Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
25
Jun 11
publicado por João Monteiro Lima, às 17:15link do post | comentar

Pouco tempo após o falecimento de Arlindo Correia, o Marco perde  outro marcoense ligado às bicicletas. Artur Morais partiu com uma vida inteira dedicada às bicicletas e às motorizadas.

Recordo com saudade as lojas/ oficinas destes dois bons marcoenses, ambas na actual Avª Gago Coutinho, mais próxima do antigo posto GNR a do Sr Artur, com uma montra onde exponha as nossas "máquinas" e a do Sr Arlindo um pouco mais abaixo quase ao lado do Sr Miguel.

Se o Sr Artur teve alguns colaboradores, dos quais destaco o meu Amigo Pedro, actual mecânico dos Bombeiros do Marco, já o Sr Arlindo era auxiliado pelos seus três filhos.

Lembro-me de ir ver chegar as minhas bicicletas ao Sr Artur e depois aguardar que o Sr Artur a tornasse operacional. Os naturais da antiga vila do Marco recordam-se da dedicação e rapidez que, quer o Sr Arlindo quer o Sr Artur, punham nas nossas "biclas", tudo para nos devolverem o prazer de desfrutar das nossas aventuras em duas rodas.

A tristeza de ter tido conhecimento do desaparecimento do Sr Artur é superada pela certeza de saber que o Sr Artur era um grande Amigo.

Até sempre Sr Artur

 


Boa noite.
Caríssimo:
Concordo plenamente com a sua mensagem.
Na verdade, estes dois homens foram referênci-as no Marco. Alguns profissionais na área ligada às bicicletas e motorizadas aprenderam com eles. Apesar das dificuldades de locumoção de que o Sr. Artur sofria e da idade já avançada, eu admirava a coragem com que ele gostava de passar o tempo, cultivando os legumes na sua horta, sendo um bom exemplo a seguir pelos mais jovens.
Por isso, associo-me a esta homenagem pela admiração e amizade que sinto pelos dois e que descansem em paz!
António Pereira
Anónimo a 25 de Junho de 2011 às 22:46

António Pereira,
a força que o Sr Artur tinha era imensa, é como diz mesmo debilitado gostava de cultivar o seu quintal e encontrar os seus amigos.

Caro João M. Lima

Aproveito a sua informação pelo seu post no Marco 2009,para transmitir as minhas condolências à Família do meu amigo e companheiro de escola,Artur Morais.Homem duma educação esmerada,sempre com um sorriso para com todos,irradiava simpatia.Longe vão os tempos de convívio escolar com ele e o seu irmão Joaquim,mas jamais esquecidos.Paz à sua alma e recordemos todos que o Artur apenas partiu antes de nós.
Um teu amigo
João Valdoleiros
João Valdoleiros a 26 de Junho de 2011 às 00:14

Dr João Valdoleiros,
completamente de acordo com a descrição que faz quer do Sr Artur quer do Sr Joaquim Morais.

Belíssimas recordações de dois artífices das duas rodas. Sem saudosismos, mas com saudade e aquele sorriso que estes dois senhores punham ao serviço de todos os que lá iam, eu mais ao sr. Arlindo, tu mais ao sr. Artur. Verdadeiros Relações Públicas que detalhadamente partilhavam o seu conhecimento com quem, como nós, fosse mais curioso...
Jaime Filipe Teixeira a 27 de Junho de 2011 às 19:30

Jaime,
Assumo que em bicicletas fui durante algum tempo mais cliente do sr Artur do que do Sr Arlindo.
Mas era dois excelentes "aristas", sempre dispostos a ajudar os mais novos, nós, os mais impacientes e essa imagem que guardo dos dois, a amizade

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO