Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
29
Mar 09
publicado por José Carlos Pereira, às 15:30link do post | comentar

Só este fim-de-semana me chegou às mãos o último número do jornal "Tribuna Livre", um órgão de informação que se apresenta como regionalista, mas que tem uma dupla agenda muito particular sobre Marco de Canaveses (ou Ferreira Torres) e as lutas do Douro.

Naquilo que mais nos interessa, a cobertura relativa a Marco de Canaveses, este jornal faz campanha por Avelino Ferreira Torres, o que não teria nenhum mal se o assumisse com frontalidade e veiculasse as suas opiniões com transparência e coragem. Acontece que, para além das entrevistas que publica, quase tudo o mais é escrito a coberto do anonimato, numa estratégia velha e gasta de muitos anos - atiro a pedra àqueles de quem não gosto, mas escondo a mão para não se ver quem foi.

Neste número, é o "Manuel do Marco" que escreve sobre os casos de Ferreira Torres com a justiça, é a "velha senhora", o "empresário" e o "munícipe" que comentam os protestos de uma empresa em frente aos Paços do Concelho, é o "formador" que se pronuncia sobre os problemas na Escola Profissional da Pedra, é o "leitor devidamente identificado", mas que se anuncia como autarca no mandato anterior, que critica Norberto Soares e um presidente de Junta. Este estilo de jornalismo (?) deveria ser punido e talvez merecesse até uma participação à ERC, já que a entidade reguladora é tão pressurosa com determinados conteúdos. O que mais me intriga é saber a razão que leva os cronistas afectos a Avelino Ferreira Torres a recearem escrever e assinar os seus textos de informação ou de opinião. Por que será?

Uma nota final ainda para salientar as recorrentes críticas a Norberto Soares, desta vez pelo candidato do movimento de Ferreira Torres à junta de freguesia de Várzea de Ovelha e Aliviada, que deixam antecipar a luta que aí vem entre antigos correlegionários, e o destaque a alguns textos de um blogue marcoense, da autoria de um militante do PSD mas que servem às mil maravilhas a estratégia de Avelino Ferreira Torres.


Tenho uma enorme dificuldade em perceber qual objectivo a alcançar quando alguém aparece com uma ideia, uma critica ou um contributo, a coberto do anonimato. É tempo de acabar com o “ciciar” nos jornais ou nos blogues. Se me disponibilizo a partilhar as minhas ideias, e não assumo a sua autoria, omitindo ou mascarando a minha identidade, provavelmente estou a contradizer-me, isto é, escrevo uma coisa na qual não me revejo.
Sob pena de serem acusados de censura, seria, se já não é uma prática, de considerar a não publicação de todo e qualquer escrito cuja origem suscite duvidas.
Relativamente ao meu ultimo comentário , uma explicação. As pessoas que menciona, sem qualquer excepção, merecem-me toda a consideração. Não questiono as pessoas só as ideias e os projectos.
cumprimentos
antónio ferreira a 30 de Março de 2009 às 12:05

Caro António Ferreira, pensamos o mesmo sobre o recurso ao anonimato.

Um leitor, que se identifica como Oscarito, enviou-nos um comentário "puxado" sobre a absolvição de AFT. Com desculpas ao leitor, optámos por não o publicar, uma vez que são demasiadas suposições e poucos factos. Ora, se criticamos os outros por assim agirem, não podemos enveredar pelo mesmo caminho, tanto mais que se trata de leitor não devidamente identificado.
J.M. Coutinho Ribeiro a 30 de Março de 2009 às 19:10

Olá,

Sou Marcoense no entanto trabalho fora e de vez em quando deito olhos a noticias da terra... Reparei nest blog a pouco tempo e apesar de ter a ideia que não há politicos " santinhos ", a sensação que me dá este blog é anti Ferreira Torres.. Entre ler a tribuna Livre ou este blog não vejo diferenças, há sempre que falar de alguém!!! Porque não esquecem a má lingua e dão a conhecer as novidades da terra, por exemplo se há escolas de desporto ( e quais ), onde ficam. Qual o desenvolvimento das freguesias, para quando a reconstrução das estradas... Quem nasceu, quem morreu.. Assim cativam mais, já todos andam cansados de bater na mesma tecla..
Sónia Magalhães a 30 de Março de 2009 às 19:33

Se a leitora Sónia Magalhães acompanhasse mais a vida local saberia que, sim, sou opositor de Ferreira Torres. Fui-o no passado e sou-o hoje. Como autarca e como cidadão.
Por aqui, vamos divulgando o que podemos sobre a nossa terra, mas nunca quisemos fazer deste blogue um "órgão de informação". Acima de tudo, este é um espaço de opinião.

Cara Sónia Magalhães:
Este blogue não é contra ninguém - um um acto de cidadania, que pretende debater o Marco, defendendo princípios básicos. Se acha que não há diferença entre este blogue e a Tribuna Livre, pode, então, evitar gastar o seu tempo a ler-nos e continuar a ler apenas o Tribuna Livre.
Mas olhe que há diferenças e elas são substanciais. Por exemplo: aqui assina-se a opinião. Já não é pouco.
Para acompanhar algumas coisas boas que acontecem na nossa terra também pode ler por aqui.
Para a informação normal sobre os temas que a interessam, aconselho-a a ler, por exemplo, A Verdade e o Repórter do Marão.
Quanto ao mais, pela minha parte acredite que não ando aqui para cativar. Logo, não serei eu a lançar a ideia de criar a secção de necrologia do Marco 2009.

Os propósitos da dita publicação são mais que óbvios... As pessoas são o que são e há coisas que parecem não mudar... Os métodos são os mesmos, mas confio que o discernimento dos marcuenses seja imune a esse tipo de 'jornalismo barato' de 0,01€ por publicação. ERC ? Em Portugal? Não me façam rir... 'Atirar a pedra e esconder a mão' é fácil, difícil é enveredar pela verdade, falar verdade e por ela assumir o que se escreve e opina... Por mim e como é público defenderei Norberto Soares, mas sempre pela verdade (até para humildemente assumir erros, se necessário for) mas sempre sem anonimatos e de cabeça bem levantada, com a tranquilidade que a honestidade e integridade da pessoa em causa me conferem. Assim todos possam dizer o mesmo...
Nuno Pinto a 30 de Março de 2009 às 22:11

Caro Nuno Pinto, olhe que a ERC já se tem preocupado com coisas bem menos excêntricas.

Meu Caro, e quase que paradoxalmente, se calhar é esse o verdadeiro problema da ERC ...
Nuno Pinto a 31 de Março de 2009 às 00:26

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO