Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
02
Ago 11
publicado por João Monteiro Lima, às 12:55link do post | comentar | ver comentários (1)

A Câmara do Marco publica no site do município o seguinte apelo que dada a sua importância se divulga:

 

Nesta época do ano, os incêndios florestais são também uma potencial fonte de perigo para as populações, que deve ser evitada por todos os meios e que exige da parte de todos e de cada um comportamentos responsáveis.

Assim, a Câmara Municipal do Marco de Canaveses apela à consciência dos cidadãos em defesa da floresta contra os incêndios que delapidam a nossa paisagem e comprometem o bem-estar da população.

No Concelho do Marco de Canaveses, desde o passado domingo, dia 24 de Julho, registou-se uma média de dez incêndios por dia, o que tem obrigado a um grande esforço por parte dos bombeiros e das restantes entidades que participam na Defesa da Floresta e na Protecção Civil.

Nesse sentido, reiteramos a informação de que as práticas com o uso do fogo, tal como fogueiras a céu aberto, estão proibidas por serem potenciais focos de perigo de incêndio que podem por em risco pessoas e bens.

É, pois, do interesse de todos apelar à responsabilidade cívica de cada um para nos mantermos atentos e informar as autoridades, nomeadamente a GNR, de eventuais movimentações estranhas ou comportamentos suspeitos que possam indiciar eventuais tentativas de fogo posto, assim como colaborar com os nossos bombeiros e outras forças envolvidas no combate às chamas, para segurança de todos os cidadãos e a defesa do bem comum

tags:

29
Abr 11
publicado por João Monteiro Lima, às 17:45link do post | comentar | ver comentários (4)

Cristina Vieira, Presidente da JF de Soalhães e dirigente nacional do PS, enviou-nos o seguinte texto. Transcrevo na integra o texto:

 

Câmara Municipal “opta” por criar Biblioteca em Sobretâmega

 

O Agrupamento de Escolas do Marco, fez uma visita no inicio deste ano à EB1 de Eiró, Soalhães. Ficaram os Professores e o executivo da Junta de Freguesia a saber, nesse dia, de que esta Escola iria ser contemplada com uma Biblioteca.

Esta Biblioteca seria fruto de uma candidatura à Rede de Bibliotecas Escolares (RBE).

Fiquei surpresa quando consultei a plataforma da RBE, e verifiquei que constavam nessa plataforma candidaturas do Marco de Canaveses, nomeadamente de Constance, Sobretãmega e Sande, mas não estava contemplada a EB1 de Eiró.

Questionei o Agrupamento de Escolas, que me informou que as candidaturas tinham sido articuladas entre o bibliotecário da câmara municipal e o do agrupamento. E que teria sido a autarquia, a co-responsabilizar-se, por escrito, pelas obras a realizar nas escolas a candidatar. Salvaguardando contudo, que teriam dado instruções para a realização da candidatura para Soalhães, e que consideravam esta escola prioritária.

Na penúltima reunião de assembleia, questionei o executivo de câmara sobre esta questão.

A resposta da Sra. Vereadora da Educação, Dra. Gorete Monteiro foi de que, “ .. as candidaturas são feitas pelos agrupamentos de escolas, e não pela câmara municipal…”.

De facto, não são as câmaras que fazem as candidaturas, mas pelos vistos o executivo da Câmara do Marco decidiu intervir neste processo. Contra a vontade do Agrupamento de Escolas, decidiu dar instruções para que a candidatura fosse para Sobretâmega.

Numa comunicação do Agrupamento sobre este assunto, o bibliotecário explicita esta situação, e passo a citar:

“… as candidaturas, que são por nós submetidas, estão absolutamente dependentes da assunção da co-responsabilidade da câmara municipal, que deverá promover as obras de requalificação até ao inicio do ano lectivo seguinte e que, por isso, assume essa disponibilidade, com assinatura do senhor presidente, e num outro documento, projecta o espaço que sofrerá as devidas requalificações. Foi isso mesmo que solicitei ao senhor Dr. João Duque (bibliotecário da câmara municipal), que a dias do término da candidatura, me informou ser opção da câmara municipal do marco de canaveses a requalificação para o concurso do espaço de Sobretâmega.”

Os Soalhenses saberão tirar as devidas ilações desta opção da câmara municipal.

Como disse, e volto a dizer, nada me move contra as outras candidaturas, só não compreendo porque não se fez também a de Soalhães.

As crianças de Soalhães não terão o mesmo direito?

  

Cristina Vieira

 


31
Mar 11
publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar | ver comentários (1)

No dia em que se comemora o 159º aniversário da fundação do concelho do Marco de Canaveses, a data será assinalada com um hastear de bandeiras às 9h nos Paços do Concelho.

À noite, às 21h no átrio dos Paços do Concelho será inaugurada a expoisção de fotografia “Paços de Concelho … 100 anos em Imagens”. Às 21h 30m haverá uma conferência intitulada: “O edifício dos Paços do Concelho, arquitectura do poder e poder das arquitecturas” com Dr Celso Francisco dos Santos da Faculdade de Letras da Universidade do Porto – Departamento de Ciências e Técnicas do Património, no Salão Nobre

tags:

25
Mar 11
publicado por João Monteiro Lima, às 17:45link do post | comentar

A Câmara do Marco organiza juntamente com o Serviço Municipal de Protecção Civil um roteiro ecológico, amanhã, das 09h às 18h. Mais informações sobre a iniciativa podem ser lidas no site do Jornal A Verdade.

 

 

tags:

09
Mar 11
publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar

Integradas nas comemorações do Dia Internacional da Mulher decorrerão junto à Câmara Municipal nos dias 11 e 12 de Março, sessões de cinema ao luar.

A iniciativa é do CAERUS Projecto Oportunidade e da Câmara.

 

 

(fonte: agenda do Marco)


14
Jan 11
publicado por João Monteiro Lima, às 21:55link do post | comentar

Os marcoenses, os que têm estabelecimentos com publicidade, estão a receber por estes dias, as notificações para pagaram a taxa na Câmara. Depois de se deslocarem à Câmara para regularizarem a situação, são informados que o montante a pagar não é o que consta da notificação. Multiplicam-se as queixas sobre o funcionamento dos serviços, alegam as pessoas com quem falei que a desorganização é total.

Deram-me conta de uma situação em que a pessoa contava pagar cerca de € 40 (valor da carta que recebeu) e quando chega à Câmara fica a saber que o montante passa os € 60,00.

Outra situação, prende-se com o facto de não serem os próprios a irem pagar a taxa e quem se desloca à Câmara com o cheque devidamente preenchido (com o montante da carta) tem que voltar para trás, pois afinal tem mais a pagar.

Os marcoenses percebem que os funcionários que dão a Câmara não são os culpados, percebem que o sistema informático e o regulamento existente não estão em completa sintonia, mas não percebem o porquê de situações destas não serem resolvidas antes da emissão das cartas. Sempre se poupavam chatices para os marcoenses e criticas para a Câmara.

tags:

13
Jan 11
publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar | ver comentários (6)

Dispondo ainda de informação insuficiente é, no entanto, possível avançar que foram apresentadas por uma empresa marcoense (Vieira, Esposa & Filhos, Lda), nos passados dias 07 e 10 de Janeiro, duas acções judiciais, uma contra a Câmara Municipal e outra contra a JF de S. Lourenço do Douro.

Os montantes são, para o processo movido contra a Câmara de € 179.335,22 e no processo contra a JF de S. Lourenço do Douro de € 94.788,96. Ou seja, muito dinheiro que uma só empresa marcoense não terá recebido por obras que terá executado.

O que terá originado (e esta informação carece de validação das partes, que tentarei obter brevemente) tais acções terão sido as célebres obras executadas em vésperas das eleições de 2005 e que não terão tido cabimentação orçamental.

Desde que este executivo teve conhecimento da existência destas obras sem cabimentação, os marcoenses tomaram conhecimento da situação, tantas foram as vezes que o executivo as trouxe "à baila". Ainda no mandato anterior, o executivo apresentou uma proposta para resolver a situação e pagar aos empresários visados. A proposta passava pela contracção de um empréstimo (devidamente autorizado pelo Governo) para fazer face às tais dívidas. A resposta dos responsáveis do governo terá sido negativa.

Eu, na Assembleia Municipal, por várias vezes questionei o executivo sobre o andamento da resolução deste problema, tamanhas são as dificuldades que algumas empresas vão passando, podendo aceitar-se que parte dessas dificuldades poderia advir dos montantes que não lhes foram pagos.

Entendo que a Câmara poderia ter avançado para uma solução de pagamento em prestações, por exemplo, às empresas, tentando desta forma resolver mais uma das trapalhadas que herdou. Não sei se terá tentado ir por esta via, mas que poderia ser uma hipótese, lá isso podia.

Dir-se-ia que se este país fosse mais justo, os responsáveis políticos à data deveriam ser culpabilizados e julgados, caso fosse apurada a sua responsabilidade na decisão e/ ou intervenção no processo de avançar com as obras. Mas todos sabemos como funciona a justiça, ou melhor, a forma como está montada e que permite que se passem anos (muitos anos) até que haja uma decisão sobre os processos.

E os visados a "arder" com se diz na gíria.


06
Jan 11
publicado por João Monteiro Lima, às 17:45link do post | comentar

A AR Tâmega - Academia de Artes do Marco de Canaveses realizará no próximo Sábado, pelas 19 horas, no Centro Pastoral de Vila Boa de Quires, a sua audição de natal de teatro e dança.

No Domingo, dia 09 pelas 15 horas na Casa de Povo de Vila Boa de Bispo, o 24º encontro de Cantadores de Janeiras, numa organização a cargo do Rancho Folclórico de Vila Boa do Bispo.

Às 16 horas de Domingo terá lugar o Concerto de Ano Novo – Coros/ Ballet/ Orquestra organização da AR Tâmega – Academia de Artes de Marco de Canaveses e da Câmara, no auditório do Centro Paroquial de Fornos (junto à Igreja de Santa Maria).


05
Dez 10
publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar

Nos últimos anos vem sendo habitual, na época de natal, a Câmara proceder à alteração da postura do trânsito na zona central da cidade.

A medida, na minha opinião correcta, visa dotar o centro da cidade de estacionamento. Lamentavelmente, a maior parte do lugares são ocupados pelos comerciantes e pelos funcionários dos serviços.

Este ano, e com iniciativas como a que decorre até amanhã nas imediações dos Paços do Concelho (Marco de saberes e sabores), mais motivos haveriam para que se voltasse a alterar o trânsito no centro cidade, mas até hoje ainda não se sabe se será ou não novamente implementada a medida.

Entendo que a Câmara deveria alterar novamente o trânsito, ajudando dentro das suas possibilidades os comerciantes, mesmo que estes continuem irresponsavelmente a ocupar os lugares que se destinam aos clientes. Se o voltassem a fazer, não se poderiam queixar da falta de estacionamento nem culpar a Câmara pela falta de lugares.


04
Dez 10
publicado por João Monteiro Lima, às 11:05link do post | comentar | ver comentários (8)

Segundo avança a edição on-line do Correio da Manhã, a Câmara do Marco decidiu avançar com o corte e energia em algumas ruas da concelho. Uma medida parecida com esta tinha sido defendida na Assembleia Municipal de Fevereiro passado por Bento Marinho, actual deputado municipal do PSD e vice-Presidente da Câmara no mandato anterior. Bento Marinho ia ainda mais longe ao propôr o corte de energia a partir de determinada hora, percebi que a proposta do deputado Bento Marinho apenas a ele o vinculava e posteriormente questionei o executivo sobre este assunto.

Não sabendo, até porque não se lê em lado algum a forma que será executada a medida e nem todos têm em tempo para ir às reuniões de Câmara (se é que foi abordada a questão) e não sendo fácil apurar quais os reais ganhos com esta medida (ganhos que se estendem para além dos montantes que a Câmara irá poupar, há que pensar na segurança dos moradores ou em quem circula nas ruas durante a noite), penso que mais do que desligar as luzes nas ruas do concelho, a medida poderia ser implementada de uma outra maneira: desligando onde não se justifica, por exemplo, no Parque Fluvial do Tâmega e intercaladamente nas ruas.

É pena que uma medida destas não seja amplamente transmitida aos marcoenses, através dos órgãos de comunicação social locais e através do site do município, através das JF e dos párocos das freguesias. De pouco serve a informação se não for transmitida e de pouco servem os assessores se nem a informação conseguem transmitir.

tags: ,

27
Nov 10
publicado por João Monteiro Lima, às 09:55link do post | comentar | ver comentários (5)

Depois de várias intervenções na Assembleia Municipal (onde fui acompanhado por deputados dos diversos partidos representados) e de textos em espaços como o Marco2009 ou no Jornal A Verdade, a reclamar para que a Câmara ouvisse os partidos antes de tornar público o Orçamento, em cumprimento do disposto no Estatuto do Direito à Oposição, eis que o executivo se prepara para o fazer.

Segundo apurei, o executivo liderado por Manuel Moreira irá encontrar-se com os partidos, no início da próxima semana, antes de apresentar o Orçamento para 2011.

A partir da próxima semana, os partidos saberão quais as propostas do executivo para o próximo ano, quais os critérios utilizados para se propôr a realizar determinadas obras ou os motivos que terão pesado para a Câmara não avançar com outras obras.

Na minha opinião (que apenas a mim me vincula, convém sempre escrever isto, até para sossegar determinadas pessoas de todos os partidos representados no Marco), o executivo dá um passo em frente, mostrando que é sensível às diversas chamadas de atenção que eu e outros deputados municipais fomos fazendo ao longo dos últimos anos. Espero que nos próximos anos a Câmara mantenha esta atitude (que não sendo mais do que o cumprimento da lei, não deixa de ter significado) e receba os partidos durante a fase de elaboração do Orçamento. 

É pois motivo para dizer que valeram a pena as várias chamadas de atenção que foram sendo feitas.


24
Nov 10
publicado por João Monteiro Lima, às 23:05link do post | comentar | ver comentários (3)

Amanha realiza-se mais uma reunião pública da Câmara do Marco. Depois da agitação vivida numa reunião anterior espera-se que uns saibam dignificar o órgão a que pertencem e outro saibam exigir a mesma dignificação.

Ao Presidente da Câmara cabe dirigir as reuniões bem como exigir que se cumpram as mais elementares regras da democracia e da educação. Estas regras não impedem o Presidente da Câmara de "dar um murro na mesa" se a tal se vir obrigado para elucidar quem ainda não souber quem é que deve orientar as reuniões.

Os marcoenses exigem dos eleitos municipais elevação no desempenho dos cargos para os quais foram eleitos. Estamos no ano 2010, já passaram 36 anos desde o fim da ditatura em Portugal, quem teimar em ser ditador que emigre. Para a Coreia do Norte, por exemplo.

tags: ,

19
Nov 10
publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar | ver comentários (2)

Ao ler a última edição do Jornal A Verdade, no texto alusivo à convenção autárquico do PSD Marco, leio que (e acreditar no que lá vem escrito) Manuel Moreira terá deixado garantias que a acção social e o projecto "Escola Feliz" são para continuar apesar da situação financeira do município.

Sobre a acção social, nada a dizer pois era o que mais faltava a Câmara cortar no (já parco) apoio aos necessitados.

Sobre o projecto "Escola Feliz" penso que Manuel Moreira se terá (pelo menos) equivocado, pois este projecto não é da responsabilidade da Câmara. O Projecto "Escola feliz" é oriundo da Assembleia Municipal e conta com a colaboração do executivo. Já no período eleitoral, houve a tentação dos candidatos do PSD de "puxarem" para eles um projecto que se quer de todos e para todos. Aliás, tive oportunidade de escrever sobre isso, bem como de abordar esse assunto com alguns dos mais altos responsáveis da campanha social-democrata.

Agora leio que Manuel Moreira tenta puxar para a Câmara a responsabilidade do projecto, dando a entender que o projecto prosseguirá apesar das dificuldades financeiras do município, o que não corresponde à verdade. O projecto irá continuar até porque o mesmo é financiado pelos padrinhos das escolas. A participação da Câmara não está relacionada (só) com o dinheiro mas mais com a logística do projecto.

Percebo a tentação, mas não deixarei de dizer que não é assim.


17
Nov 10
publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar

No próximo dia 20 de Novembro, Sábado, às 17h, será inaugurada a Exposição de Escultura em Bronze, de Beatriz Pacheco Pereira, no Espaço Arte do Museu Municipal Cármen Miranda

A exposição estar patente ao público até 10 de Dezembro


09
Nov 10
publicado por João Monteiro Lima, às 17:45link do post | comentar

No próximo dia 12 de Novembro de 2010, a Câmara Municipal levará a efeito duas iniciativas integradas nas comemorações do Ano Internacional da Biodiversidade.

A saber:

às 21h, no átrio dos Paços do concelho, inauguração da exposição e entrega de Prémios do concurso de fotografia “Um Marco na Biodiversidade”

às 21h 30m, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, uma conferência relativa ao ano internacional da biodiversidade com as participações do Engº Pedro Teiga, Investigador da FEUP e Coordenador Nacional do Projecto Rios e do Prof Dr António Maria Luís Crespí, do departamento de Engenharia Biológica e Ambiental da UTAD.


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO