradecer-lhe pelo facto de deferir o meu pedido de publicação do texto.
Estamos numa terra onde existe uma incomensurabilidade de mentes brilhantes que devem ser aproveitadas e estimuladas. Para isso é necessário que nós - juventude - nos unamos e, lutemos para provar que nós somos o futuro desta terra. Um futuro entregue a boas mãos.
Sem me alongar muito mais, deixe-me dar-lhe os parabéns a si e a todos os outros colaboradores deste blog. Um blog que produz, reivindica, grita e que está atento. Daí toda a sua jovialidade.
Paulo Ricardo Teixeira a 11 de Dezembro de 2010 às 01:12

Paulo,
agradeço as palavras simpáticas sobre o blogue.

Paulo gostava de saber o que é que para ti nós, jovens, podemos fazer para mudarmos o rumo das coisas, o que é que para ti será ser irreverente e o que será lutar e gritar (contra o quê).
Será que estás disposto a lutar e gritar contra um executivo camarário que em nada promove a participação da juventude? Que se limita a fazer festivais, com os quais concordo porque no Marco, talvez te tenhas esquecido, também existem muitos jovens, em escolas de música, em escolas de teatro, não nos podemos esquecer da onda crescente de jovens músicos que se estão a formar na nossa terra. Será que nessa tal juventude que se limita a estimular a economia dos bares, também incluis todos aqueles que ajudam a organizar o Red Bull Summer Party?
Nós, jovens marcoenses, não somos mais "acanhados" que outros nem menos irreverentes, se calhar o que os jovens marcoenses precisam é que lhes dêem oportunidades, que os políticos não olhem apenas para a "jota" que lhe está afecta.
Tenho toda a certeza que nós no Marco temos muita potencialidade e que sabemos responder sempre que chamam por nós, prova disso é a iniciativa "Limpar Portugal".

"estamos cá para o que der e vier"

Despeço-me com amizade, até um próximo comentário.
João Machado a 11 de Dezembro de 2010 às 11:34

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO