Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
22
Mar 09
publicado por José Carlos Pereira, às 19:35link do post

Coutinho Ribeiro referiu-se aqui a dois espisódios que lhe causaram perplexidades no mandato anterior: a aprovação, às pressas, do plano de reequilíbrio financeiro e da concessão da água e saneamento. Avelino Ferreira Torres já estava de saída, mas conseguiu fechar dois dossiers que permitiram um elevado encaixe financeiro, à Câmara e ao concessionário.

Contudo, outros dois dossiers com sérias implicações financeiras poderiam ser acrescentados a essa lista: o negócio do cineteatro Alameda - envolvendo curiosamente um grupo empresarial marcoense que também era (é?) accionista da Águas do Marco - que está actualmente nos tribunais, uma vez que a Câmara se recusou a pagar a segunda tranche de aproximadamente um milhão de euros e reclama a nulidade do contrato; e o famigerado negócio do CIRVER - Centro Integrado de Valorização e Eliminação de Resíduos Perigosos, que o "amigo" ministro Luís Nobre Guedes tanto queria trazer para Marco de Canaveses, satisfazendo os apetites dos investidores interessados.

Como se vê, não faltavam motivos para ficarmos perplexos com as decisões e os curiosos processos que envolviam a maioria anterior. Coutinho Ribeiro diz que tem suspeitas. Quem não as tem?


De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO