Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
02
Jun 12
publicado por João Monteiro Lima, às 23:55link do post | comentar

Na tarde de hoje decorreram as eleições para a concelhia do PS Marco. Naquelas que terão sido as eleições participadas na estrutura local do PS, 203 militantes votaram na lista B liderada por Agostinho de Sousa Pinto, contra 120 votos na lista A de Rolando Pimenta, tendo havido ainda 1 voto em branco.

Agostinho Sousa Pinto, professor universitário, sucede a Artur Melo e Castro na liderança do PS Marco.

Realço também a elevada participação de miltantes, muito acima 70% dos militantes com capacidade eleitoral para o acto, o que traduz não só a natural mobilização das listas mas também a vontade dos militantes em participar na escolha dos dirigentes locais do PS e organização interna realizada nos últimos tempos, que se traduziu na angariação de largas dezenas de militantes.

Aproveito este post para felicitar a lista vencedora, bem como os novos membros da concelhia do PS Marco, e em particular Agsotinho de Sousa Pinto pelo resultado obtido


Caro João Lima

Já intervi anteriormente por diversas vezes na blogosfera marcoense sobre o mérito do candidato à CPC do PS Marco, Professor Universitário Engenheiro Agostinho de Sousa Pinto,que acabou vitorioso por margem muito expressiva,sem máculas,não deixando margem para quaisquer argumentações de baixa política.
Espero que duma vez para sempre,os socialistas do Marco se unam,se deixem de políticas divisionistas,aceitem a decisão democrática das urnas.
A não acontecer tal,esses elementos correm o risco de serem considerados,para além de socialistas fingidos e apenas oportunistas,serem também considerados cidadãos de carácter muito discutível e nada exemplar.
É que os seus próprios apoiantes não se poderão rever numa posição de teimoso divisionismo,que só pode ser considerado como aquela "qualidade" dos perdedores,o chamado "mau perder".
E se realmente se assumem antes de tudo como socialistas,militantes dum partido que tudo fez para implantar e defender a Democracia pluripartidária,em Portugal,não poderão continuar como apoiantes de "líderes",que afinal não aceitam a decisão democrática do acto eleitoral.
Bom será,que não confundam,como constantemente usam dizer,que não há no PS do Marco puralidade de opinião,com a sua teimosia em não aceitar a decisão,repito,democrática do voto expresso em escrutínio livre e secreto,por uma margem que não deixa dúvidas.
Competirá ao recém eleito presidente da CPC do PS Marco,traçar a linha de orientação estratégica do partido,podendo e devendo ouvir todas as "facções",mas não permitindo que lhe imponham quaiquer condições para as suas colaborações.

Cumprimentos
Miguel Fontes
Miguel Fontes a 3 de Junho de 2012 às 00:50

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO