Olhares descomprometidos, mas interessados, sobre o Marco de Canaveses. Pontos de vista muitas vezes discordantes, excepto no que é essencial. E quando o essencial está em causa, é difícil assobiar para o lado.
10
Jan 11
publicado por João Monteiro Lima, às 23:05link do post | comentar

Depois de terminado o período de pré-campanha para as Presidenciais é tempo de fazer um balanço do desempenho dos candidatos. Do que considero ter sido o mais importante do período que antecedeu a campanha, dou conta numa espécie de resumo

Cavaco Silva com muita dificuldade em se afastar do BPN e sem explicar o negócio das acções, passou os últimos dias a enviar umas indirectas para o governo como se este fosse o responsável por tudo. E afinal para que serve o Presidente da República? Não será para alertar para o que está mal? Ou só o faz em período eleitoral?

Manuel Alegre atrapalhou-se com a publicidade e desdobra-se em apelos à esquerda para derrotar Cavaco. Alegre sabe, e já o disse, que não será por falta dos votos de uma certa esquerda que perderá as eleições. Aliás, se isto vier a acontecer será pela falta dos votos de muitos que dizendo-se de esquerda se situam muito mais ao centro do que à esquerda.

Francisco Lopes têm-se tornado numa surpresa para mim e para muitos, sendo talvez o que melhor sabe ao que anda, fixar e motivar o eleitorado do PCP a ir às urnas. Não perde uma oportunidade para "malhar" em Cavaco e no Governo, aqueles que considera (e com muita razão) os grandes responsáveis pela situação do País, embora não sejam os únicos.

Defensor Moura dá a entender não ter grandes ideias (e se calhar, nem pequenas) para o que quer para Portugal. Pediu a demissão de Cavaco já neste período próximo das eleições, o que não passa de um número para o qual não tem jeito.

Fernando Nobre é para mim a maior desilusão. Achava Fernando Nobre um português como poucos, com uma actividade muito meritória, a política não é para ele, aquela "coisa" das crianças que lhe morreram nos braços foi o tiro final nas suas já poucas ambições eleitorais e políticas. Mais valia nunca ter saído de onde veio.

José Manuel Coelho é a outra surpresa. Pela positiva. Os números a que nos habituou na Madeira e a forma como tem feito esta campanha dão a entender que não é fácil calar este "democrata novo". Ataca Cavaco, ataca Jardim e faz uma campanha modesta e que tanta curiosidade despertou em Judite de Sousa, ao saber ponto de quer saber quem a financia. E já agora Judite quem financia Cavaco ou Nobre ou Defensor Moura?

Esperemos para ver o que nos reserva o período de campanha, para fazer mais perto das eleições um balanço final.


04
Nov 10
publicado por João Monteiro Lima, às 23:05link do post | comentar | ver comentários (6)

Ontem à noite, o candidato à Presidência da República, Manuel Alegre jantou com apoiantes no Marco. Apesar de ser a meio da semana, o candidato apoiado pelo Bloco de Esquerda e pelo Partido Socialista juntou à mesa mais de duas centenas de apoiantes.

Ao encontro com o histórico dirigente do PS não faltaram apoiantes de vários quadrantes políticos tal como foi possível ver na reportagem da televisão. Segundo consegui apurar e, para além de alguns dos nomes mais importantes da actual concelhia marcoense do PS não faltaram à chamada, nomeadamente, Artur Melo, Jaime Teixeira ou Bruno Caetano, o ex-candidato a líder do PS Marco, Rolando Pimenta, o ex-líder concelhio do PS, José Neves, ou ex-candidata à Presidência da Câmara do Marco pela APU e 3ª candidata nas últimas autárquicas à Câmara pela CDU, Isabel Pinto, também não faltaram ao jantar de pré-campanha realizado no Marco.

A transversalidade (na esquerda) da candidatura de Manuel Alegre é notória sendo cada vez mais os que não sendo nem do Bloco nem do PS aderem ao movimento de apoio a Manuel Alegre.


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO