Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
16
Out 10
publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar | ver comentários (1)

A Direcção da Organização Regional do Porto do Partido Comunista Português endereçou no passado dia 14 de Outubro uma missival à Direcção de Programas da RTP no qual dava conta do seu desagrado sobre a inclusão de uma empresa marcoense numa reportagem sobre os desempregados. Transcreve-se na integra o texto a que tivemos acesso:

 

"Sobre a Reportagem "Empregado precisa-se", programa Linha da Frente

 

À Direcção de Programas da RTP
CC: Provedor do Telespectador

Ex.mos Senhores
A peça jornalística referida supra, merece por parte da Direcção da Organização Regional do Porto do Partido Comunista Português os seguintes reparos, em particular no que concerne a uma das empresas nela mencionada, a Inarbel - Indústria de Malhas e Confecções, LDA, sita no Marco de Canaveses.

Esta é uma das empresas que já anteriormente foi caracterizada como de sucesso pela Rádio e Televisão de Portugal. Nomeadamente numa reportagem da Antena 1 em 05/05/2009 .

Trata-se no entanto de uma empresa com uma conduta de sistemático incumprimento dos direitos laborais dos seus trabalhadores, pagando de forma deliberada salários inferiores ao Salário Mínimo Nacional, prática essa confirmada pela Autoridade para as Condições de Trabalho em 20 de Junho de 2010, na sequência de uma pergunta dirigida pelo PCP ao Ministério do Trabalho e Solidariedade Social.

Esta situação (juntamente com a de outras empresas) foi denunciada pela organização do PCP no Vale do Sousa e Baixo Tâmega em conferência de imprensa, a que V.as Ex.as não compareceram.

Acresce ainda que esta empresa integra a direcção da Associação Têxtil e Vestuário de Portugal, emprega aproximadamente 170 trabalhadores e recebeu no ano passado 500 mil euros de fundos de apoio a PME’s, o que torna ainda mais graves tais factos.
Tudo isto é do conhecimento público, e qualquer “Grande Reportagem” digna dessa designação não pode deixar de tomar em conta estes dados.

Aliás, uma simples pesquisa no Google por “Inarbel Salário Mínimo Nacional”, oferece cerca de 20 resultados com notícias de vários órgãos de comunicação social e de páginas de organizações do PCP, que atestam tudo isto.

Neste contexto, a DORP do PCP não pode deixar de expressar o seu repúdio pela referida reportagem e exigir que em abono da verdade e em respeito pela situação dos trabalhadores afectados, a RTP divulgue a realidade mais sombria da Inarbel: Uma empresa que procurando publicidade gratuita, faz afirmações hipócritas relativamente à moral dos trabalhadores, ocultando a sua própria iniquidade sob a capa de uma pretensa superioridade patriótica e empreendedora.

14.10.2010
A DORP do PCP"

tags:

01
Set 10
publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar

É já na próxima Sexta-feira que tem início a 34ª edição da Festa do Avante. Depois de se ter realizado na antiga FIL e no Alto da Ajuda (em Lisboa), de breve passagem pelo concelho de Loures, há alguns que a Festa se realiza na Quinta da Atalaia, na freguesia da Amora, Seixal.

De Sexta-feira a Domingo, e com um cartaz abrangente e de qualidade, o PCP promete animar os muitos milhares de pessoas que anualmente se deslocam à maior realização político-cultural que todos os anos se realiza em Portugal. Este ano celebram-se 25 anos sobre a "redescoberta" da "Carvalhesa", a música que tradicionalmente anima as iniciativas do PCP .

A intervenção política não será descurada, e na Festa, para além de habituais colóquios e debates sobre diversos temas, haverão dois momentos mais "virados" para a política, um no início da Festa com uma breve intervenção de Jerónimo de Sousa, e no Domingo, no comício marcado para o Palco 25 de Abril, em discursarão um elemento da JCP, o director do Avante, José Casanova, e de novo Jerónimo de Sousa.

O cartaz pode ser lido aqui.


29
Ago 10
publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar

O deputado do PCP Jorge Machado, eleito pelo distrito do Porto, volta hoje ao Marco. No âmbito do convívio do PCP Marco que se realiza hoje no Parque de Merendas de Montedeiras, o deputado comunista regressa ao Marco para se inteirar dos problemas que mais preocupam os marcoenses.

Eis uma oportunidade para informar o deputado sobre os recentes desenvolvimentos da modificação unilateral do contrato da água ou sobre a falta de investimento na linha do Douro, sobre as questões da segurança (e da falta de efectivos nos postos da GNR do Marco e de Alpendurada), sobre o parque escolar concelhio.

Com inicio às 12horas, o convívio prolongar-sé-á pela tarde toda e contará ainda com a intervenção do coordenador concelhio do PCP, Filipe Baldaia, para além da intervenção de Jorge Machado.

tags:

26
Ago 10
publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar | ver comentários (10)

Da Direcção Sub-regional do Vale do Sousa e Baixo Tãmega do PCP recebemos a seguinte tomada de posição sobre a linha do Douro, transcreve-se na integra:

 

"Remonta ao ano de 2003 a preocupação do PCP com a situação da Linha do Douro. Desde esse ano que em sede de PIDDAC têm sido apresentadas várias propostas - sempre rejeitadas pelo PS, PSD e CDS – que visavam a electrificação e colocação de via dupla na ferrovia entre as Estações de Caíde e Ermida, com base no princípio que o transporte ferroviário presta um importante serviço às populações do interior do País, por contrariar a tendência para a sua desertificação e possibilitar um desenvolvimento sustentado nas regiões limítrofes.

O benefício desta obra abrangeria para além dos concelhos de Baião e Marco de Canavezes, também Cinfães e Resende.
No entanto, e contra as expectativas em ver esta obra concretizada, dado que finalmente o concurso para a requalificação da Linha do Douro avançou, o PCP obteve recentemente confirmação oficial do abandono desta obra sem data prevista para a sua retoma, em virtude dos cortes orçamentais no investimento público.

Em resposta a uma pergunta do Deputado Honório Novo, o Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações informou que por orientação do Governo, este é um dos projectos “recalendarizados” pela REFER, afirmando também que “o serviços de transporte público de passageiros continua e continuará a ser assegurado como tem sido até aqui, não existindo qualquer prejuízo para os passageiros”.

Com esta resposta ficou, mais uma vez, bem patente a noção e critério do actual Governo relativamente a um serviço público essencial às populações abrangidas, aos prejuízos causados às mesmas pela não concretização desta obra estruturante e ao agravamento das assimetrias regionais que daí resultam.

Se somarmos a “recalendarização” das obras na Linha do Douro à triste sina da Linha do Tâmega, cujos carris foram arrancados para possibilitar obras de beneficiação da linha que também não se sabe quando irão ser retomadas (já há troços da linha convertidos em ciclovia), fica ainda mais clara qual a estratégia do Governo: os caminhos-de-ferro só são prioritários quando toca à privatização.

A Direcção Sub-regional do Vale do Sousa e Baixo Tâmega do PCP demonstra a sua indignação pela situação criada pelo Governo, para a qual chama a atenção das populações envolvidas.

A Direcção Sub-regional do Vale do Sousa e Baixo Tâmega
24 de Agosto de 2010


25
Ago 10
publicado por João Monteiro Lima, às 00:25link do post | comentar

O PCP já tinha adiantado que avançaria com um "candidato próprio" às eleições para a Presidência da República. Sabia-se que estaria por dias a divulgação do nome do candidato, e que seria ou Bernardino Soares ou Francisco Lopes. Um é o actual líder parlamentar e o outro, e postos de parte os militantes do PCP e poucos mais, é um deputado praticamente desconhecido. Pensei que a escolha recairia sobre Bernardino Soares.

Percebo o que o PCP pretende ao apresentar um candidato "próprio", tentar (pois com este candidato, ou muito me engano, ou pouco mais conseguirá) fixar o debate em algumas matérias que lhe são tão queridas como a defesa da Constituição, do 25 de Abril e dos direitos dos trabalhadores. Percebo ainda que o PCP pretende mobilizar o seu eleitorado a participar nas eleições, tentando evitar a vitória de Cavaco Silva.

Não entendo, como é que o PCP, através de Jerónimo de Sousa, vem afirmar que Manuel Alegre (e Fernando Nobre) "representam percursos, práticas e projectos que comprovadamente se diferenciam e afastam das exigências necessárias a um novo rumo para o país", quando são conhecidas tantas divergências, nomeadamente de Alegre sobre o caminho que vem sendo trilhado. Não entendo o porquê de tais afirmações, porque sei que o PCP pretende derrotar Cavaco e porque, no caso de uma 2ª volta entre Cavaco e Alegre, o PCP irá indicar o seu apoio a Alegre, tal como sucedeu com Soares em 86. O que representava, em 86, Mário Soares para o PCP? Não tenho dúvidas que Alegre foi sempre mais de esquerda do que Soares. Numa eventual 2ª volta entre Cavaco e Alegre, será de questionar Jerónimo de Sousa se Alegre deixou de representar os tais "percursos, práticas e projectos" tão que perigosos. Ou será que, nessa altura Alegre será já bastante melhor e abandonou tais "percursos, práticas e projectos" e está já no tal "novo rumo para o País"?

Ouvi as intervenções dos restantes candidatos, Defensor Moura (outro candidato praticamente desconhecido no País, exceptuando a zona do Minho), Fernando Nobre e Manuel Alegre, e de todas destaco a forma como o candidato Manuel Alegre não respondeu as acusações que lhe foram feitas por Jerónimo de Sousa, e reconhecendo que este é o caminho habitaulmente escolhido pelo PCP e que "nunca foi por culpa do PCP que se perderam eleições Presidenciais", numa alusão a eventual apoio do PCP para derrotar Cavaco.

Dos nomes mais próximos da área do PCP, o único que apoiaria quase incondicionalmente seria o de Manuel Carvalho da Silva, líder da CGTP, mas o próprio há já muito tempo que se afastou de tal caminho. Pelo que, e numa eventual 2ª volta entre Cavaco e Alegre, Jerónimo de Sousa e os outros dirigentes do PCP não precisarão de perder o seu tempo a tentar-me convencer a votar em Alegre, tão só porque há muito que sei o quero. E como não tenho feitio para engolir "sapos" ...

tags:

24
Ago 10
publicado por João Monteiro Lima, às 23:50link do post | comentar

Durante a tarde de hoje, o Comité Central do PCP. através do secretário-geral Jerónimo de Sousa, avançou com o nome do candidato do PCP às eleições para a Presidência da República: Francisco Lopes, 54 anos, electricista, membro da Comissão Política do PCP, 1º deputado eleito por Setúbal.

Durante o dia de ontem e já no dia de hoje, os nomes que iam sendo avançados eram os de Bernardino Soares e o de Francisco Lopes.

Após este anúncio passam a ser 4 os candidatos à Presidência da República, faltando saber quem é (ou são) o(s) candidato(s) da direita.

tags:

21
Ago 10
publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar

Recebemos da Comissão Concelhia do PCP o seguinte pedido de divulgação:

 

 

Nota à imprensa

 

Agradecemos a divulgação da seguinte nota de imprensa, e aproveitamos para solicitar a presença do v/ prestigiado órgão de comunicação social na iniciativa referida:

 

PCP realiza convívio no Parque de Montedeiras

 

Domingo, dia 29 de Agosto 2010

12h00m – Parque de merendas de Montedeiras

(Sande, Marco de Canaveses) 

 

 

No próximo dia 29 de Agosto, domingo, a partir das 12:00 horas, será realizada uma festa/convívio no Parque de merendas de Montedeiras, em Sande, Marco de Canaveses, com petiscos e animação musical.

 

Trata-se de uma iniciativa promovida pela organização concelhia do PCP, aberta à população em geral, e que pelas 16 horascontará com intervenções políticas de Filipe Baldaia, membro da Comissão Concelhia de Marco de Canaveses e de Jorge Machado, deputado do PCP na Assembleia da República.

 

Com os n/ melhores cumprimentos,

 

20 de Agosto de 2010

 

Comissão Concelhia de Marco de Canaveses do PCP


08
Ago 10
publicado por João Monteiro Lima, às 11:25link do post | comentar | ver comentários (2)

Os deputados do PCP eleitos pelo distrito do Porto, endereçaram ao Governo um conjunto de perguntas sobre a escola  da EB 2,3 de Toutosa. Transcrevem-se na integra as perguntas do deputados comunistas.

Pergunta ao Governo  N.º 3815/XI/1

Situação da EB2,3 de Toutosa (Marco de Canaveses)

 

Foi numa sessão pública da “Assembleia Municipal de Jovens” realizada no Marco de Canaveses, que um grupo de alunos da Escola Básica EB 2,3 de Toutosa, naquele Concelho, alertou a opinião pública da situação preocupante que ocorre na sua própria escola.
Ficou então a saber-se que e edifício da Escola EB 2,3 de Toutosa, construído há já 17 anos, se destinava a abrigar 18 turmas mas, que, neste momento, tem 28 turmas, mais dez que a sua lotação adequada. A superlotação é mais que evidente, sendo que a falta de espaços levou já – disseram os alunos – a que a Escola “abdicasse”, entre outras coisas, da sala de estudo, do clube de informática, do “laboratório” de matemática e da própria sala de directores de turma, agora “transformada” em sala de aula.
A superlotação e a falta de espaços específicos, como os que foram atrás enunciados, levando em muitos casos ao reaproveitamento de espaços e à divisão de algumas das salas, provocam inúmeros problemas e dificuldades na gestão do espaço e do tempo e, inevitavelmente, no processo pedagógico de aprendizagem e formação dos alunos. Há cerca de 600 alunos a ocupar um espaço escolar em princípio projectado e preparado para cerca de 380!
E se, quanto à exiguidade de instalações a situação parece bem evidente, os alunos da EB2,3 de Toutosa verberaram igualmente a situação degradada do edifício, onde as infiltrações de água causadas por problemas no telhado e os temporais, provocam a utilização frequente de baldes como recurso para apanhar a água que cai em algumas salas.
Perante a situação atrás descrita, e tendo em atenção o disposto nas disposições regimentais e constitucionais aplicáveis, solicita-se ao Governo que, por intermédio do Ministério da Educação, responda às perguntas seguintes:

 

1. Como pode justificar o Governo que a EB2,3 de Toutosa tenha chagado a um tal ponto de superlotação escolar, com um número de salas de aula a funcionar que é cerca de 55% vezes maior do que as que deveria ter de facto a funcionar e para as quais foi projectada?
2. Tem o Governo a noção que nesta escola há cerca de 200 alunos a mais do que lá deveriam ter aulas?
3. Tem, ao menos, o Governo a noção de que a existência de uma tão elevada superlotação escolar nesta Escola, faz com que inúmeras salas específicas não funcionem (salas de estudo, clube de informática, laboratórios, sala de directores de turma) e que, desta forma, estas centenas de alunos de Toutosa estão a ser profundamente prejudicados e discriminados no respectivo processo de aprendizagem?
4. E quanto à infiltração de águas e à degradação das instalações, como se pode aceitar o que está a ocorrer na EB2,3 de Toutosa?
5. Sendo absolutamente consensual que esta Escola tem que ser alvo de alargamento de instalações e de obras de manutenção e conservação, quando é que o Governo pensa levá-las a efeito? "

 

 

 

 


05
Ago 10
publicado por João Monteiro Lima, às 12:45link do post | comentar | ver comentários (2)

O Partido Comunista Português, através do seu grupo parlamentar, questionou recentemente o Governo acerca do Posto da GNR de Alpendurada e Matos. Ficam as perguntas e aguarda-se a resposta:

 

"O Posto da GNR de Alpendorada e Matos foi aberto no ano de 1966 – oito anos antes da madrugada libertadora do 25 de Abril – tendo contado na altura com um efectivo de 20 guardas, responsável pela segurança em dez freguesias da região, na altura com cerca de dez mil habitantes, uma única “escola primária”, sem qualquer agência bancária, e com comércio e indústria na altura bem pouco expandidas.
Hoje, quarenta e quatro anos após a sua abertura, o Posto da GNR de Alpendorada e Matos continua a dar cobertura de segurança ao território constituído pelas mesmas dez freguesias.
Só que essas dez freguesias (Torrão, Várzea do Douro, Favões, Ariz, Vila Boa do Bispo, Magrelos, S. Lourenço do Douro, Sande, Penhalonga, Paços de Gaiolo mais a própria Vila de Alpendorada e Matos) possuem actualmente uma população total de cerca de 30 000 habitantes, isto é, três vezes superior à que existia quarenta e quatro anos atrás. Mais: hoje existem neste vasto território 8 (oito) agências bancárias, existe uma Escola Secundária, duas Escolas EB2,3, diversas escolas do primeiro ciclo do ensinos básico e escolas profissionais, vários jardins-de-infância, com uma população escolar rondando os 5000 alunos.
Não obstante esta enorme evolução demográfica e civilizacional, também sustentada na explosão industrial e comercial deste território, a verdade é que o efectivo dos guardas da GNR afectos ao Posto da GNR de Alpendorada e Matos permaneceu o mesmo, desde há quarenta e quatro anos a esta parte. Por mais inacreditável que possa parecer o efectivo deste Posto da GNR continua a ser de 20 guardas!

Posto isto, e ao abrigo das disposições regimentais e constitucionais aplicáveis, solicita-se ao Governo que, por intermédio do Ministério da Administração Interna, responda às seguintes perguntas:

1. Confirma o Governo, ou não, a situação descrita relativamente ao Posto da GNR de Alpendorada e Matos?
2. Tem ou não o Governo a noção que face à enorme evolução económica, populacional e cívica ocorrida nesta região, a segurança do vasto conjunto de dez freguesias cuja segurança é da responsabilidade do Posto da GNR não pode continuar a ser bem assegurada pelo mesmo efectivo de há 44 anos atrás?
3. Quando é que o Governo tenciona então reforçar o número de guardas da GNR colocado no Posto da GNR de Alpendorada e Matos? Tenciona abrir algum novo concurso de admissão de guardas ou, pelo contrário, tenciona deslocar para este Posto da GNR alguns dos homens já integrados em cursos de formação em curso?"


27
Mai 10
publicado por João Monteiro Lima, às 00:05link do post | comentar

O deputado do PCP eleito pelo distrito do Porto, Jorge Machado, questionou recentemente o Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social sobre o pagamento de salários abaixo do salário mínimo nacional em empresas do distrito do Porto.

A pergunta feita em 19 de Maio, Jorge Machado questiona o governo sobre os montantes alegadamente pagos por duas empresas do Marco a trabalhadoras do sector têxtil.

Segue a intervenção de Jorge Machado:

 

Assunto:Pagamento de salários abaixo do SMN em empresas do Distrito do Porto 

Destinatário: Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social  

Ex.moSr. Presidente da Assembleia da República

 

O Grupo Parlamentar do PCP tem vindo a denunciar os sucessivos atropelos aos direitos dos trabalhadores, às ilegalidades e aos abusos que são cometidos em inúmeras empresas da região do Porto.

Estas denúncias que temos vindo a fazer têm permitido resolver algumas dessas situações, repondo a legalidade e assegurando o cumprimento dos direitos de quem trabalha.

Contudo, o contacto regular com os trabalhadores e as populações comprova a manutenção das ilegalidades e faz com que cresçam em meio laboral os exemplos de incumprimento, num claro agravamento da exploração de quem trabalha.

A falta de meios humanos e materiais das autoridades inspectoras, em particular da ACT - Autoridade para as Condições de Trabalho, associada à orientação política de um Governo que insiste em ser feroz e severo com os trabalhadores, mas passivo e cúmplice com patrões sem escrúpulos, resulta num retrocesso de décadas nos direitos e condições de trabalho da generalidade dos trabalhadores.

A intervenção do PCP e o reconhecimento do seu papel na denúncia e exigência da resolução destes problemas e no combate à exploração de quem trabalha tem feito com que muitos outros trabalhadores nos comuniquem situações similares.

Na indústria, proliferem situações de empresas que praticam salários abaixo do salário mínimo nacional como acontece com a Lano Corte (em Lousada) ou a Bom Corte (em Freamunde, Paços de Ferreira).

Há ainda o caso da empresa Rosa Têxtil (no Marco de Canavezes) que obriga os trabalhadores a assinar recibos de vencimento com a referência a 475€ e às trabalhadoras mulheres apenas lhes entrega um cheque que tem como salário os 450€.

Estes não são casos isolados, nem resulta do desconhecimento da Lei. Há mesmo casos de empresas que são da direcção de associações patronais, que subscrevem acordos de trabalho e que mesmo assim não cumprem com os direitos. É o caso da empresa Inarbel (no Marco de Canavezes), que integra a direcção da ATP - Associação Têxtil e Vestuário de Portugal, que pratica salários de 440€ e 450€ apesar de ter recebido dezenas de milhares de euros de apoios públicos em 2008.

 

Assim ao abrigo da alínea d) do artigo 156º da Constituição e nos termos e para os efeitos do 229º do Regimento da Assembleia da República, pergunto ao Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social o seguinte:

  1. Confirma que as empresas Lano Corte (em Lousada) ou a Bom Corte (em Freamunde, Paços de Ferreira) não actualizaram ainda o SMN? Que medidas tomou ou pensa este Ministério tomar para repor a legalidade e restituir os retroactivos aos trabalhadores?
  2. Confirma que a empresa Rosa Têxtil (no Marco de Canavezes) obriga os trabalhadores a assinar recibos de vencimento com a referência a 475€; mas que às trabalhadoras mulheres apenas lhes entrega um cheque que tem como salário os 450€? Que medidas tomou ou pensa tomar para repor a legalidade e restituir os retroactivos àquelas trabalhadoras?
  3. Confirma que a empresa Inarbel (no Marco de Canavezes), pratica salários abaixo do SMN? Que medidas tomou ou pensa tomar para repor a legalidade e restituir os retroactivos aos trabalhadores?

Palácio de São Bento, 19 de Maio de 2010

O Deputado:

 

 

(Jorge Machado)


16
Mar 10
publicado por João Monteiro Lima, às 18:31link do post | comentar

Após a visita recentemente efectuada ao concelho do Marco de Canaveses, a eurodeputada do PCP, Ilda Figueiredo, questionou a Comissão Europeia sobre alguns dos assuntos tratados na visita.

Questionou a Comissão acerca da construção de um novo centro de saúde na freguesia de Toutosa, da segurança na estrada nacional 312 e sobre os apoios à reabilitação das linhas de caminho de ferro do Tâmega e do Douro, para ler aqui.

Se todos os políticos que visitam o Marco fossem tão consequentes como os do PCP ...

tags:

28
Fev 10
publicado por João Monteiro Lima, às 11:25link do post | comentar

A comissão concelhia do PCP irá realizar um jantar comemorativo do 89º aniversário do PCP, no próximo Sábado, dia 06 de Março.

A iniciativa será realizada no Restaurante Panorama, pela 20h30m do próximo Sábado e contará com a presença de Ilda Figueiredo, eurodeputado do PCP, que na tarde do mesmo dia se encontrará no Marco com utentes de diversos serviços públicos e autarcas do concelho.

tags:

27
Fev 10
publicado por João Monteiro Lima, às 16:25link do post | comentar | ver comentários (2)

No próximo Sábado, dia 6 de Março, a eurodeputada do PCP, Ilda Figueiredo, visitará o Marco de Canaveses.

Inserida no âmbito de uma iniciativa do PCP da defesa dos serviços públicos, a eurodeputada encontrar-se-á com comissões de utentes de diversos serviços bem como com autarcas do concelho.

A visita iniciar-se-á por volta das 14h e levará Ilda Figueiredo a visitar diversas freguesias do concelho.

Em breve, darei conta do programa da visita do eurodeputada do PCP à nossa Terra.

tags:

23
Fev 10
publicado por João Monteiro Lima, às 20:21link do post | comentar | ver comentários (5)

Faleceu aos 60 anos de idade, José Vieira, militante e dirigente do  PCP Marco. Natural de Soalhães e residente em Rio de Galinhas, José Vieira era membro da comissão concelhia do PCP, tendo sido durante largos anos dirigente sindical na antiga Fábrica do Papel.

Várias vezes candidato aos diversos órgãos autárquicos nomeadamente aos da freguesia onde residia, nas últimas eleições José Vieira foi primeiro candidato à Assembleia da sua freguesia natal, Soalhães.

O funeral realiza-se amanhã a partir das 16 horas, saindo de Fornos.

Em meu nome e da comissão concelhia do PCP Marco, endereçamos as sentidas condolências à família do nosso Camarada José Vieira.

 

tags:

07
Nov 09
publicado por João Monteiro Lima, às 11:25link do post | comentar | ver comentários (5)

Recebi ontem a notícia da perda do mais destacado militante do PCP em Alpendurada.Várias vezes candidato quer à Junta de Freguesia, quer à Câmara e Assembleia Municipal, Manuel Zeferino Ferreira, faleceu ontem aos 60 anos.

Nas útlimas autárquicas e já debiltado pela doença, Manuel Zeferino, demonstrou as suas inabaláveis convicções e aceitou ser 1º candidato à Junta de Freguesia de Alpendurada e Matos.

Homem de firmes convicções, o Manuel Zeferino foi (e será) a "cara" do PCP em Alpendurada. A perda do Manuel Zeferino deixa o PCP/ Marco mais pobre mas também com a responsabilidade acrescida de prosseguir o trabalho que o Manuel Zeferino foi desenvolvendo ao longo dos anos.

À família de Manuel Zeferino, em meu nome e em nome do meu Partido, endereço as mais sentidas condolências.

Ao Manuel Zeferino, um até sempre Camarada.

tags:

pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO