Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
08
Nov 11
publicado por João Monteiro Lima, às 12:55link do post | comentar

A leitora Maria Vieira da Silva enviou-nos o seguinte texto:

 

Eureka

 

Por breves instantes pensei e convenci-me de que estava perante um sonho ou um “milagre”, no mínimo uma excelente situação a ser considerada um “case study “, tudo graças ao engenhoso título do jornal “ A Verdade” do dia 28 de Outubro de 2011 do qual é irresistível transcrever: “ Escola EB 2/3 de Sande lidera ranking de escolas 2011”.

Só depois reconsiderei tamanha excitação e, além de não ser dia 13 (de Maio), esta liderança ( sic) traduz-se no lugar 478 num total de 1283 escolas EB´s 2/3.

A direcção da escola EB 2/3 de Sande tem motivos para se sentir orgulhosa, não da liderança, mas sim da subida significativa do 1059 para o 478 lugar, os nossos parabéns. Não esquecer que estamos a falar de escolas EB´s 2/3, daí a minha grande confusão, segundo o referido artigo, posicionada no lugar 752, seguiu-se a escola Secundária de Alpendorada!!!

Aqui começa a grande confusão. Como tem vindo a ser habitual, no ranking das escolas secundárias foram avaliadas/classificadas 478 escolas, no qual a secundária de Alpendorada obteve o meritório (sic) lugar, a capicua 414, um lugar um nadinha abaixo do obtido em 2010 que fora 385, ou seja, em vez de subir na tabela, DESCEU, sabe Deus porquê!!!

Li e reli o artigo à espera de encontrar qualquer informação que esclarecesse este lapso, não tive sorte, no seu lugar encontrei a chamada cereja em cima do bolo: o orgulho, a menina dos olhos deste Mega Agrupamento assenta somente em 2 (DUAS) simples e algo modestas situações pontuais, num universo de 20 escolas, que comporta quase 3000 alunos, neste Mega Agrupamento é motivo de bandeira 1 (UM) aluno que entrou em Medicina e 1 (UM) aluno que tirou 19 no exame de Físico-Química. Sabe a tão pouco!

 E as percentagens de negativas elevadíssimas nos vários anos e a várias disciplinas? E a grande disparidade na média entre a avaliação interna e a avaliação externa? E a disciplina? E as substituições? E…?E…? De boas intenções, diz o povo está o Inferno cheio, não basta apregoar boas intenções, planos e objectivos que nunca se chegam a atingir ou concretizar. …”será também imprescindível a colaboração dos pais” diz ainda Maria de Fátima Dias. De que adianta apelar e sublinhar a importância do papel dos pais na comunidade escolar se, no dia a dia, o que se continua a constatar são sucessivos e sistemáticos atentados aos direitos de pais e alunos.

Do que adianta perder tempo em elaborar documentos muito bem escritos se não passam disso mesmo, na prática nada é aplicado, tudo é pagina virada e esquecida numa prateleira de um armário qualquer.

Os problemas reais e recorrentes continuam colados, como carraças e não há nada nem ninguém que consiga a sua exterminação. Vamos todos andando ao sabor e dissabor de um serviço público que fica sempre aquém dos mínimos exigidos, ao sabor e dissabor de caprichos mais ou menos velados, consoante a hora astral…

Que nome será adequado para classificar este artigo e o seu conteúdo ? Será “ publicidade enganosa “, “gato por lebre” ou “poeira para os olhos”?

 

Maria Vieira Silva


Já agora ... O agrupamento e a(s) feira (s) de S. Martinho

Sem em tempo normal entendo esta como uma actividade sem justificação, nos tempos que correm acho mesmo de ABSURDA.

Pretende-se (além de uma "virtual" componente pedagógica) que os pais dos alunos visitem a feira (numa optica de compradores, sendo certo de que já foram eles que pagaram os produtos expostos). Será que os pais estão em condições de abdicarem de parte do dia de trabalho (salário) para poderem estar presentes? E temos que perceber que se não forem, muitas crianças ficarão com sentimento de inferioridade porque os pais do amigo foram e os seus não.
Por outro lado será licito pedir às empresas que dispensem os seus trabalhadores durante uma manhã, ou parte, para que possam estar presentes nesta actuvidade. (devemos entender que no acso das senhoras empregadas nos texteis poderá haver algumas que ficaraão reduzidas a 30 ou 40% de pessoal).
Se de facto a feira é importante e da mesma forma importante é a presença dos pais então porque não a fazem ao Sábado?

Por último para que servem as receitas destas feira?


Anónimo a 9 de Novembro de 2011 às 14:49

A “tradicionalíssima” feira de S. Martinho adquiriu honras nunca vistas……Aparece embandeirada em tudo o que é PAA ( Plano Anual de Actividades ); PE ( Projecto Educativo ), etc.
A “tradicionalíssima” feira de S. Martinho adquiriu um estatuto que já ultrapassa as fronteiras da freguesia. Não sei porque razão ainda ninguém se lembrou de adoptar o S. Martinho para padroeiro do “ Mega” Agrupamento ?!!
Ano sem feira de S. Martinho não é ano lectivo…..Os pais e enc. de educação cumprem como sempre o seu papel, o melhor que sabem e podem para não serem nem eles nem os filhos marginalizados ou descriminados, para os alunos é uma bolha de ar fresco no ram-ram do calendário lectivo.
O dinheiro serve para tudo! Depende isso sim das necessidades de cada escola das vontades de coordenadores ou de directores de turma , ou seja cada cabeça sua sentença, mas tudo é feito em nome dos alunos e para os alunos. Já deu para electrificação, estacionamento de bicicletas, decoração, aquisição de material áudio visual, giz, papel, livros, etc, etc.
O que é destinado realmente aos alunos é canalizado para visitas de estudo, e mesmo assim aos pais e enc. de educação ainda lhes cabe repor o que faltar. As contas são “religiosamente” apresentadas, embora nunca ninguém perceba como foram feitas. Não passam factura!!
Felizmente deixou de contar para a avaliação na extinta Área de Projecto. Na falta de ideias inovadoras e criativas resta-nos suportar mais do mesmo, anualmente, a desejar que pelo menos nesse momento S. Pedro vire a cara e deixe o Sol brilhar.

Maria Viera da Silva
Maria Vieira da Silva a 10 de Novembro de 2011 às 14:32

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO