Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
07
Fev 11
publicado por João Monteiro Lima, às 13:45link do post | comentar | ver comentários (1)

Emanuel Moreira enviou-nos um novo artigo de opinião sobre futsal. Transcreve-se:

 

Corria o mês de Maio do ano de 2010 e Marco de Canaveses via uma das suas mais emblemáticas associações desportivas comemorar as bodas de ouro, 50 anos de história Futebol Clube de Alpendorada!

Qual o espanto de alguns mais desatentos, o meu caso, quando vejo que as comemorações de tão prestigiante data se iniciam pelas 21h00 do dia 15 de Maio. É que nesse mesmo dia e pelas 15h00, encontrava-se em Marco de Canaveses, no pavilhão da EB, 2,3 de Alpendorada a RTP – Rádio Televisão Portuguesa para transmitir em directo, ao vivo e a cores um jogo de futsal a contar para a 1.ª mão dos “play off” do Campeonato Nacional da 1.ª divisão, entre o clube local e o Sporting Clube de Portugal.

Acontece que o clube local era nada mais nada menos que… o Futebol Clube de Alpendorada que ganhou o encontro.

15 dias passados e no pavilhão Paz e Amizade em Loures, casa do futsal do Sporting, teve lugar a 2.ª mão do “play off”, 22 de Maio de 2010, data comemorativa dos 50 anos de existência e mais uma vez a RTP em directo, ao vivo e a cores para todo o mundo em sinal aberto.

Ditou a historia que a 23 de Maio de 2010 tivesse lugar a realização da “negra”, 3.º encontro para decidir quem passava à fase seguinte e mais uma vez a RTP em directo, ao vivo e a cores.

Em momento algum vi qualquer alocução aos 50 anos de história no decurso destes três encontros com transmissão televisiva, que coincidiram com o período das celebrações.

O futsal passava ao lado das comemorações!

Actualmente o futsal continua a passar ao lado da história do Futebol Clube de Alpendorada.

Não foi a esta história que os Alpendoradenses, Marcoenses e Portugueses se habituaram ao longo dos 13 anos de existência da modalidade de futsal na instituição Futebol Clube de Alpendorada.

Está a perder Alpendorada, Marco de Canaveses e a modalidade de futsal em Portugal, país vice Campeão Europeu e detentor do clube Campeão Europeu em título, Sport Lisboa e Benfica!

Folhear as páginas dos jornais e ler, “Alpendorada massacrado”, Alpendorada humilhado”, “Alpendorada goleado”, “Alpendorada já soma 159 golos sofridos”, a mim não me deixa indiferente.

Há a lamentar o sofrimento dos jovens que se viram arrastados para esta página negra da história desportiva concelhia.

Infelizmente, estará em curso um FCM II?

 

Emanuel Moreira


12
Dez 10
publicado por João Monteiro Lima, às 01:05link do post | comentar | ver comentários (4)

O sempre atento leitor Emanuel Moreira enviou-nos um link para uma entrevista do ex-dirigente do futsal do FC Alpendurada, António Couto, concedida ao jornalista do jornal O Primeiro de Janeiro, José Túlio.

 

Para ser mais fácil aos leitores do Marco2009, decidimos transcrever a entrevista publicada na edição de 10-12-2010 e que tinha como título "Futsal do Alpendurada corre para a extinção":

 

"Futsal do Alpendorada corre para a extinção

António Couto reage ao definhar do projecto iniciado há dezasseis anos
António Couto não tem dúvida em considerar que a actual Direcção do Alpendorada vai conduzir o futsal do clube à extinção


José Túlio



Seis meses depois de colocar ponto final em dezasseis anos no futsal em Alpendorada, António Couto olha para a realidade do clube com tristeza e apreensão. 'A actual situação financeira do concelho e do País é sem dúvida preocupante, mas, como noutras alturas do passado, não pode servir como único argumento justificativo da actual situação que se vive no Alpendorada', afirma, a O Norte Desportivo, o dirigente que há dezasseis anos ajudou a montar um clube para a prática do futsal – o ARCA - e mais tarde aceitou a integração desse mesmo clube no FC Alpendorada. 'A um dirigente desportivo exige-se capacidade para apresentar um projecto credível passível de ser patrocinado por empresas que sintam empatia para com o projecto e para com as pessoas que o encabeçam de forma a que percebam que o seu investimento é dado como bem empregue', explica, lembrando que 'ninguém investirá um cêntimo que seja em algo que está mal definido, sem objectivos e acima de tudo mal dirigido',

 


Com seis treinadores em quatro meses, um plantel de fraco nível, penúltimo lugar na classificação e a descida de divisão como um cenário praticamente inevitável, o futsal do Alpendorada corre para a 'extinção', 'Desde cedo se percebeu que a verdadeira intenção desta nova direcção, que supostamente terá «reunificado» o clube, era a de destruir o trabalho árduo e sério que aqui foi desenvolvido ao longo de todos estes anos por muitas pessoas que aqui deixaram, esforço, dedicação e também investimento financeiro', lamenta António Couto, admitindo que além da 'ignorância e desconhecimento', da modalidade que a actual Direcção 'tem mostrado', existe 'uma vontade assumida por parte da direcção de extinguir a secção de futsal',

Política e política

 


Confrontado com a crise económica que o País vive e as dificuldades que qualquer clube sente para encontrar patrocínio, António Couto garante que dificuldades sempre existiram, mas lembra que a secção 'sempre viveu em grande parte dos patrocinadores', dando como exemplo o último relatório e contas entregue pela secção onde na rubrica de patrocínios consta mais de cinquenta por cento do orçamento. 'Não podem as instituições desportivas e os seus dirigentes estar à espera dos subsídios destinados à formação para liquidar salários de atletas seniores, sejam eles do futsal ou do futebol', afirma peremptoriamente o dirigente, virando também as suas críticas para o presidente da Câmara do Marco de Canavezes e da Junta de Freguesia de Alpendorada: 'Como é que possível o autarca desta terra continuar «escondido» e alheado a tudo o que aqui se está a passar. Ele deveria ser o primeiro de todos a lutar por este património que é dos alpendoradenses e de todo o Marco de Canaveses. Nem ele, nem o responsável máximo da autarquia, avisado atempadamente que esta situação de vergonha se poderia tornar realidade em pouco tempo. Para quem apregoava que o futsal era um património do Concelho nada fez para impedir esta triste realidade',

Orgulho no passado


Acusado de ter deixado uma herança pesada no final do seu mandato, António Couto não entende que um trabalho feito durante dezasseis anos para valorizar o concelho e a freguesia seja entendido como um fardo, e lembra que avisou atempadamente a Direcção do clube que ia abdicar no final da época desportiva 2009/2010. 'O anterior e actual presidente da direcção teve, desde que lhe foi comunicada a nossa vontade de não continuar, tempo mais do que suficiente para organizar a equipa de forma a poder dar continuidade ao projecto', lamenta António Couto, lembrando que não competia a quem estava de saída o contacto com treinadores e jogadores.

António Couto foi durante dezasseis anos a cara do futsal em Alpendorada"


14
Out 10
publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar

O leitor Emanuel Moreira endereçou-nos um texto a dar conta da participação de várias equipas de futsal feminino marcoenses num campeonato organizado em ... Penafiel.

 

"Associações desportivas Marcoenses recorreram ao concelho vizinho de Penafiel para manterem activas algumas das actividades desportivas iniciadas recentemente.


Fruto do vazio directivo vivido na LIMFA e consequentemente da inexistência de campeonato de futsal feminino no Marco de Canaveses, as Associações Desportivas Marcoenses: Futebol Clube Aliviada, Futebol Clube Légua, Bombeiros Voluntários do Marco de Canaveses – secção desportiva e Centro Desportivo de Favões, este pelo segundo ano consecutivo, integram o campeonato de futsal feminino de Penafiel organizado pela Federação de Futebol Amador do Concelho de Penafiel – FFACP"


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO