Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
28
Dez 12
publicado por João Monteiro Lima, às 12:55link do post | comentar

Rolando Pimenta, economista e ex-Presidente da Direcção da Coopermarco, enviou-nos o seguinte texto que se publica

 

Coopermarco- Cooperativa Agrícola de Marco de Canaveses

 

Apelo à Participação cívica de todos os cooperadores

 

Caros Cooperadores:

 

1- Tomei conhecimento pela leitura do “Público” de 26 de Dezembro de 2012- página 25- da realização, no próximo dia 12 de Janeiro, pelas 09h30, de Assembleia Geral extraordinária da Coopermarco;

2- Da ordem de trabalhos consta, entre outros pontos, deliberar sobre a venda de todo o património imobiliário da Cooperativa, além de outras proposta de deliberação a carecerem de um profundo debate e análise por parte de todos os cooperadores;

3- Face às profundas implicações que os 8 pontos da ordem terão para o futuro da cooperativa, venho na qualidade de cooperador e de ex-Presidente da Direcção, apelar à participação de todos os 4000 cooperadores em pleno exercício dos seus direitos cooperativos, não deixando que uma ínfima minoria, de pouco mais de uma dezena de associados, decida por nós!

 

Marco de Canaveses, 27 de Dezembro de 2012

 

O cooperador (e antigo Presidente da Direcção)

 

Rolando António França Pimenta


Ora aqui está um tema quente. Até que enfim um tema interessante neste blog que vale a pena ser discutido.
Porquanto fica por aqui uma pergunta ao Sr. Dr. Rolando:
"Qual a razão da sua saída da Dolmen?"
Enquanto o cargo de Presidente da Direcção era remunerado, este senhor por lá andava, quando surge uma norma legal em que diz que este tipo de cargo não é mais remunerado, aquele passa a técnico.
Faz-me lembrar quando o Dr. Rolando Pimenta era presidente da Direção da Coopermarco, e este cargo era remunerado, além para não falar das senhas de presença dos outros orgãos da Direção. Ninguém fala deste tempo, em que esta Direcção levou esta Cooperativa a um buraco sem fundo.
É bom que se fique a saber qual o lugar que o Senhor Dr. Pimenta ocupa na responsabilidade do Estado financeiro da Cooperativa. Nunca se falou nisto. Eu vou estar na reunião e desafio este senhor para estar presente para que falemos em coisas sérias e em números.
Eu li com agrado e preocupação o Edital do jornal, mas reparei que há pessoas realmente preocupado com a Cooperativa. Pena mesmo que o senhor Dr. não compareça há mais de um ano nas reuniões.
Só uma pequena anotação e recado: parece-me sr. Dr. que os órgãos da Direção já não são remunerados. E já agora, tem coragem de dizer aos marcoenses quanto auferia mensalmente por ser Presidente da Direção?
Eng. Ramalho a 7 de Janeiro de 2013 às 23:55

Eu não tive hipótese para estar presente por motivos de falecimento de uma pessoa amiga. Mas o que me disseram é que o Dr. Rolando apresentou uma proposta para se criar uma Comissão para se elaborar um Plano Global Estratégico de Salvação da Cooperativa. E, pelos vistos foi aprovada e criada em que o Sr. Dr. é o Presidente da Comissão.
Agora, que já começou a voltar a interessar-se pela Cooperativa depois de um interregno de 17 anos em que entregou em 1997 uma Cooperativa com um passivo monstruoso.

Já agora, sr. Dr. só queria que me respondesse a duas perguntas:

1-- Quando foi eleito presidente da Direção em 1992 qual era quantitativamente o seu saldo activo e passivo?


2-- Quando sai da Direção em 1997, qual era quantitativamente o saldo activo e passivo da Cooperativa?


Verifiquemos, que eu não estive presente nesta Assembleia por justo impedimento, mas se aí estivesse votaria contra, pois é uma Vergonha este sr. Dr. não explicar aos Cooperadores o que andou a fazer com o dinheiro da Cooperativa entre 1992 e 1997.


Com um tão grande Edital, e com uma necessidade eminente de resolução imediata para a Cooperativa, esta irá continuar em Stand-by até 30 de Março. Na boa verdade, o sistema cooperativo em Portugal está desfasado da realidade económico-financeira do nosso país.

Esta Comissão é um tanto ao quanto interessante na medida em que apenas aparece uma lista para ser votada nas últimas eleições.
Afinal, onde andaria o(s) Senhor(es) da Junta de Salvação?

Eng. Ramalho a 12 de Janeiro de 2013 às 20:20

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO