Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
13
Out 09
publicado por José Carlos Pereira, às 00:10link do post | comentar

Publicarei em seguida uma série de textos com a análise dos resultados dos partidos e movimentos concorrentes às eleições de Marco de Canaveses, por ordem crescente da sua votação.

 

CDU

A candidatura de António Varela obteve a mais baixa votação de sempre das coligações lideradas pelo PCP na eleição para a Câmara Municipal. Os 585 votos apenas se aproximam dos 676 votos registados em 1989. Varela foi seguramente o candidato mais bem preparado politicamente que a CDU apresentou nos últimos vinte anos, sem desprimor para os restantes, mas pareceu surpreendido com o concelho que encontrou.

Varela não conhecia o Marco "profundo" e a CDU acabou também penalizada pelo voto útil. Foi pública, aliás, a presença de candidatos da CDU nas iniciativas de campanha do PSD, mostrando como a canalização do voto útil castigou a CDU.

João Monteiro Lima perdeu 191 votos em relação a 2005, mas segurou o seu mandato. No caso da Assembleia Municipal, também será justo dizer que a CDU colheu o voto de eleitores de outros partidos e movimentos, que decidiram confiar nas qualidades do seu cabeça de lista.

 


20
Mai 09
publicado por J.M. Coutinho Ribeiro, às 23:06link do post | comentar | ver comentários (17)

Conheço António Varela desde 1975. É meu tio (casado com a minha tia mais nova), foi meu explicador de Filosofia no Secundário e tivemos sempre uma excelente relação. Advogado que não exerce há uns anos, Varela vive no meio dos seus milhares de livros, de preferência na sua casa de Soalhães. É um verdadeiro intelectual. Não exagerarei se disser que, sozinho, é mais culto do que os seus adversários todos juntos e confesso que algumas vezes o provoco só para o ouvir dissertar sobre matérias que não domino.

Com tais características, dificilmente se vê António Varela como presidente de Câmara, pelo menos no conceito tradicional. Mas, como candidato da CDU, Varela não corre verdadeiramente para a presidência da Câmara do Marco, ainda que, como vereador da oposição, fosse uma aposta segura pela sua combatividade, pela sua integridade e pela forma como se prepara para os problemas. Presumo que também não chegará lá.

Nem por isso, contudo, a sua candidatura será em vão: com ele, estou certo que haverá janelas de oportunidade para candidatos jovens, que não deixarão de ser cativados pela sua afabilidade, pelo ardor com que defende convicções e pela sua forma elevada de estar na política. A grande vantagem da candidatura deste alentejano de Serpa será a da pedagogia que vai introduzir na campanha. O Marco ficará a ganhar, seguramente.

Confirma-se que João Monteiro Lima (nosso colega de blogue) será o candidato da CDU à Assembleia Municipal. Para além de ser uma excelente pessoa, Lima é, como ainda ontem à noite me dizia um adversário insuspeito, um dos melhores deputados da actual AM.

Com esta dupla - uma dupla onde a ortodoxia não parece fazer escola - a CDU arrisca-se a ter no Marco um excelente resultado.

 

 


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO