Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
31
Jan 13
publicado por João Monteiro Lima, às 12:55link do post | comentar

Defendo há muito tempo que o Marco precisa de uma intervenção na sua zona mais antiga. Uma intervenção que reabilite toda a zona central da cidade tornando-a mais atractiva. Até aqui estamos esclarecidos.

Mas gostava de perceber que projecto é este que contempla intervenções, no mínimo, estranhas. Vejamos,

1 - na Avenida Gago Coutinho está ser feito um enorme furo no chão para serem colocados os depósitos do lixo, até aqui nada de estranho, não fosse o buraco estar situado diante de uma montra (erro que repetirão mais acima) e exactamente por baixo de uma varanda de uma habitação. Não será preciso frequentar nenhum curso de engenharia ou de arquitectura para perceber os incómodos que advirão pela colocação do lixo por baixo de uma varanda. Solução - a escassos metros desse local, (em frente à Papelaria Tropical) aonde anteriormente estavam colocados os baldes do lixo e o vidrão, com uma intervenção no jardim público recuperava-se o jardim e inseriam-se os depósitos do lixo no chão sem incomodar ninguém.

Afinal, a tal inovação que mereceu tanto destaque aquando da apresentação do projecto (a colocação dos depósitos do lixo no subsolo) não teve o devido acompanhamento e hoje com a obra em franco andamento (e há que felicitar a empresa pela rapidez da execução) ainda não se sabe bem onde ficam tais depósitos.

2- na mesma avenida, em frente ao antigo Posto da GNR, o passeio foi já denominado pelos marcoenses como "Montanha Russa", tantos são os altos e baixos do mesmo. Os marcoenses continuam sem atingir o que se prende com aquelas alterações no pavimento

3- as entradas para as garagens também não seguem uma determinada lógica. Atentem-se às rampas mais ou menos inclinadas, sem uma orientação perceptível e explicável

4- junto ao Café Conforto será difícil aos moradores acederem às suas garagens pois os lugares de estacionamento se não vedam o acesso, pouco falta.

5- na Avenida Sá Carneiro, desde o antigo Largo dos Correios até ao Jardim Municipal poderiam ter sido criados alguns lugares de estacionamento

Estas situações descritas (e outras) podem ser constatadas a qualquer momento assim queiram. Tal como podem ser rectificadas


Caro João Lima

O nosso Povo usa dizer que "depressa e bem há pouco quem". Parece ser o caso presente e pelo menos é o que depreendi das suas críticas, como sempre objectivas e ajuizadas, mas meu amigo, importa mais garantir obra que bata no olho do povéu, que discuti-la ou ajuizar das doutas decisões. Sempre fui de opinião que várias cabeças pensam melhor que uma só, mas essa dos depósitos do lixo enterrados, que me perdoem mas não deveria lembrar a ninguém.
Nem tudo que vira moda acaba por ganhar o estatuto de inquestionável e indiscutível.
Quanto aos demais erros, a minha expectativa acabou por se realizar. Redução de locais de estacionamento vão servir de convite para a mais que frequente prevaricação dos condutores, aliás já muito habitual atualmente.
Vamos esperar, como habitualmente de modo paciente e passivo para depois todos festejarem a obra mais prioritária do município,não crê, caro João?
Água, saneamento básico, novas ETARES, melhoria de acessos à única estação ferroviária da cidade,etc., são coisas de somenos, podem esperar,até porque doutro modo como arranjar pretexto para construir um tão falado parque de estacionamento de automóveis bem no centro urbano? E de seguida iremos ter a nova central de camionagem e a estação de transferência de resíduos sólidos para poupar uns custos ao município nesta candente questão dos lixos, não é?
Um abraço
João Valdoleiros
João Valdoleiros a 31 de Janeiro de 2013 às 16:32

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO