Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
07
Mar 10
publicado por José Carlos Pereira, às 12:30link do post | comentar

O Agrupamento 1173 - Fornos do Corpo Nacional de Escutas (Escutismo Católico Português) escreveu-nos para divulgar que vai levar a efeito a encenação da obra musical "O Nazareno", de Frei Hermano da Câmara, na Igreja de Santa Maria, em Marco de Canaveses. O espectáculo decorrerá no próximo dia 26 de Março, pelas 21 horas. 
A obra "trata de uma forma menos clássica mas sempre no espírito religioso, da vida de Jesus Cristo" e está enquadrada na quadra Pascal. Todos os personagens são escuteiros com idades compreendidas entre os 7 e os 23 anos.


19
Fev 10
publicado por José Carlos Pereira, às 12:45link do post | comentar | ver comentários (3)

A última edição do “Repórter do Marão” publica uma interessante reportagem com Nuno Higino, professor, escritor, encenador e ex-padre da paróquia de Fornos, em Marco de Canaveses. Um amante das artes e da arquitectura que hoje está muito envolvido no projecto da Casa da Arquitectura, em Matosinhos.

Nuno Higino foi o principal responsável pela construção da Igreja de Santa Maria e por ter conquistado as atenções e o interesse de Siza Vieira para a concepção dessa magnífica obra. No meu entender, ambos são credores do reconhecimento dos marcoenses por nos terem proporcionado desfrutar do convívio permanente com um exemplar único da arquitectura religiosa contemporânea. A Igreja de Santa Maria continua hoje a merecer a visita e a admiração de muitos interessados, que se deslocam propositadamente a Marco de Canaveses para conhecer o seu mais recente ex-libris.

Conheci mal Nuno Higino. Os breves encontros aquando do meu casamento não foram suficientes para o conhecer em profundidade. Ficou-me, contudo, a impressão de um homem sereno, culto, interessado pelo mundo que o rodeava, com vistas para além da paróquia que dirigia. Nuno Higino, entretanto, ganhou mundo e partiu, muito embora se pressinta nas suas palavras uma ligação indelével a Marco de Canaveses e em particular a Fornos. Estou certo que o concelho beneficiaria se pudesse contar com o seu contributo, enquanto cidadão e homem de cultura.


10
Fev 10
publicado por José Carlos Pereira, às 12:45link do post | comentar

A agência de notícias da Igreja Católica em Portugal publicou ontem um dossier sobre a arquitectura religiosa, na sequência da recente polémica em torno da igreja do Restelo, em Lisboa, e da  exposição “Made in Germany: Arquitectura + Religião”.

Naturalmente, é feita referência no texto à notável Igreja de Santa Maria, da autoria de Siza Vieira, em Marco de Canaveses. É considerado um dos exemplos em que "a “caixa” de betão (branca ou não) traduz uma arquitectura que procura a abstracção e a essencialidade geométrica".

O texto pode ser lido aqui.


16
Mai 09
publicado por José Carlos Pereira, às 12:00link do post | comentar

A Orquestra do Norte actua hoje, pelas 21h30, na Igreja de Santa Maria, em Fornos, Marco de Canaveses,  interpretando Stabat Mater, de Giovanni Battista Pergolesi, e a Suite Orquestral nº 3, de Johann Sebastian Bach, sob a direcção do maestro José Manuel Pinheiro.

A consagrada obra de Siza Vieira, que recebe a visita de estudantes e arquitectos de todo o mundo, acolhe mais uma vez a Orquestra do Norte, permitindo a quem aí se deslocar a fruição de um bom programa musical, acompanhada da observação atenta de uma das mais admiráveis obras da arquitectura portuguesa contemporânea.


02
Jan 09
publicado por José Carlos Pereira, às 22:12link do post | comentar

“Tocar as coisas da memória” é o nome da exposição de esculturas e desenhos do Mestre José Rodrigues, comissariada por Nuno Higino, e que está patente ao público no Centro Paroquial da Igreja de Santa Maria, em Fornos. Uma excelente oportunidade para ver, apenas até ao próximo Domingo, obras que têm percorrido várias localidades do Norte de Portugal.

José Rodrigues é um dos expoentes das artes plásticas portuguesas e deixou a sua assinatura, nomeadamente, na consolidação da Bienal de Arte de Vila Nova de Cerveira e na afirmação da Cooperativa Árvore.

A quem visitar a exposição recomendo alguma paciência e boa vontade se encontrar a porta fechada quando lá chegar, mesmo que seja dentro do horário anunciado. Mas a gestão do Centro Paroquial devia também procurar compreender que há visitantes e que há compromissos quando se anuncia exposições abertas ao público.

 

pesquisar neste blog
 
blogs SAPO