Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
23
Mai 09
publicado por J.M. Coutinho Ribeiro, às 20:32link do post | comentar | ver comentários (5)

Em post em baixo, onde se dá conta da candidatura do médico João Valdoleiros à Assembleia Municipal, pelo PS, a professora e militante socialista Maria Helena Alves comenta nos seguintes termos:

 

Este é o Dr João Valdoleiros que se reformou mas não teve pejo em vir trabalhar(acumulando reforma e com outros dividendos), pago por pessoas com muitas dificuldades conómicas e que que com o conluio da Junta de Freguesia lhe pagou mais um ordenado para atender os utentes em 5 minutos (se fossem ao consultório privado, a consulta era mais mais duradoira e mais simpática, mais cara também)? Socialistas destes temos muitos. Volte para o Porto com a sua choruda reforma, esta despensado.

 

 

 

 

Hoje, João Valdoleiros responde a Maria Helena Alves:

 

Minha cara Sra. Prof.(Dra.) Maria Helena Alves li e reli a sua preocupada intervenção sobre a minha pessoa e a minha condição de pensionista.Para seu total e definitivo esclarecimento.dir-lhe-ei que me candidatei ao justo benefício da reforma ao fim de 39 anos e 3 meses de trabalho(precisaria apenas de 36 anos),muitos deles em condições bem inóspitas e sem as mais que justas garantias,que qualquer profissional merece,Igualmente terei o prazer de a informar que o meu regresso ao local de trabalho de longos anos e após a mais que justa reforma se deveu ao convite,não duma junta de freguesia em particular,mas sim das três juntas que representam o todo geográfico coberto pela Unidade de Saúde de Tabuado.Regresso que acabei por fazer,não pela gratificação a vencer(garanto-lhe que está mal informada),mas sim pela fortes relações de amizade e de carinho,que quase 40 anos de serviço a essas populações,criaram ao longo duma vida de trabalho que procurei exercer sempre dentro das regras da deontologia médica.Quanto à minha choruda reforma,tenho realmente pena,que por duas ordens de razões,não possa estar de acordo consigo.A primeira,é de que o quantitativo dessa "choruda" reforma,não ultrapassa o valôr que qualquer professor em fim e no topo de carreira aufere e a segunda,é saber que a poderia efectivamente ter,se uma ex-ministra da Saúde(do seu PSD),não tivesse deliberado que todo MÉDICO FUNCIONÁRIO PÚBLICO COM CONSULTÓRIO PRIVADO,só teria direito a 60% do vencimento-base,comparativamente aos 100% auferidos pelos seus colegas que não fizessem medicina privada.Claro que tudo isto se processava numa base de horários e funções iguais,para ambos os grupos,fossem médicos em excluvidade ou em não-exclusividade.Como vê,uma decisão onde a inconstitucionalidade nunca foi posta em causa - para trabalho igual e horário igual, NÃO HÁ VENCIMENTO IGUAL. Quanto à restante dissertação e recomendação que me faz,dir-lhe-ei que o Marco é há mais de 60 anos,minha terra,não-natal,mas de coração.Tenho irmãos,filhos e netos,nascidos cá e nunca por nunca,poderei ser classificado como um paraquedista,como tantos outros que por cá andam ou já andaram.Termino certo de que de algum modo lhe fui útil,quanto mais não seja,para corrigir toda a desinformação que os bem-intencionados lhe passaram.Perdoe-me,mas não queria mesmo encerrar a minha resposta-intervenção,sem lhe dar os parabéns pela rija disputa que teve na sua Escola.Pena foi o resultado final.Passe bem,certa de que não voltarei a usar o espaço deste ou qualquer outro blog,para qualquer tipo de intervenção.


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO