Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
18
Out 12
publicado por António Santana, às 20:42link do post | comentar

No Jornal da Noite, na Sic, um jovem enfermeiro obrigado a emigrar para a Inglaterra dizia que teria enviado uma carta ao Presidente da Republica onde pedia " não taxem a saudade, porque eu quero voltar". Isto é mais um grito de alma. Um grito de alma dos jovens que têm que abandonar o país para realizar os seus sonhos e criar a sua autonomia. Que País é este que foi conduzido a este destino ? Quem fica insensível a estes gritos? Dirigentes e responsáveis nacionais deveriam apurar o seus ouvidos e escutar. Escutar os jovens, escutar o povo, escutar os sentimentos, escutar as revoltas escondidas. A economia é fundamental para o crescimento de um povo, mas um povo sem juventude é um povo sem futuro. 

Não creio que aqueles que se considerem sociais democratas possam aceitar isto como se nada se estivesse a passar. 


Caro amigo António Santana

Não seja piegas,trata-se só do caminho apontado por Passos Coelho para o futuro da nossa juventude,que se sente atraiçoada por aqueles que tudo prometeram e nada cumpriram,antes pelo contrário.

Um abraço
João Valdoleiros
João Valdoleiros a 18 de Outubro de 2012 às 23:08

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO