Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
04
Mai 10
publicado por José Carlos Pereira, às 00:15link do post | comentar | ver comentários (8)

A nova Comissão Política Concelhia do PSD/Marco, liderada por Rui Cunha, terá pela frente a ingrata tarefa de “arrumar a casa”, designadamente no que diz respeito aos militantes que integraram listas adversárias do PSD e exercem cargos autárquicos em oposição ao partido.

O caso mais relevante é o da vereadora Natália Ribeiro, eleita pelo Movimento Marco Confiante com Ferreira Torres. À luz do regular funcionamento de um partido político, não é admissível que um seu militante desempenhe um cargo de vereador da oposição…ao seu próprio partido. Quem compreende uma realidade destas? A Concelhia de Rui Cunha não pode deixar esta situação arrastar-se por muito tempo e a vereadora Natália Ribeiro terá de ser forçada a optar entre manter-se como militante do PSD ou como vereadora na oposição ao PSD.

Se o mesmo acontecer em algumas Juntas e Assembleias de Freguesia, também aí a nova liderança deverá intervir. Recordo que um dos casos mais emblemáticos foi a candidatura à presidência da Junta de Alpendorada do militante social-democrata José Antunes contra a candidatura apresentada pelo PSD.

Ninguém é obrigado a inscrever-se num partido ou a manter-se nele. Fazendo-o, há deveres a que um militante não pode escapar e entre esses está o de não se candidatar contra o seu partido ou de exercer cargos em oposição aos eleitos pelas listas do partido a que pertence. Naturalmente, o que aqui refiro relativamente ao PSD aplicar-se-á, em circunstâncias idênticas, a todos os partidos políticos.


04
Mai 09
publicado por J.M. Coutinho Ribeiro, às 18:12link do post | comentar

Leitor que não quer ser identificado, envia mail a confirmar que José Antunes pode avançar para a JF de Alpendurada. Com o PSD ou sem ele. O assunto terá sido debatido ontem e não é pacífico nas hostes da AMI, o movimento independente que lidera aquela freguesia há vários anos e do qual Antunes já foi primeira figura. Por sua vez, Domingos Neves, actual presidente, terá manifestado a intenção de avançar em qualquer caso, tornando tudo imprevisível naquela freguesia, cuja campanha eleitoral se tornará, assim, bastante interessante. Há quem se questione o que terá levado Antunes a afastar-se de Ferreira Torres para nova aproximação a Moreira. E há quem sugira que a movimentação não tem a ver com política.


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO